A equipa galesa dos Swans ateima em não aparecer em grande nível este ano. Primeiro há que contextualizar. O Swansea City é uma equipa galesa que subiu num passado muito recente à Premier League, mais concretamente no ano de 2010/2011, no qual garantiu a 3ª presença na liga de topo do Reino Unido, em toda a sua história.

A equipa comandada, na altura, por Brendan Rodgers conseguiu um grande 11º lugar, algo histórico para um clube relativamente modesto. As estrelas da equipa foram jogadores como Sigurdsson, atualmente no Tottenham; Joe Allen, do Liverpool; Scott Sinclair, que acabou por ingressar no City; Ashley Williams e Michael Vorm, que ainda estão no clube. A grande época ditou a saída do treinador para o Liverpool, onde ainda hoje se encontra.

Michael Laudrup / Fonte: EPLindex.com
Michael Laudrup / Fonte: EPLindex.com

Contudo, esta saída permitiu a entrada de Michael Laudrup, que desde logo se destacou por dar ao clube um futebol muito atrativo e de elevada qualidade, caracterizado por um grande poder ofensivo. O ataque era liderado por Michu, um médio que chegara no mesmo ano e depressa foi colocado numa posição mais ofensiva. Era acompanhado por jogadores como De Guzmán, Nathan Dier e Pablo Hernández. Este ano tornou-se histórico para o clube, que acabou por erguer a Capital One Cup (Taça da Liga), com uma vitória por 5-0 frente ao surpreendente Bradford City, dando ao clube o seu primeiro grande troféu.

Findo este ano, a nova época prometia e muito. O treinador manteve-se, bem como toda a filosofia de jogo, e chegaram jogadores como Wilfried Bony, o melhor marcador da Liga Holandesa, Cañas e Pozuelo, provenientes do Real Betis e Jonjo Shelvey, um jovem promissor do Liverpool. Esperava-se que, no mínimo, o Swansea City mantivesse o nível de jogo da época transata.

A verdade é que tal não aconteceu e é uma equipa que ainda à procura da melhor forma. Bony não se adaptou tão rápido quanto o esperado e Michu tem estado aquém das expectativas. Criou-se mesmo uma Michu-dependência, pois o estilo de jogo da equipa depende em demasia do espanhol.

Michu e Wilfried Bony / Fonte: soccernews.com
Michu e Wilfried Bony / Fonte: soccernews.com

Os Swans encontram-se no modesto 13º lugar, com apenas uma vitória nos últimos oito jogos oficiais, entre os quais se contabilizam três jogos para a Liga Europa e cinco para a Premier League. Foram também eliminados da Capital One Cup pelo Birmingham. Vale, assim, o atual segundo lugar na fase de grupos da Liga Europa mas precisam de ganhar o último jogo contra o St. Gallen, na Suíça, para assegurar a qualificação.

Na minha opinião, é uma equipa que terá muito a dar ao futebol inglês, com um treinador que mostrou uma enorme capacidade e vontade de elevar a qualidade do clube. Tem sido uma época algo decepcionante mas convém realçar a inexperiência do clube na alta roda europeia.

É preciso dar tempo às coisas e tenho a certeza de que Bony e Michu vão entrar numa boa forma e levar o Swansea a mais uma época de bom nível. Fico à espera para ver o que acontece. Deste clube só espero o melhor, dado o seu histórico de boa gestão, com enorme cautela e investimentos de real valor.

Comentários

Artigo anteriorEnsaio sobre a cegueira, constante
Próximo artigoDragões em chamas!
O João Martins é um apaixonado pela Premier League e pelo Sporting. Diz que a sua maior tristeza é ver os seus clubes favoritos afastados dos troféus principais. Seja em Inglaterra, com o Arsenal, ou em Portugal, com o seu clube.                                                                                                                                                 O João escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.