Anúncio Publicitário

Cabeçalho Liga EspanholaEmpates. Empates predominam no histórico de jogos do Atlético de Madrid esta temporada. Os colchoneros somam seis em 13 partidas a contar para a La Liga. E são precisamente os nulos que, muito provavelmente, irão carimbar a sua queda para a Liga Europa. Dois empates injustificáveis frente ao Qarabag não são aceitáveis num grupo com Roma e Chelsea! Porém o último jogo que terminou num empate foi como um beliscão que colocou os comandados de Simeone na senda da vitória. O empate frente ao Real Madrid.

Após o derby, o Atlético jogava tudo. Recebia a Roma, oponente direto na luta pelo apuramento. Venceu por 2-0, mas ainda há muita improbabilidade de seguir em frente. Mas, pelo menos venceu e seguir em frente ainda é possível. O possível traduz-se em vencer o Chelsea (já apurado) em Stanford Bridge, e esperar que a Roma não vença o Qarabag, no Olímpico de Roma. Parece estar tudo certo para que Chelsea e Roma, respetivamente, avancem para os oitavos.

Eu vejo este Atlético com um plantel recheado de talento e qualidade assinalável. Contudo, a razão pela qual esta primeira metade de temporada não está a ser condizente com este talento e qualidade, a meu ver, são os perfis dos jogadores que estabelecem o onze-tipo. Thomas foi uma excelente aquisição, a sua polivalência tem suplantado alguns problemas físicos de jogadores como Juanfran. O lateral até se mostrou surpreendido pela boa prestação do ganês numa posição que nunca tinha jogado (lateral direito). Gabi não vai para novo, já não vai e vem área a área como outros tempos, e essa quebra na profundidade, na pressão efetuada pelo meio campista, tem obrigado o Atlético a não contar tanto com essa característica do seu capitão.

Anúncio Publicitário

O Atlético de Madrid de Simeone é conhecido como uma formação com um elevado espírito de combate, de sacrifício, de equipa. A política de contratações mais recente do clube contrasta um tanto com este espírito incutido nas táticas do seu treinador. Isto porque a contratação de jogadores com uma grande ambição de serem líderes de uma equipa, reconhecidos pelas suas qualidades individuais, de quererem, legitimamente, verem as suas aptidões traduzidas ou em golo, ou em assistência, ou em desarme ou recuperação, seja qual for a posição em que atuam, conduzem a uma série de problemas.Temos Griezmann, que esperava, honestamente, já ter abalado do Atlético. Sinceramente pensei que o jogador tivesse sido mais assediado por parte de outro clube. Esta época não vejo consistência no seu jogo. Apagado em alguns jogos, voltou agora frente à Roma em grande estilo. O marco do retorno do Atlético à boa forma competitiva pode muito bem passar pelo francês!

União e entreajuda são alguns dos ideais caracterizadores do jogo do Atlético Instagram: Clube Atletico de Madrid
União e entreajuda são alguns dos ideais caracterizadores do jogo do Atlético
Instagram: Clube Atletico de Madrid

Gaitán e Carrasco são excelentes futebolistas. No Benfica e Mónaco, respetivamente, eram estrelas e o seu passe era valorizado jogo após jogo. No Atlético, Gaitán ainda não vi, Carrasco vejo a espaços… Os problemas de adaptação ao Atlético? Não sei responder. Os dois jogavam na ala esquerda, os dois defendiam na sua ala… No Atlético, como se sabe, defende-se e ataca-se em bloco. Achava que os dois iam ser muito bem sucedidos no clube madrileno, mas não, antes pelo contrário…

Koke, Saúl Ñiguez são os jogadores que destaco. Não sabem jogar mal. Refletem na perfeição a filosofia do seu técnico. Sempre muito bem posicionados, sempre concentrados, e são aqueles que, em condições adversas, dão a cara à luta e correm contra o prejuízo. Sou fã desses dois!

Correa é um jogador que aprecio neste Atlético. Não é o melhor da equipa, mas apresenta-se sempre disponível e infonformado. Dá muito à equipa!

Kevin Gameiro tem sido a surpresa mais recente. Não muito utilizado, o francês com origens tugas esteve bem nos jogos mais recentes, tem facilidade em criar chances de faturar e aproveitar as mesmas. Dava-o como transferível no mercado de Verão, mas hoje pode ser uma opção para o ataque a ter em conta!

Um Atlético que nesta década chegou ao topo do futebol mundial sem tantos recursos financeiros como os seus pares, marcando uma era no futebol com Simeone como impulsionador da dita. Um futebol à base do trabalho de equipa requer onze jogadores completamente entrosados e comprometidos com o ideal promovido pelo treinador argentino. Há algo que escapa ao ex-jogador e agora técnico do Atleti, e acredito que o carismático líder colchonero tenha insónias a matutar no que realmente está a falhar esta época. Não deve estar a ser fácil para a sua companheira aturar isto…

Foto de Capa: Instagram Oficial do Wanda Metropolitano

artigo revisto por: Ana Ferreira

Anúncio Publicitário