logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Liverpool x Man City taça

Irá Gerrard fazer o Manchester City FC escorregar à última?

É este domingo que se decide o campeão inglês. Manchester City FC e Liverpool FC chegam à última ronda separados por apenas um ponto. Caso os reds vençam em Anfield frente ao Wolverhampton Wanderers FC, os citizens estão obrigados a conquistar os três pontos na receção ao Aston Villa FC.

A emoção vai estar ao rubro, com as duas partidas a decorrerem à mesma hora. Repete-se o cenário de 2018/2019, quando o título também ficou em aberto até à última jornada. Na altura, o City também chegou à última ronda com vantagem mínima sobre o Liverpool e não a desperdiçou.

MANCHESTER CITY FC OU LIVERPOOL FC, QUEM VAI SER CAMPEÃO INGLÊS? APOSTA NA BWIN.PT!

A turma de Guardiola soma neste momento 90 pontos, resultado de 28 vitórias, seis empates e três derrotas. Um desses empates ocorreu há duas jornadas, na deslocação a casa do West Ham FC, o que permitiu ao Liverpool manter-se na corrida até esta última ronda. A formação de Klopp tem 89 pontos, contando 27 vitórias, oito empates e duas derrotas.

A vantagem do City chegou a ser maior, mas os reds encurtaram sucessivamente a distância neste ano civil. No confronto direto entre as duas equipas, registaram-se empates quer em Anfield quer no Etihad.

Dá-se a curiosidade de ser Steven Gerrard, glória do Liverpool, o treinador do Aston Villa, que pode ajudar a formação de Klopp a roubar o título aos comandados de Pep Guardiola. Mas Gerrard deixou uma ressalva: «Compreendo perfeitamente o ruído externo e as questões que, por vezes, vêm na minha direção e aceito-as. O Liverpool está envolvido na corrida ao título e passei muito tempo lá. Mas é triste quando as pessoas questionam a integridade, visando-me a mim, ao Aston Villa ou a qualquer dos meus jogadores».

Quanto ao jogo de Anfield, é de destacar que Van Dijk e Salah regressaram esta sexta feira aos treinos. Esta é uma boa notícia para os reds, sobretudo tendo em conta que a final da Liga dos Campeões se joga daqui a uma semana. «A minha solução preferida seria que ambos jogassem no fim-de-semana para ganharem ritmo ou começarem no banco e depois entrarem ou não», explicou Klopp.

Origi deve ter minutos, neste que será o seu último jogo em Anfield. Está de saída para o AC Milan. Para Klopp, Origi «será sempre uma lenda do clube». Recorde-se que o avançado foi importante na conquista da Liga dos Campeões em 2019.

 

10 DADOS RÁPIDOS

  1. Em 2018/2019, City e Liverpool discutiram o título até à última ronda, tendo os citizens terminado com 98 pontos e os reds com 97.
  2. Mohamed Salah luta pelo título de melhor marcador da Premier League. Soma 22 golos, contra os 21 de Son do Tottenham.
  3. Salah é também o líder das assistências (13) na Premier League.
  4. Dificilmente o City não será o melhor ataque da prova, pois soma 96 golos marcados e o Liverpool 95.
  5. Há mais dúvidas, contudo, sobre quem vai ser a melhor defesa da competição. Os citizens têm 24 golos sofridos e os reds 25.
  6. Na temporada passada, o Liverpool terminou a Premier League com 69 pontos e o City com 87.
  7. Este pode ser o décimo quinto título do City a nível nacional em dez anos.
  8. Guardiola já venceu três vezes a liga inglesa e Klopp venceu uma.
  9. O Liverpool pode chegar ao vigésimo título de campeão inglês da sua história.
  10. Só o Manchester United tem 20 títulos da Premier League na sua galeria de troféus.

JOGADORES A TER EM CONTA

Rodri (Manchester City) – Foi uma época de alto nível do médio defensivo espanhol e merece aqui esse destaque. A sua consistência parece inabalável.

 

Buendía (Aston Villa) – É o elemento mais perigoso do ataque do Aston Villa e quem deve preocupar mais o City num duelo onde se sabe que o Aston Villa nada tem a perder.

 

Thiago (Liverpool) – Foi poupado no último jogo frente ao Southampton e deve agora regressar em força. Fez uma exibição espantosa frente ao Chelsea na final da FA Cup.

 

Rúben Neves (Wolverhampton) – O médio português dos Wolves é um dos principais manobradores da ideia de jogo de Bruno Lage, que vai querer que a equipa jogue o jogo pelo jogo em Anfield.

 

XI’S PROVÁVEIS

Manchester City FC: Ederson; Cancelo, Fernandinho, Laporte, Zinchenko; Rodri, De Bruyne, Bernardo Silva; Mahrez, Grealish, Gabriel Jesus.

Treinador: Pep Guardiola

“Ganhar a Liga Inglesa é muito mais difícil do que ganhar a Liga dos Campeões. São mais semanas, mais jogos, jogar 38 jornadas é diferente de seis ou sete jogos”.

 

Aston Villa FC: Martínez; Cash, Chambers, Mings, Digne; Douglas Luíz, McGinn, Ramsey; Buendía, Chukwuemeka, Watkins.

Treinador: Steven Gerrard

“Vamos dar tudo no jogo, queremos somar pontos para o Aston Villa, como sempre”.

 

Liverpool FC: Alisson; Alexander-Arnold, Matip, Konaté, Robertson; Fabinho, Henderson, Thiago; Luis Díaz, Diogo Jota, Mané.

Treinador: Jurgen Klopp

“Não estou preocupado com aquilo que o Aston Villa possa fazer, pois isso seria desrespeitar o Wolves, que quer ganhar em Anfield”.

 

Wolverhampton Wanderers FC: José Sá; Boly, Coady, Tote Gomes; Jonny, Rúben Neves, João Moutinho, Ait-Nouri; Pedro Neto, Hwang, Jiménez.

Treinador: Bruno Lage

“City e Liverpool são talvez as duas melhores equipas do mundo”.

 

PREVISÃO DE RESULTADO:

Manchester City FC 2-2 Aston Villa FC

Liverpool FC 2-1 Wolverhampton Wanderers FC

 

Antevisão da opinião de Miguel Bravo Morais.

Artigo revisto por Joana Mendes

O Miguel atualmente reside em Lisboa. Quis seguir Jornalismo, área em que se licenciou na Escola Superior de Comunicação Social, porque gosta de aprender um pouco todos os dias. Na Escola Primária, usava uma camisola do Rui Costa três vezes por semana. Muitas vezes chorou com o futebol. Com o passar dos anos, tornou-se um estudioso do fenómeno. Hoje, o que o faz vibrar é a inteligência tática dos jogadores e das equipas, mas isso não significa que não tenha a mesma paixão, que não chore, que não grite.

O Miguel atualmente reside em Lisboa. Quis seguir Jornalismo, área em que se licenciou na Escola Superior de Comunicação Social, porque gosta de aprender um pouco todos os dias. Na Escola Primária, usava uma camisola do Rui Costa três vezes por semana. Muitas vezes chorou com o futebol. Com o passar dos anos, tornou-se um estudioso do fenómeno. Hoje, o que o faz vibrar é a inteligência tática dos jogadores e das equipas, mas isso não significa que não tenha a mesma paixão, que não chore, que não grite.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA