spot_imgspot_img

    Sambar para uns «quartos» aos quadrados | Diário do Mundial #16

    Mais duas seleções com viagem marcada para os “quartos” do Mundial 2022 e com encontro agendado para a próxima sexta-feira, dia 9 de dezembro.

    Apesar de ambas lá terem chegado, o grau de dificuldade do último obstáculo foi distinto, já que a Croácia teve de suar bastante para bater uma das grandes sensações da competição, o Japão, tendo sido necessário levar a partida às grandes penalidades para conseguir o apuramento. Por outro lado, o Brasil venceu a Coreia do Sul sem ser necessário tirar o seu fato de gala, presenteando os seus adeptos com momentos em que o seu futebol foi de gala.

     

    O JOGO DO DIA

    Pelo equilíbrio que se esperava e tendo em conta que, nesse aspeto, o jogo correspondeu às nossas expectativas, o Japão – Croácia acaba por ser o jogo do dia e, podemos acrescentar, talvez o jogo mais equilibrado desta fase pois, até então, os restantes têm resultado em vitórias tranquilas dos teoricamente favoritos sem momentos em que as probabilidades sejam minimamente questionadas.

    À partida para o primeiro jogo do dia, sabíamos que o Japão, embora estivesse a surpreender, nunca tinha sido uma equipa que visse no ataque organizado a sua maior virtude, sendo claramente um conjunto que se sentia bem mais confortável quando o seu adversário jogava com linhas mais subidas e procurava dominar a partida com bola, tendo assim os nipónicos mais oportunidades de investir nas transições. Se repararem, até então, o jogo menos feliz desta seleção terá sido quando foi obrigada a assumir o jogo contra a Costa Rica e, pelo contrário, teve mais sucesso quando os seus adversários assumiram as despesas do jogo e, desse modo, foi gerado o espaço necessário para a estratégia dos asiáticos.

    Curiosamente, a Croácia também não é uma equipa que procura o protagonismo com bola, sendo essencialmente um conjunto muito seguro defensivamente, que é capaz de gerir o jogo como poucos e, ofensivamente, quando é criada a oportunidade, ser agressiva nos momentos de finalização.

    Perante tal cenário, tivemos um jogo fechado com dois golos (o do Japão aos quarenta e três minutos e o da Croácia aos cinquenta e cinco) que acabou por nos conduzir a uma decisão nas grandes penalidades, tendo a vitória caído para o lado croata.

    Em jeito de nota, fica na memória a campanha histórica do Japão que, num grupo com duas potências, acabou por conseguir ser primeiro, tendo vencido ambas, não esquecendo que hoje, também levou a vice-campeã do mundo ao limite. Quanto à Croácia, é a típica seleção “chata” a quem será sempre difícil marcar, que tem um meio-campo capaz de “congelar” a partida e um ataque cirúrgico, necessitando de muito pouco para enviar a bola para o interior da baliza, estando aqui uma equipa que disputará, seguramente, qualquer eliminatória daqui em diante.

     

    A FIGURA DO DIA

    Quando há um guarda-redes que, num jogo que é decidido nas grandes penalidades, defende três remates em quatro, terá de ser considerado o “homem do jogo” e, neste caso, também a “figura do dia”, pois, num momento em que o duelo é individual, teve a capacidade de se superiorizar e contribuir de forma preponderante para o sucesso da sua seleção nos oitavos de final.

    Dominik Livakovic, 27 anos, joga, pela primeira vez, um Mundial e rubricou, hoje, uma exibição influente na campanha da Croácia que permite continuar a alimentar o sonho de fazer o que ainda não foi feito no Catar 2022: ser campeão do mundo.

     

    O FORA DE JOGO DO DIA

    Poderíamos assinalar a fragilidade da Coreia do Sul como um aspeto menos positivo do dia no Mundial, contudo, como muitos anteviam, a seleção que foi orientada, até hoje, por Paulo Bento, seria sempre, à partida, um conjunto mais frágil e, naturalmente, com poucas possibilidades de chegar mais longe na competição. Ainda assim, perante um Brasil que, na segunda parte, apostou na gestão, os coreanos foram sempre competitivos e não deixaram de desfrutar de um palco que pisaram devido à resiliência evidenciada na fase de grupos.

    Posto isto, embora sejamos taxativos ao considerar que podiam ter feito mais, sobretudo no primeiro tempo, consideramos que não seria justo nomear a Coreia do Sul que, na maioria do tempo, ofereceu o que tinha ao jogo.

     

    A CURIOSIDADE DO DIA

    Esta é a terceira vez que a Croácia disputa a fase a eliminar num Campeonato do Mundo, sendo que, nas anteriores, sempre que ultrapassou a fase de grupos, conquistou, no mínimo, o último lugar no pódio.

    Para já, terão pela frente a seleção que celebrou mais vezes a conquista da competição, sendo o histórico de confrontos com o Brasil no Mundial claramente favorável à “canarinha”, visto que venceu sempre.

    RESULTADOS

    OITAVOS DE FINAL

    Japão 1-1 Croácia (1-3 após grandes penalidades)

    Brasil 4-1 Coreia do Sul

     

    Artigo com a opinião de Orlando Esteves, comentador BnR TV.
    - Advertisement -
    spot_img

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Redação BnR
    Redação BnRhttp://www.bolanarede.pt
    O Bola na Rede é um órgão de comunicação social desportivo. Foi fundado a 28 de outubro de 2010 e hoje é um dos sites de referência em Portugal.
    Bola na Rede