Cabeçalho Futebol Internacional

1996. Este foi o ano em que chegou ao Arsenal um técnico que viria a ser um dos mais marcantes do clube de Londres. Chegava do Japão, depois de ter treinado o AS Mónaco e o Nancy em França, e já com alguns títulos na bagagem, Arsène Wenger, com o objetivo de aumentar o recheio da sala de troféus do clube. O Arsenal continuou a colecionar conquistas com o técnico francês, mas nos últimos anos essas não têm sido conseguidas com a mesma frequência dos anos passados, razão pela qual cada vez mais adeptos gunners sentem necessidade de exprimir o seu descontentamento em relação ao comando de Wenger da equipa londrina, fazendo aumentar a pressão sobre o treinador que está ao leme da equipa há mais de 20 anos, apesar de rumores recentes indicarem uma alegada renovação de contrato por mais um ano.

Já não é de agora. As críticas ao trabalho de Arsène Wenger no Arsenal sempre existiram (que treinador nunca foi criticado?), mas a verdade é que se têm vindo a acentuar à medida que a estadia do francês no Highbury/Emirates se vai tornando mais longa, e nesta época tomaram proporções nunca antes vistas no seio dos adeptos do clube.

A 21ª época de Wenger no clube não tem corrido da melhor forma. Depois de mais uma vez ter visto o título “fugir” para outro clube, e uma vez que se encontra apenas na sexta posição da classificação da Premier, o Arsenal volta a virar-se para o único troféu que resta na época – a Taça de Inglaterra, até porque o sonho de vencer a Liga dos Campeões voltou a esbarrar num colosso europeu, desta vez o Bayern München, por números bastante expressivos (2-10 no agregado) nos oitavos de final, ronda da qual não passa desde 2010. Esta tem sido realmente uma das piores épocas desde que o treinador chegou ao banco do Arsenal, mas o que verdadeiramente fez despoletar a onda de críticas e descontentamento por parte dos aficionados do clube em relação a Wenger terá sido o já relativamente grande ciclo de insucessos na Liga e nas competições europeias iniciado na época seguinte ao último campeonato conquistado pelos gunners, que ocorreu em 2003/2004.