O regresso de Antoine Griezmann ao Club Atlético Madrid é mesmo uma realidade, tendo sido uma das grandes bombas do último dia do mercado de transferências deste verão.

O internacional francês, que em 2019 havia assinado com os blaugrana um contrato válido por cinco temporadas, mudou-se novamente para a capital espanhola, depois de dois anos de pouco sucesso em Camp Nou.

O avançado francês foi emprestado pelo FC Barcelona ao Club Atlético de Madrid até ao final da temporada. O empréstimo terá um custo de dez milhões de euros, ficando a formação de Diego Simeone com uma cláusula de compra obrigatória fixada em 40 milhões de euros.

Antoine Griezmann regressa, assim, a uma casa onde já foi bastante feliz, e as expectativas estarão, certamente, em alta, tendo em conta o que o atleta gaulês já demonstrou em território espanhol e com o símbolo dos “índios” ao peito.

Anúncio Publicitário

Os números, que vão crescer, entretanto, são bem elucidativos: cinco temporadas (todas com Simeone como timoneiro), nas quais registou 257 jogos e 133 golos.

Um trilho de glória ao serviço dos colchoneros, onde aterrou em 2014, proveniente da Real Sociedad de Fútbol – clube pelo qual fez a estreia no futebol sénior.

O avançado francês, que acompanhou a transição dos “rojiblancos” do mítico Vicente Calderón para o novo Wanda Metropolitano, foi um dos principais responsáveis pela caminhada do Club Atlético de Madrid até à final da UEFA Champions League de 2016 (perdida para o arquirrival Real Madrid CF) e para os triunfos de 2018 na UEFA Europa League (3-0 sobre o Olympique de Marselha, com bis do atleta gaulês) e na Supertaça Europeia.

Antoine Griezmann juntar-se-á a nomes como Luis Suárez, Ángel Correa, Yannick Carrasco, João Félix e à mais recente contratação, o brasileiro Matheus Cunha. Uma frente de ataque de sonho que “El Cholo” terá à sua disposição para a defesa do título de campeão da liga espanhola.

Virtuosidade, classe e poder de decisão e finalização são alguns dos atributos que “Le Petit Diable” trará ao conjunto madrileno e que fará, indubitavelmente, as delícias de todos os seus aficionados.

Quer em transição pela velocidade a que vai embora e desequilibra ou em organização pela qualidade com que recebe, enquadra e decide a enorme velocidade, Antoine Griezamann promete ser um dos destaques do campeonato de “nuestros hermanos”, especialmente se recuperar a paixão pelo jogo e a confiança que lhe faltou em grande parte da sua estadia em Barcelona.

No contexto certo e numa formação onde possa voltar a demonstrar toda a sua magia e preponderância, o francês afigurar-se-á como um alavanque de qualidade no último terço da equipa e como uma verdadeira dor de cabeça para todos os seus oponentes.

Os 40 milhões de euros estipulados para a cláusula de compra que o Club Atlético de Madrid irá exercer, face aos 120 milhões que o FC Barcelona desembolsou pelo avançado em 2019 (o valor da sua cláusula de rescisão, na altura), são reflexo da pouca notoriedade de que Griezmann granjeou na Catalunha (a par da extrema carência financeira do FC Barcelona). Os 35 golos apontados em 102 partidas com a camisola do FC Barcelona não deslumbraram, fruto de uma irregularidade coletiva latente.

O declínio da formação blaugrana tornou-se evidente nas últimas duas épocas, com resultados desportivos um pouco aquém do esperado. Contudo, este cenário não se cinge ao que se passa em campo, bem pelo contrário: o desnorte diretivo mostrou-se nocivo e nem Messi se mostrou capaz de salvar uma equipa desconjuntada.

Nem mesmo Quique Setién ou Ronald Koeman conseguiram extrair todas as potencialidades do atleta gaulês, que nunca encaixou verdadeiramente no sistema tático de ambos.

Agora, com a mudança para o Wanda Metropolitano, Griezmann vê assim renovada a hipótese de voltar a brilhar no regresso a casa, onde Diego Simeone deverá estar em êxtase e de braços abertos para o receber… e com um onze de “ficção científica” pronto para atacar a presente temporada.

Artigo revisto por Gonçalo Tristão Santos

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome