cab premier league liga inglesa

“Não sejas agressiva

Senta-te e respira

Ainda agora entraste e estás a pensar na saída”

Assim começa o refrão de uma das músicas mais conhecidas de Dillaz, um dos fortes representantes do hip hop português actualmente. Foi divulgada em 2013,  pelo que não há maneira de estar relacionada com a jornada quatro da edição 2015/2016 da Premier League, porém, o excerto retirado de “Não sejas agressiva” bem podia ser usado como repto por Steve McClaren (Newcastle), Mark Hughes (Stoke) e Alex Neil (Norwich) aos seus jogadores, cujas entradas agressivas nos respectivos encontros foi factor decisivo para os desaires das respectivas equipas: o primeiro viu cinco jogadores serem admoestados com cartões nos primeiros 26 minutos do encontro com o Arsenal, em St. James Park, sendo que um deles foi mesmo expulso (Mitrovic), o que facilitou a tarefa aos gunners, que venceram, ainda que pela margem mínima e com um auto-golo de Coloccini; o segundo, duas horas mais tarde, nem quis acreditar quando Afellay, respondendo a uma entrada mais dura, atingiu Gardner com uma chapada que lhe valeu a expulsão, a primeira de duas no espaço de seis minutos, pois também Charlie Adam viria a ser admoestado com o vermelho (pisou, perigosa e desnecessariamente, Dawson), estando decorridos… 31 minutos (!), uma circunstância invulgar e que o West Bromwich Albion aproveitaria para se impôr no terreno, saindo de Stoke-on-Trent com a primeira vitória da temporada; o terceiro viu Whittaker ser expulso, por acumulação de amarelos, também ao minuto 31, o que facilitou a tarefa do já favorito Southampton, que chegou, tranquilamente, à vitória (3-0, marcaram Pellè e Tadic, com o sérvio a bisar).

A agressividade, porém, não ficou por aqui nesta última jornada da Premier League antes da pausa para selecções. Philippe Coutinho acumulou amarelos e foi expulso no duelo entre Liverpool e West Ham, em Anfield, que complicou ainda mais as contas da sua equipa, que já se encontrava a perder por 0-2 e viria a ser derrotada por claros 0-3 num jogo em que o treinador dos hammers (ver treinador da jornada), Slaven Bilic, merece o crédito de um triunfo com implicações no topo da tabela…

Ayew e Gomis: a dupla de “arquitectos” responsável pela construção de um sensacional Swansea neste início de época Fonte: Facebook do Swansea
Ayew e Gomis: a dupla de “arquitectos” responsável pela construção de um sensacional Swansea neste início de época
Fonte: Facebook do Swansea

… à semelhança da derrota do Manchester United em casa do Swansea, onde os anfitriões também dominaram a equipa que seria, à partida, a favorita, com mais uma exibição de gala da dupla Andre Ayew (ver jogador da jornada)/Bafetimbi Gomis, autores dos golos da reviravolta justíssima que sentenciou o 2-1 final no Liberty Stadium, provocando mais um deslize num candidato ao título, à semelhança do que também fez o Crystal Palace ao Chelsea, impondo o mesmo resultado ao campeão inglês, provocando a segunda derrota (em 100 jogos) para a Premier League a José Mourinho enquanto treinador do Chelsea em Stamford Bridge. “Não sejas agressiva” trata de uma relação conturbada, a caminho do abismo e, embora não seja caso para tanto, pode-se relacionar com estes dois casos, pois a relação entre Mourinho e Chelsea e Van Gaal e Manchester United já conheceu melhores dias.

Aproveita, assim, o Manchester City para se distanciar dos rivais directos na luta pelo título, impondo-se, jogo após jogo, como foi o caso do duelo caseiro frente ao Watford, ganho por 2-0, com golos de Sterling (estreia a marcar em jogos oficiais ao serviço dos citizens) e Fernandinho (já leva dois na conta pessoal nesta época).

O resto da jornada só teve empates: em White Hart Lane, o Tottenham não conseguiu concretizar oportunidades claras de golo e o Everton segurou o nulo até final; em Bournemouth, os locais começaram a vencer com um golaço de Wilson, de pontapé de bicicleta (já leva quatro  golos na Premier League), mas, na segunda parte, Vardy, após ser travado em falta na área, converteu a grande penalidade que fixou o resultado final; no Villa Park, 2-2 entre Sunderland e Aston Villa num jogo com muita emoção, mudanças no marcador e um bis de Scott Sinclair.

Ao fim de quatro jornadas, o City lidera a Premier League com 12 pontos, 10 golos marcados e nenhum sofrido, num domínio claro sobre os rivais, que só podem pedir a esta equipa que não seja tão… “agressiva”. Os citizens olham para baixo e, em vez de verem os seus adversários directos, vêm as surpresas deste início de Premier League – Crystal Palace (2º, 9 pontos), Leicester e Swansea (dividem o 3º posto, com 8 pontos) não praticam um futebol estonteante mas é eficaz. Como Dillaz diz, “Não precisam de ser ‘pirotécnicos para chegar aos pirinéus’.”

Jogador da jornada: Andre Ayew (Swansea City)

O Manchester United sofreu os primeiros golos da temporada. Sergio Romero andava a ter um comportamento irrepreensível, abrilhantado com uma ficha limpa no registo, mas o ganês fez questão de estragar tudo. Primeiro, de cabeça, assinou o golo do empate, depois assistiu Gomis para o tento da reviravolta.

O atacante assumiu, mais uma vez, papel preponderante, sobretudo na fase em que a equipa pareceu cair de rendimento após o golo (contra a corrente, diga-se) do United, puxando pelos seus colegas, desempenhando o papel de perfeito motivador, culminado com um golo e uma assistência.

Treinador da jornada: Slaven Bilic (West Ham United)

“Pusemos o autocarro, mas não accionámos o travão de mão”. Assim explicou Slaven Bilic a forma como bateu o Liverpool, em pleno Anfield Road, inflingindo a primeira derrota aos reds no campeonato e, também, os primeiros golos sofridos da actual campanha.

O croata soube “guiar” o autocarro da melhor forma, movendo-o com mestria de forma a não permitir ultrapassagens bruscas, e a verdade é que, dessa forma, conseguiu neutralizar o ataque da equipa de Brendan Rodgers, teoricamente favorita à partida.

Bilic vence o Liverpool depois de, na primeira jornada ter derrotado o Arsenal. Essas vitórias deram ao West Ham os seis pontos que detém neste momento. O técnico dos hammers vai ganhando fama de tomba gigantes e recebe, de forma inteiramente merecida, o segundo prémio de treinador da jornada para o Bola na Rede.

Foto de Capa: Facebook do Man City

Comentários