logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Tiago Silva Mumin Jota Ryoya Ogawa Vitória SC

Vitória SC 3-0 Puskás FL Akadémia: Início de época feliz em Guimarães

A CRÓNICA: SUPERIORIDADE COMPLETA VIMARANENSE PERMITE VIAGEM CONFORTÁVEL À HUNGRIA

Os conquistadores começaram a época mais cedo com a receção aos húngaros do Puskás FL Académia para a segunda pré-eliminatória da Liga da Conferência e após uma pré-época conturbada. O Vitória SC procurava começar bem no mítico ambiente vimaranense. Do outro lado, o técnico dos húngaros admitiu que o Vitória é um adversário difícil mas prometeu lutar pelo resultado.

A equipa da casa começou desde cedo a ameaçar a baliza de  Tamás Markek, guarda-redes de uma equipa inicialmente muito fechada e que deixou o Vitória jogar.  E não demorou muito até surgir o primeiro golo da partida de Rúben Lameiras com um remate forte a arrasar a relva, aos quatro minutos.

A equipa húngara teve muitas dificuldades em crescer no terreno, frente a um Vitória muito forte defensivamente. O Puskás procurou um jogo honrado, a tentar subir no terreno com posse de bola, mas sem muito sucesso. O Vitória esteve confortável no terreno, procurando o segundo golo com objetividade. Sem pressas, os vitorianos iam rodando a direção do jogo para procurar o golo.

Vitória SC Ryoya Jorge Fernandes André Almeida
Fonte: Paulo Ladeira/Bola na Rede

Destaque para a linha ofensiva vitoriana, muito objetiva, sempre a procurar dilatar a vantagem. Jota Silva e André Silva, estreantes com o símbolo dourado vimaranense, a demonstrar que foram boas aquisições, com um grande desempenho.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Depois de tantas ameaças à baliza húngara, Tiago Silva tirou um grande golo da cartola, de fora da área, depois de mais uma assistência de Jota Silva.

Voltados do intervalo, os húngaros surgiram diferentes em campo, mas não por muito tempo. O perigo surgiu mais vezes para o Puskás Académia, que esteve muito perto do golo.

Primeiro toque de Anderson Silva, terceiro golo dos conquistadores. Depois de uma jogada em transição, o atacante fazia agitar as redes adversárias ao minuto 65. Até ao final, o jogo manteve-se com a superioridade do Vitória SC, que assegurou a vitória por três golos sem resposta, e que dá uma lufada de ar fresco na visita à Hungria.

A FIGURA

Rúben Lameiras
Fonte: Paulo Ladeira/Bola na Rede

Rúben Lameiras – O extremo português foi quem mais se destacou na equipa da casa pelo seu desempenho em campo mas também por se manter até ao fim do jogo. Marcou o primeiro golo, demonstrou-se ser muito objetivo na procura de aumentar a vantagem e desequilibrador, fazendo desorientar a defensiva húngara. Em destaque estiveram também Jota Silva e André Silva, essenciais para esta vitória.

 

O FORA DE JOGO

Luciano Slagveer
Fonte: Paulo Ladeira/Bola na Rede

Luciano Slagveer – O atacante neerlandês penou por ser substituído cedo no jogo por lesão e também por a sua equipa não conseguir ficar com vida fácil para a segunda mão na Hungria. O Puskás Académia, apesar de ter algumas oportunidades de golo, esteve longe do desempenho dos conquistadores, não concretizando nenhum golo.

ANÁLISE TÁTICA – VITÓRIA SC

No seu primeiro jogo ao leme da equipa vitoriana, Moreno aposta no sistema tático 4-3-3. Depois de um mercado de transferências muito movimentado, o técnico coloca o reforço Ogawa no lado esquerdo da defesa, acompanhado de três jogadores conhecidos da casa: Mumin, Jorge Fernandes e Miguel Maga. O meio-campo é já familiar para os adeptos, com André Almeida, Alfa Semedo e Tiago Silva. Para a frente do ataque, destaque para os reforços, Jota Silva e André Silva e na ala direita está Rúben Lameiras.

Como de costume, Alfa Semedo assumia a construção atrás dos criativos Tiago Silva e André Almeida, por quem passou muito do jogo ofensivo do Vitória. O ataque vitoriano foi o destaque, sendo muito objetivo, ativo e inteligente.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Bruno Varela (7)

Miguel Maga (7)

Jorge Fernandes (6)

Mumin (8)

Ogawa (6)

Tiago Silva (7)

Alfa Semedo (7)

André Almeida (8)

Rúben Lameiras (9)

André Silva (8)

Jota Silva (8)

SUBS UTILIZADOS

André Amaro (6)

Anderson Silva (7)

Nélson da Luz (6)

Janvier (6)

Daniel Silva (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – PUSKÁS FL AKADÉMIA

A equipa da vila de Felcsút visitou os conquistadores a alinhar também no sistema tático 4-3-3, a procurar inicialmente a posse de bola, mas também adotando o futebol mais direto, procurando chegar à baliza adversária. Tiveram vida difícil, sem espaço para desenvolver o seu estilo de jogo e com uma defesa vitoriana forte que não facilitou as transições ofensivas.

A defesa húngara tinha muitas fragilidades, sendo muitas vezes penetrada pelos desequilíbrios dos conquistadores. Destaque para a frente de ataque, nomeadamente Baluta e Zahedi, que mais procuraram ferir a defensiva vimaranense.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Tamás Markek (6)

Mohamed Mezghranl (5)

Yoel van Nieff (6)

Tamás Kiss (6)

Colley Lamin (6)

Alexandru Baluta (7)

Luciano Slagveer (4)

Patrizio Stronati (5)

Roland Szolnoki (5)

Csaba Spandler (5)

Zsolt Nagy (5)

SUBS UTILIZADOS

Josef Urblik (5)

Alen Skribek (5)

Shahab Zahedi (6)

Balazs Bakti (-)

 

BnR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA

 

VITÓRIA SC

BnR: Na conferência de imprensa de antevisão disse estar muito confortável para o jogo e que o grupo tinha muita maturidade. É este tipo de atitudes e maturidade que pretende que o plantel tenha?

Moreno: Este tipo de jogos ajuda a criar maturidade, e com estes resultados, ajuda ainda mais. Mas neste momento é importante é não perdermos o foco. E garanto-vos uma coisa, vai ser uma semana de muito trabalho, de muito rigor, muita disciplina. A eliminatória ainda não está ganha.

PUSKÁS FL AKADÉMIA

BnR: O que acha que o Puskás Académia precisa para dar a volta ao resultado na segunda mão?

Zsolt Hornyák: Como disse antes tivemos muitos erros na primeira parte. Tentamos jogar de acordo com o planeado, mas houve más performances. Podia ter sido melhor, mas calma, ainda temos algumas possibilidades. Mesmo que eu tenha esperado mais de alguns jogadores, sinto que poderia ter sido um resultado mais próximo. Mas para isso é preciso aproveitar as oportunidades, o que não aconteceu hoje.

 

O Leonardo é um jovem vimaranense que estuda Comunicação e Jornalismo, e que ambiciona ser jornalista, preferencialmente de desporto. Ele não consegue negar, gosta disto e é isto que quer fazer.

O Leonardo é um jovem vimaranense que estuda Comunicação e Jornalismo, e que ambiciona ser jornalista, preferencialmente de desporto. Ele não consegue negar, gosta disto e é isto que quer fazer.

FC PORTO vs CD TONDELA