Anúncio Publicitário

Mais uma edição daquele que é para muitos o campeonato mais competitivo do mundo acaba de chegar ao fim. E agora, está na hora de fazer um balanço da época na Premier League: da luta pelo título, pelo acesso às competições europeias, pela manutenção, bem como pelas principais revelações e desilusões da temporada. Num campeonato que foi rico em surpresas, irei aqui falar dos principais destaques.

LUTA PELO TÍTULO

Anúncio Publicitário

Desde há uns anos para cá, que se tem vindo a afirmar um grupo de clubes rotulado de “Big-6”, que tem ocupado os seis primeiros lugares da Premier League nas últimas épocas. No entanto, analisando o contexto destes clubes no início da época, Liverpool e Manchester City seriam novamente os principais candidatos ao título.

Os citizens partiram na condição de bicampeões ingleses, mas desde o início da época que enfrentaram um calvário de lesões. As lesões graves de John Stones e Aymeric Laporte forçaram Pep Guardiola a fazer adaptações no eixo defensivo, e o desempenho da equipa ressentiu-se fortemente, sobretudo a nível da transição defensiva.

Já o Liverpool, no estatuto de campeão europeu, partiu para a nova época com uma máquina bem oleada e estruturada, não dando a mínima hipótese à concorrência, conseguindo o registo histórico de 26 vitórias nas primeiras 27 jornadas. A primeira derrota surgiria apenas na 28ª jornada e de forma surpreendente nas mãos do Watford. Só mesmo uma quebra no regresso após a pandemia impediu os reds de baterem o record de pontos na Premier League. Mas o principal já estava feito, quebrar o jejum de campeonatos que já durava há 30 anos, ainda antes da fundação da Premier League.

Anúncio Publicitário