SC Braga 1-2 RU Saint-Gilloise: Balde de água fria descolou o Braga dos belgas

    A CRÓNICA: BIS DE NILSSON CONGELOU A PEDREIRA E LEVOU BELGAS PARA O PRIMEIRO LUGAR

    O SC Braga queria descolar-se do Royale Union St. Gilloise, e para isso, tinha de vencer aquela que foi a equipa sensação do campeonato belga no ano passado, e que agora ocupa a quarta posição. Com os mesmos pontos no grupo europeu, a turma de Artur Jorge só tinha uma missão para alcançar o objetivo: vencer.

    Duas equipas muito coesas prendiam o jogo no meio-campo durante o início do jogo. O St. Gilloise foi a Braga para dizer que a Bélgica joga bom futebol e, com as suas dinâmicas de jogo, mostrou por que razão tem seis pontos, a par dos bracarenses.

    Os belgas colocaram a bola na baliza de Matheus aos 10 minutos, mas a mão de Vanzeir levou à anulação do lance. O jogo manteve-se morno, até que os belgas voltaram a gritar golo. Para falta de sorte dos adeptos belgas presentes em Braga, mais uma vez o golo foi anulado, desta vez pelo VAR.

    A dificuldade em ascender no terreno e em criar perigo por parte da turma de Artur Jorge foi clara, frente a uma defesa a cinco homens muito forte. Os bracarenses tiveram de esperar 36 minutos para verem a sua equipa criar perigo junto à baliza adversária depois de um momento de inspiração de Racic no centro do terreno.

    Voltado do intervalo, o Braga entrou a todo o gás. Num ataque aniquilador, Vitinha assistiu Abel Ruiz que, com um remate indefensável, atirou o Braga para a frente do jogo à passagem do minuto 49. Na segunda parte a turma de Artur Jorge saiu diferente dos balneários. Foi visto um Braga mais ofensivo e mais criativo. O jogo serenou para os bracarenses. Do outro lado, os belgas demoraram a crescer no terreno.

    Mas já o ditado o diz: depois da tempestade vem a bonança. Após uma segunda parte sem grandes oportunidades, o St. Gilloise chegou ao golo através do recém-entrado Nilsson no minuto 86. Se um golo foi doloroso, Nilsson piorou o dia dos bracarenses com o segundo golo aos 94 minutos que gelou por completo a cidade de Braga.

    Depois disso, houve pouco tempo para jogar e os arsenalistas acabaram por descolar-se dos belgas, mas da forma que não queriam, ao ver o St. Gilloise viajar para o primeiro lugar do grupo.

     

    A FIGURA

    Nilsson – Após entrar aos 83 minutos, o atacante sueco alegrou a visita dos adeptos belgas a Braga ao bisar na partida e gelar por completo a Pedreira. Com um golo aos 86 e 94 minutos, Gustaf Nilsson foi o herói da noite, e que fez com que o St. Gilloise descolar-se do Braga na classificação do grupo na Liga Europa.

    O FORA DE JOGO

    Teuma – Apesar da vitória da sua equipa, o capitão do St. Gilloise não esteve nos melhores dias e não foi um apoio fundamental na ascensão no terreno e nos momentos ofensivos. A acrescentar, o médio natural de Malta esteve condicionado a maior parte da partida, depois de ter visto cartão amarelo ao minuto 17.

     

    ANÁLISE TÁTICA – SC BRAGA

    Artur Jorge realizou quatro alterações face ao jogo contra o FC Porto, colocando no 11 inicial Paulo Oliveira, Racic, Castro e Abel Ruiz, e mudou também o sistema tático para o 4-3-3. Racic e Castro jogavam mais fixos que André Horta à procura de bola para organizarem o jogo. Já o número 10 bracarense surgiu mais móvel para tentar a ligação com o ataque. Sequeira e Fabinho jogaram, como sempre, abertos para surgirem como apoios nos desenhos ofensivos arsenalistas.

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Matheus (6)

    Sequeira (7)

    Paulo Oliveira (7)

    Tormena (6)

    Fabiano (5)

    André Horta (6)

    Castro (8)

    Racic (8)

    Ricardo Horta (6)

    Vitinha (7)

    Abel Ruiz (7)

    SUBS UTILIZADOS

    Rodrigo Gomes (6)

    Banza (5)

    Diego Lainez (5)

    Alvaro Djaló (5)

    Gorby (5)

     

    ANÁLISE TÁTICA – RU SAINT-GILLOISE

    Karel Geraerts trocou dois jogadores em relação à partida com o OH Leuven (Nieuwkoop e Lapoussin) mas manteve o sistema tático dinâmico habitual: 3-5-2. Defensivamente, os belgas demonstraram ser muito coesos, através da linha de cinco homens que foi um entrave para os ataques do Braga.

    Do ponto de vista ofensivo, o St. Gilloise foi uma dor de cabeça para Artur Jorge, com Boniface e Vanzeir a ter grandes oportunidades. Nieukoop e Lapoussin foram muito importantes na ascensão belga, ao servirem como apoios na procura pela largura.

    11 INICIAL E PONTUAÇÕES

    Moris (6)

    Van Der Heyden (6)

    Burgess (7)

    Kandouss (6)

    Nieuwkoop (6)

    Lapoussin (6)

    Lynen (6)

    Amani (7)

    Teuma (4)

    Vanzeir (5)

    Boniface (6)

    SUBS UTILIZADOS

    Adringa (7)

    François (5)

    Nilsson (8)

    Puertas (5)

    Sykes (5)

    BNR NA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA:

    RU Saint-Gilloise

    Bola na Rede: No ano passado, o St. Gilloise foi a equipa sensação no campeonato belga, e tendo em conta que está em primeiro lugar com nove pontos num grupo nada fácil, acredita que é possível ser a equipa sensação este ano na Liga Europa?

    Karel Geraerts: Tenho a dizer que vamos tentar manter esta dinâmica. Nós somos desportistas, somos competitivos, vamos trabalhar como temos feito nas últimas épocas. Há duas épocas conquistamos a segunda divisão belga, no ano passado quase conseguimos ganhar o campeonato, por isso o que temos de fazer é continuar. Temos uma estrutura muito competente, o nosso clube é muito organizado e temos excelentes jogadores.

     

    SC Braga

    Bola na Rede: Considera que a vitória foi de total mérito da equipa adversária? Ou foi consequência do balde de água fria que foi o primeiro golo para o Braga?

    Artur Jorge: Foi mérito do adversário.

     

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Leonardo Pereira
    Leonardo Pereirahttp://www.bolanarede.pt
    O Leonardo é um jovem vimaranense que estuda Comunicação e Jornalismo, e que ambiciona ser jornalista, preferencialmente de desporto. Ele não consegue negar, gosta disto e é isto que quer fazer.