Das equipas apuradas para os quartos-de-final da Liga dos Campeões, o Liverpool é talvez a que mais se destaca. Não por ser a favorita a conquistar a prova, mas porque é muito difícil afirmar qual o seu verdadeiro valor. Num dia bom, o clube de Anfield já mostrou ser capaz de derrotar qualquer adversário. Por outro lado, a irregularidade da equipa, que muitas vezes faz com que perca jogos com clubes pequenos, e não consiga somar várias vitórias consecutivas, é demasiado evidente para não ser tida em conta numa fase tão decisiva da Liga dos Campeões.

Tendo pela frente um duelo com o Manchester City, na prova elite de clubes na Europa, os Reds podem, se jogarem o seu melhor futebol, ser um candidado à vitória tão legítimo como Real Madrid ou Barcelona.

Com um estilo de jogo muito ofensivo, caracterizado pela pressão alta, capacidade de trabalho do coletivo, e a velocidade e mobilidade dos seus jogadores da frente, como Salah, Firmino ou Mané, o Liverpool é uma equipa com qualidades muito particulares. Embora tenham algumas fragilidades defensivas, a intensidade com que o conjunto de Merseyside ataca os adversários, e a facilidade com que consegue fazer golos, tornam qualquer jogo em que a equipa entre num grande espetáculo de futebol.

Com as ideias de Klopp já fortemente implementadas no clube, o Liverpool tem feito, ainda que lentamente, o caminho de regresso à grandeza do passado. Desde a chegada do alemão a Anfield, os Reds, mesmo não tendo conquistado nenhum título, ganharam uma mentalidade vencedora, que há muito tinham perdido. Atualmente. o Liverpool entra em qualquer competição para vencer, e é essa a grande diferença desta equipa para outras de anos anteriores.

Anúncio Publicitário

Com um passado de muitas conquistas, na Europa e a nível interno, o conjunto de Anfield convive há muitas temporadas com a pressão dos adeptos, que anseiam que o clube volte a ganhar com a regularidade de outras décadas. Afinal, tirando a Taça da Liga, conquistada em 2012, o Liverpool não vence troféus há mais de 10 anos. Os últimos, ainda que importantes, como a Liga dos Campeões em 2005, e a Taça de Inglaterra em 2006, foram apenas triunfos pontuais, e não o início de uma nova era de domínio do Liverpool no futebol europeu.

Salah tem sido a grande figura do Liverpool esta temporada
Fonte: Liverpool FC

Com 18 campeonatos conquistados, e cinco Ligas dos Campeões, os Reds são das equipas mais tituladas da Europa. Das conquistas na Champions, quatro foram obtidas entre 1977 e 1984, no período áureo do clube. Nessa altura, e por mais alguns anos, até ao início da década de 90, o Liverpool continuou a ser forte internamente. No entanto, com o aparecimento da Premier League, a situação alterou-se.

A entrada de novas receitas televisvas permitiu às equipas de Inglaterra ter maior orçamento, e passou a haver vários clubes com possibilidades de lutar por títulos. O surgimento do Manchester United como grande potência, com um plantel jovem, sob o comando de Alex Ferguson, depois também de anos sem conquistar títulos, acabou, de vez, com o domínio do Liverpool. Os Reds continuaram a ter grandes jogadores, ficaram em segundo lugar várias vezes na Premier League, conquistaram taças, a Liga dos Campeões e a Liga Europa, mas deixaram de ser vistos como um gigante europeu.

É cedo para dizer que a equipa recuperou essa grandeza, mas, com Klopp, o Liverpool mudou em vários aspetos. O treinador ex-Dortmund conseguiu que os adeptos voltassem a estar com a equipa, e o mítico estádio de Anfield tem sido, de novo, um terreno muito difícil para os adversários.

A história do Liverpool nas competições europeias é, neste momento, um grande incentivo para o encontro dos quartos-de-final frente ao Manchester City. Com a ambição de mostrar que está de regresso à elite europeia, a equipa parte como menos favorita para a eliminatória, mas também tem a seu favor o facto de se sair bem nos jogos grandes, e de ter sido o único clube a vencer, de forma clara, o City esta época.

Numa das eliminatórias mais equilibradas dos quartos-de-final da Champions, resta à equipa de Salah jogar ao seu melhor nível. Pois, apesar de inconstante, um Liverpool no topo das suas capacidades, e motivado, é suficientemente forte para passar esta eliminatória. E, atingindo as meias-finais, afirma-se como um sério candidato à vitória na competição.

Foto de Capa: Liverpool FC