SITE TEMPORÁRIO

20 de Janeiro, 2022

Diogo Jota Liverpool FC

Liverpool FC 4-0 Arsenal FC: “Reds” vencem e continuam perseguição ao líder

A CRÓNICA: QUEM POUCA ATACA, ACABA (QUASE) SEMPRE POR PERDER

Em perspetiva este era o jogo de cartaz da jornada 12 da Primeira Liga Inglesa. De um lado o poderosíssimo Liverpool FC que parece ter encontrado a sua forma esmagadora, e do outro um Arsenal FC em reconstrução mas que não perdia há 11 partidas e queria dar continuidade ao seu bom momento de forma.

Ainda assim esperava-se que fossem os da casa a mandar, com mais posse de bola e controlo da partida e foi isso que aconteceu desde o primeiro minuto. Do outro lado, a equipa de Mikel Arteta procurou ser muito competente no momento defensivo para depois conseguir sair em contra ataque e ferir a equipa de Alisson.

Na zona mais recuada do terreno as coisas ainda foram correndo mais ou menos bem, com a competência dos homens mais recuados a ser aliada ao grande momento de forma de Ramsdale, que aqui e ali ia fazendo defesas muito importantes. Ainda assim era algo que viria a durar apenas 39 minutos, quando Sadio Mané aproveitou uma bola parada executada de forma perfeita por Alexander-Arnold para fazer o primeiro da partida e o seu sétimo na temporada. Estava feito o primeiro e os visitantes tinham de procurar algo diferente na segunda parte para conseguirem levar tentos de Anfield.

Para a segunda parte esperava-se que o Arsenal FC conseguisse vir com uma outra ideia, mais ofensiva e pressionante, mas a verdade é que foi o Liverpool FC a continuar a assumir as rédeas totais da partida. Pouco ou nada vimos a nível ofensivo dos comandados de Arteta e assim sendo a tendência era para a diferença aumentar.

Pois bem foi isso que aconteceu, desta vez depois de uma falha de Nuno Tavares que ofereceu a bola a Diogo Jota que, com toda a calma, fintou Ramsdale e fez o segundo, confirmando o que era quase evidente.

A partir daqui era esperar que o jogo acabasse e ver por quantos o Liverpool FC conseguia ganhar. No fim foram quatro, com golos de Salah e Minamino, que confirmaram assim a grande diferença que ainda existe entre estes dois conjuntos.

 

A FIGURA

Sadio Mané – Antes do primeiro golo do Liverpool, foi o senegalês que mais tentou e criou dificuldades a Ramsdale, com várias oportunidades criadas e finalizadas. Falhou algumas vezes, mas aos 39 minutos fez o golo inaugural que daria outra calma à equipa para conseguir fazer, a partir dali, o seu jogo que queria, Para além disso esteve sempre muito bem em todos os momentos da partida, tendo conseguido fazer uma assistência, que serve de cereja no topo do bolo. Que exibição.

 

O FORA DE JOGO

Equipa do Arsenal FC – Num jogo tão mal conseguido não dá para escolher aquele que foi o fora de jogo, uma vez que todos os elementos que vestiram de amarelo estiveram um patamar abaixo daquilo que deveriam para encarar uma partida deste calibre. Perderam e perderam bem, nada à imagem daquilo que têm feito nas últimas jornadas do campeonato.

 

ANÁLISE TÁTICA – LIVERPOOL FC

A equipa de Klopp apresentou-se no típico 4-3-3 com uma linha defensiva afetada pela ausência de Robertson, que foi substituído por Tsimikas, e que contou com a companhia dos habituais Van Dijk, Matip e Alexander-Arnold. Um pouco mais à frente Fabinho, como número seis, que desta vez teve perto de si Thiago Alcântara e Oxlade-Chamberlain, o médio mais ofensivo da equipa. Na frente do Liverpool, os habituais Mané e Salah, com o português Diogo Jota a atuar como atacante mais no centro, no lugar normalmente ocupado pelo agora lesionado Roberto Firmino. A ideia de jogo já se sabe, uma equipa muito pressionante, muito rápida a sair para o ataque e sempre muito objetiva e vertical nas suas ações.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Alisson (7)

Alexander-Arnold (7)

Matip (6)

Van Dijk (7)

Tsimikas (6)

Fabinho (7)

Thiago (7)

Oxlade-Chamberlain (6)

Salah (8)

Diogo Jota (7)

Sadio Mané (9)

SUBS UTILIZADOS

Minamino (7)

Henderson (6)

Morton (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – ARSENAL FC

Mikel Arteta dispôs a equipa num 4-4-1-1 com duas linhas de quatro bem juntas, dando alguma liberdade na frente a Lacazette e Aubameyang, que deveriam aproveitar essencialmente os momentos de contra ataque para ferir a equipa contrária. Na linha defensiva atuaram Tomiyasu, Ben White, Gabriel e Nuno Tavares, com Thomas Partey e Lokonga logo à sua frente no centro do terreno. Nas alas atuaram Saka pelo direita e Smith-Rowe pela esquerda, num jogo muito difícil para ambos. Como referido, a equipa do Arsenal FC procurou defender bem e depois conseguir sair para o contra ataque, algo que raramente aconteceu com qualidade. Defensivamente as coisas começaram a descambar depois do segundo golo e por isso o resultado tão desnivelado no final da partida.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ramsdale (8)

Tomiyasy (6)

Ben White (5)

Gabriel (5)

Nuno Tavares (4)

Saka (5)

Thomas Partey (6)

Lokonga (6)

Smith-Rowe (5)

Lacazette (5)

Aubameyang (5)

SUBS UTILIZADOS

Maitland-Niles (5)

Odegaard (5)

Elneny (-)