logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

AC Milan x Nápoles

AC Milan 0-1 SSC Nápoles: Vitória pela margem mínima garante segundo lugar aos napolitanos

A CRÓNICA: MUITA TÁTICA, POUCA MAGIA

Em vésperas de entrarmos na época natalícia, para os adeptos do futebol italiano, o Natal chegou mais cedo, com a jornada 18 do campeonato transalpino a trazer-nos um duelo de titãs entre AC Milan e SSC Nápoles, duas equipas que ocupam o pódio na tabela classificativa.

No mítico palco que é o estádio Giuseppe Meazza – também conhecido como San Siro -, o encontro não podia ter começado de melhor maneira para a formação visitante, que se adiantou no marcador, logo à passagem do quinto minuto, por intermédio de Elmas, que respondeu da melhor maneira a um canto cobrado por Zieliński. O Milan mostrou dificuldades em responder de imediato ao tento sofrido, mas foi mostrando algum ascendente com o decorrer do tempo de jogo. Ainda assim, as oportunidades escassearam para ambos os lados no primeiro tempo, com a partida a mostrar-se muito tática, e a formação de Nápoles foi para o intervalo com a vantagem mínima no marcador.

Na segunda parte, o Milan entrou melhor nos minutos iniciais, tentando visar, com alguma pressa, a baliza adversária, mas cedo os napolitanos voltaram a assumir a posse, e a “empurrar” as linhas adversárias. No último quarto de hora do encontro, o Milan arriscou e subiu ainda mais as suas linhas, pressionando o Nápoles e criando algumas ocasiões de golo. O tão ambicionado tento acabaria por surgir, por intermédio de Kessie, em cima do minuto 90, para grande festa dos caseiros, mas o lance acabaria por ser anulado devido a um fora de jogo, para alívio dos visitantes.

Assim, com este importante triunfo, o Napoli sobe ao segundo posto da tabela classificativa, reduzindo a distância para o FC Internazionale Milano em quatro pontos. Já o AC Milan perde um lugar e cai para o terceiro lugar, ainda que em igualdade pontual com o Nápoles.

 

A FIGURA

Amir Rrahmani – O central foi, a meu ver, o melhor em campo. Mostrou-se um autêntico patrão na defensiva do Nápoles, na ausência de Koulibaly. Um grande jogo do defesa kosovar.

 

O FORA DE JOGO

Brahim Díaz – O espanhol de 22 anos foi, na minha opinião, o elemento mais fraco em campo. Falhou em servir o avançado sueco Zlatan Ibrahimović, bem como ocupar os espaços entrelinhas cedidos pelo Nápoles. Uma prestação fraca do médio.

 

ANÁLISE TÁTICA – AC MILAN

Os pupilos de Stefano Pioli, dispuseram-se no terreno de jogo num sistema tático de 4-2-3-1. Sem o internacional português Rafael Leão, que continua indisponível por lesão, Zlatan Ibrahimović assumiu o destaque da frente de ataque “rossoneri”. O AC Milan mostrou dificuldades em chegar com perigo à baliza adversária, excetuando um ou outro momento em que remates de média e longa distância requereram a atenção do guarda-redes adversário. O espaço cedido entrelinhas também foi algo problemático ao longo do encontro, mas acabou por não causar prejuízo efetivo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Maignan (6)

Florenzi (7)

Tomori (7)

Romagnoli (7)

Ballo (7)

Tonali (6)

Kessie (6)

Messias (6)

Díaz (5)

Krunić (6)

Ibrahimović (6)

SUBS UTILIZADOS

Giroud (6)

Saelemaekers (6)

Bennacer (6)

Castillejo (6)

Kalulu (-)

 

ANÁLISE TÁTICA – SCC NÁPOLES

Já os comandados de Luciano Spalletti, perfilaram-se num dispositivo tático base, também ele em 4-2-3-1. Numa equipa titular com muitas ausências de peso, a maior surpresa terá sido mesmo a presença de Dries Mertens no banco e não no onze inicial. A formação visitante mostrou-se bem organizada, preocupando-se mais em fechar espaços, do que propriamente jogar um futebol vertical e de ataque, valorizando muito o momento da posse de bola, principalmente após o golo, que surgiu muito cedo na partida.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Ospina (7)

Di Lorenzo (6)

Rrahmani (7)

Jesus (7)

Malcuit (6)

Demme (6)

Zieliński (7)

Lozano (6)

Anguissa (6)

Elmas (7)

Petagna (6)

SUBS UTILIZADOS

Lobotka (6)

Politano (6)

Ounas (6)

Mertens (6)

Ghoulam (-)

Licenciado em Comunicação Social, o Pedro procura construir os alicerces de uma futura carreira como jornalista desportivo. Apaixonado por futebol, nunca diz que não a uma boa partida do desporto rei.

Licenciado em Comunicação Social, o Pedro procura construir os alicerces de uma futura carreira como jornalista desportivo. Apaixonado por futebol, nunca diz que não a uma boa partida do desporto rei.

FC PORTO vs CD TONDELA