logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Everton FC x Liverpool FC

Everton FC 1-4 Liverpool FC: O passeio dos “Reds” no estádio do lado

A CRÓNICA: UM DÉRBI DE SENTIDO ÚNICO

A jogar a um quilómetro de Anfield, o Liverpool FC deu seguimento aos últimos resultados mais expressivos e foi a Goodison Park derrotar o Everton FC por 4-1, naquele que foi um dérbi de Merseyside de sentido único.

Liverpool, Liverpool e mais Liverpool. Talvez esta seja a descrição perfeita dos primeiros minutos de inteiro domínio dos forasteiros. Matip avisou com um cabeceamento, Salah apareceu com uma dupla oportunidade, mas o tão procurado golo só chegou num remate em arco de Henderson que, aos nove minutos, deu cor ao marcador.

Os Reds não tiraram o pé do acelerador e, pouco depois da ameaça de Alexander-Arnold, foi a vez de Salah cumprir o lema “à terceira é de vez” e ampliar a vantagem na cara do guarda-redes. Tudo isto dentro dos primeiros 20 minutos, altura em que já se viam adeptos dos Toffees a abandonar o estádio

Ora, a realidade é que esses adeptos não puderam festejar o golo de Gray aos 38 minutos, que aproveitou uma fase mais serena do encontro para atirar a bola por baixo das pernas de Alisson e reduzir a desvantagem.

No regresso dos balneários, o Everton até entrou mais coeso por comparação ao primeiro tempo, mas a verdade é que as tentativas de golo só apareciam junto da baliza de Pickford, ora por Mané, ora por Salah. O egípcio tanto tentou que chegou ao bis para lá da uma hora de jogo, aproveitando uma falha clamorosa de Coleman no meio-campo.

Numa noite com vários golos de portugueses noutros campos de Inglaterra e de França, Diogo Jota não faltou à chamada e, apesar de ter estado um pouco mais apagado que o habitual, apareceu no último um quarto de hora para apontar o 4-1 final.

Ainda na segunda metade da tabela, o Everton vê a sua crise de resultados ser agudizada (sem triunfos desde setembro) e vê também o Liverpool a somar mais do dobro dos seus pontos, que passa agora a ter 31, a um de Manchester City FC e a dois do líder Chelsea FC.

 

A FIGURA

Mohamed Salah – Mais uma exibição de gala daquele que é o líder destacado da tabela de marcadores da Liga Inglesa. O avançado de 29 anos apontou dois golos e ainda somou mais três lances de perigo que podiam perfeitamente ter dado outros contornos ao dérbi de Merseyside. A juntar a isso, Salah destacou-se em vários duelos individuais e praticamente não falhou nenhum passe.

 

O FORA DE JOGO

Seámus Coleman – Noite desinspirada do capitão dos Toffes. O lateral-direito pecou na abordagem aos oponentes diretos, falhou vários passes e foi acumulando perdas de bolas, uma das quais foi tão flagrante que permitiu o 1-3 do Liverpool. Algo que não é nada normal no experiente defesa de 33 anos, que ainda revelou muita falta de comunicação com o guardião Pickford.

 

ANÁLISE TÁTICA – EVERTON FC

Rafael Benítez optou por promover duas alterações em relação à equipa inicial que apresentou na derrota por 1-0 diante do Brentford FC:  Demarai Gray rendeu Anthony Gordon na ala esquerda e Richarlison ocupou a vaga deixada por Alex Iwobi na frente de ataque.

A jogar em 4-4-2, os Toffees sentiram muitas dificuldades para travar a avalanche de oportunidades do rival e cederam por diversas ocasiões à intensa pressão ofensiva, somando várias perdas de bola em zonas proibidas. As desconcentrações eram tantas que só aumentavam a intranquilidade tática de uma equipa que já não vence desde setembro.

O primeiro remate à baliza deu golo, é certo, mas o Everton não conseguiu dar seguimento ao momento que poderia ter catapultado a equipa em busca do empate. As entradas em nada mudaram as dinâmicas da equipa e não foi de estranhar que o resultado acabasse em…goleada.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Jordan Pickford (6)

Lucas Digne (5)

Michael Keane (5)

Bem Godfrey (6)

Séamus Coleman (4)

Demarai Gray (7)

Allan (5)

Abdoulaye Doucouré (5)

Andros Townsend (5)

Richarlison (6)

Salomón Rondón (5)

SUBS UTILIZADOS

Anthony Gordon (6)

Fabian Delph (5)

Cenk Tosun (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

Já Jürgen Klopp apresentou apenas uma mudança por comparação aos titulares na goleada por 4-0 frente ao Southampton FC, fazendo regressar Joël Matip para o lugar ocupado por Ibrahmina Konaté no eixo central da defesa.

Alinhados no habitual 4-3-3, os Reds entraram com a corda toda e rapidamente se instalaram no meio-campo adversário, dominando todos os índices estatísticos e mais alguns. Circulação letal de bola, pressão ofensiva, laterais projetados e bola colocada em espaços de finalização. Tudo saía bem ao coeso conjunto orientado por Klopp, que replicou entradas de rompantejá muitas vezes vistas na presente temporada.

Apesar do golo sofrido contra a corrente de jogo, o Liverpool não desequilibrou e continuou a assumir as rédeas da partida, revelando ser a equipa mais esclarecida em campo. O conjunto forasteiro soube aproveitar um erro do adversário numa fase mais equilibrada do encontro e a partir daí tudo fluiu naturalmente, como vem sendo hábito com esta equipa inglesa.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alisson (7)

Andrew Robertson (8)

Virgil van Dijk (7)

Joël Matip (7)

Alexander-Arnold (7)

Thiago Alcântara (7)

Fabinho (6)

Jordan Henderson (8)

Sadio Mané (6)

Diogo Jota (8)

Mohamed Salah (9)

SUBS UTILIZADOS

James Milner (6)

Alex Oxlade-Chamberlain (-)

Takumi Minamino (-)

Já com uma licenciatura em Comunicação Social na bagagem, o Miguel é aluno do mestrado em Jornalismo e Comunicação, na Universidade de Coimbra. Apaixonado por futebol desde tenra idade, procura conciliar o melhor dos dois mundos: a escrita e o desporto.                                                                                                                                                 O Miguel escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

Já com uma licenciatura em Comunicação Social na bagagem, o Miguel é aluno do mestrado em Jornalismo e Comunicação, na Universidade de Coimbra. Apaixonado por futebol desde tenra idade, procura conciliar o melhor dos dois mundos: a escrita e o desporto.                                                                                                                                                 O Miguel escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.

FC PORTO vs CD TONDELA