logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

O Liverpool FC venceu o Club Atlético Madrid

Liverpool FC 2-0 Club Atlético de Madrid: Ingleses apuram-se para os oitavos, “colchoneros” vão ter que suar

A CRÓNICA: Aluga-se meio-campo num jogo que podia ter dado goleada

Mais uma grande partida da Liga dos Campeões, desta vez no grupo do FC Porto, uma partida que teria relevância nas contas dos portugueses, que minutos antes tinham conseguido um empate em Itália frente ao AC Milan.

O Club Atlético Madrid partia para esta jornada em terceiro lugar com quatro pontos, menos um do que os dragões e menos cinco do que o Liverpool FC, a melhor equipa do grupo.

E se se esperava uma partida equilibrada os reds rapidamente começaram a comandar o jogo e a justificar a vantagem teórica. Sempre muito incisivos nas suas ações e a apostar muito na velocidade dos homens da frente, rapidamente fizeram o primeiro, passados 13 minutos do início. Diogo Jota apareceu no sítio certo e, de cabeça, deu resposta a um belo cruzamento de Alexander-Arnold.

Nem por isso tiraram o pé do acelerador e passados oito minutos chegaria o segundo, desta vez por intermédio de Sadio Mané.

Nova assistência do lateral direito inglês e mais um golo para o Liverpool FC, que ia dominando as rédeas da partida sem conceder qualquer oportunidade ao conjunto espanhol.

E se as coisas já estavam difíceis, mais ainda ficaram aos 36 minutos quando Felipe viu o cartão vermelho direto. A ideia era parar uma saída para o ataque, mas o brasileiro acabou por acertar com os pítons na perna de Mané e não se livrou da expulsão, numa noite para esquecer tanto para ele como para a equipa.

No início dos segundos 45 minutos a toada do jogo manteve-se e não fossem poucos centímetros e Diogo Jota tinha bisado na partida. Grande passe de Matip mas infelizmente o português estava um pouco adiantado.

Neste parâmetro a equipa espanhola não quis ficar atrás e poucos minutos depois foi a vez de Luís Suárez marcar também um golo que viria a ser anulado. Pontapé muito feliz que acaboou no fundo das redes de Alisson mas na origem do lance foi detetado um fora de jogo a Giménez. O placard manteve-se no 2-0.

A partir daí foi quase esperar que o jogo acabasse. O Liverpool FC ainda teve boas ocasiões mas a verdade é que o resultado não sofreu alterações.

O Liverpool FC carimbou assim a passagem para os “oitavos” enquanto que o Club Atlético de Madrid vai discutir com o FC Porto (e o AC Milan, embora seja muito difícil) a passagem a essa próxima fase da liga milionária.

 

A FIGURA


Mohamed Salah – Não marcou nem assistiu, mas a verdade é que o egípcio deu um autêntico espetáculo em Anfield. A estrela do Liverpool FC

Protagonista de grandes jogadas e bons momentos, entreteve muito os adeptos e confundiu a defesa da equipa espanhola, num jogo que lhe correu muito bem, à imagem de toda a época que está a fazer até então. Que jogador aqui temos.

 

O FORA DE JOGO


Felipe Augusto – O defesa brasileiro contou com a ajuda de mais dois defesas-centrais e nem por isso se conseguiu sentir seguro durante o pouco tempo em que esteve dentro das quatro linhas.

No primeiro golo teve muitas culpas na falha de marcação, no segundo deixou-se antecipar e aos 36 minutos viu um cartão vermelho direto depois de uma entrada feia sobre Sadio Mané. Creio que não é exagerado dizer que foram os piores minutos da carreira do jogador.

 ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

O Liverpool FC apresentou-se no habitual 4-3-3 com uma linha defensiva desfalcada na esquerda, onde apareceu Tsimikas em vez de Robertson.

No eixo jogou van Dijk, o líder, que desta feita contou com o apoio de Matip, talvez o mais experiente central das restantes opções.

Na direita Alexander-Arnold, o lateral que tem muita capacidade ofensiva e que oferece muitas soluções à equipa. Mais à frente apareceu Fabinho como número seis, contando com o apoio de Henderson, um médio também mais de contenção, e de Oxlade-Chamberlain, mais criativo e decisivo na hora de aproximar da baliza.

Na frente os dois belíssimos extremos, Salah pela direita e Sadio Mané pela esquerda, que desta feita contaram com o apoio de Diogo Jota no centro, o português que consegue aparecer com muita preponderância dentro de área.  Liverpool FC

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alisson (7)

Alexander-Arnold (8)

Van Dijk (7)

Matip (7)

Tsimikas (7)

Fabinho (7)

Henderson (6)

Oxlade-Chamberlain (6)

Salah (8)

Mané (7)

Diogo Jota (7)

 SUBS UTILIZADOS

Roberto Firmino (5)

Thiago Alcântara (6)

Origi (6)

Minamino (6)

Nathaniel Phillips (-)

ANÁLISE TÁTICA – CLUB ATLÉTICO DE MADRID

Face a todo o poder do adversário, Simeone optou por colocar a equipa num 5-3-2 com o eixo da defesa a ser composto por Felipe, Gimenez e Hermoso, face à ausência de Savic por motivos disciplinares.

Tripier ficou encarregue de toda a ala direita, ainda que sempre muito mais contido do que o homem que apareceu pela esquerda, Ferreira-Carrasco que é um dos grandes desequilibradores da equipa espanhola.

E nesta perspetiva a equipa do Club Atlético de Madrid beneficia do facto de Hermoso fazer facilmente a posição de defesa esquerdo, formando muitas vezes um 4-4-2, uma vez que Correa, que atuou tendencialmente pelo meio, tem capacidade de se juntar facilmente à ala direita, onde Trippier não tem tanta capacidade ofensiva. No meio, junto a Correa atuaram De Paul e Koke, os dois pilares da equipa. Liverpool FC

Na frente Luís Suárez e João Félix, com o português sempre mais capaz de vir buscar jogo e fazer a equipa jogar enquanto que o uruguaio atua como verdadeiro matador.

Com a expulsão de  Felipe na primeira parte a equipa organizou-se num 4-3-2, ainda que nos segundos 45 minutos se tenha colocado num 5-3-1, com Correa a baixar para lateral direito e Félix a baixar para ajudar Koke e De Paul, que deram um passo à direita para fazer entrar o português na linha de três.

Liverpool FC

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

 Oblak (7)

Trippier (6)

Felipe (3)

Giménez (5)

Hermoso (5)

Ferrreira-Carrasco (5)

De Paul (6)

Correa (6)

Koke (5)

Luís Suárez (5)

João Félix (5)

SUBS UTILIZADOS

 Herrera (6)

Renan Lodi (5)

Matheus Cunha (5)

Vrsaljko (5)

Javier Serrano (5)

O Guilherme estuda Jornalismo na Escola Superior de Comunicação de Comunicação Social e é um apaixonado pelo futebol. Praticante desde os três anos, desde cedo que foi rodeado por bola e por treinadores de bancada. Quer ser jornalista desportivo, e viu no Bola na Rede uma excelente oportunidade para começar a dar os primeiros toques.

O Guilherme estuda Jornalismo na Escola Superior de Comunicação de Comunicação Social e é um apaixonado pelo futebol. Praticante desde os três anos, desde cedo que foi rodeado por bola e por treinadores de bancada. Quer ser jornalista desportivo, e viu no Bola na Rede uma excelente oportunidade para começar a dar os primeiros toques.

FC PORTO vs CD TONDELA