Alexandre Nascimento Costa Silva, conhecido no mundo do futebol por Xande Silva, partiu para Londres no Verão passado à procura de afirmar o seu espaço no West Ham United FC. Depois de prometer muito quando ainda era juvenil, de um período algo conturbado em Guimarães, parece ter encontrado um espaço de conforto nos Hammers, inclusive, estreando-se na Premier League no passado fim-de-semana.

Mas vamos por partes. Xande chegou ao Sporting CP em 2009, para jogar nos sub-13, e por aí se manteve até aos sub-17, afirmando-se como uma das principais figuras do futebol juvenil em Portugal. Nesse mesmo ano de 2014, foi uma das principais figuras da seleção portuguesa no Europeu de sub-17, numa equipa da qual faziam parte, entre outros, Rúben Neves, Ruben Dias e Renato Sanches. Findada a competição, transferiu-se para o Vitória SC.

Chegou a Guimarães rotulado como melhor jogador da sua geração, criando grande impacto e expectativas nos adeptos vitorianos. E a verdade é que impressionou e, após uns jogos pelos sub-19 vimaranenses, saltou logo para a equipa B, chegando mesmo a estrear-se na equipa principal. Na época seguinte, foi aposta regular de Sérgio Conceição na equipa A, parecendo ser um valor seguro dos vimaranenses.

No entanto, de uma época para outra, quase que se eclipsou, cumprindo pouco mais de 100 minutos pela equipa A e não sendo também opção regular nos «bês». Na época passada, voltou a dececionar, ao somar apenas dois jogos pela equipa A e 11 pela B, sem qualquer golo apontado. O jogador estava a estagnar (jogou mais com 18 anos do que com 21), parecendo ser mais um dos casos de jogadores que prometem muito nos escalões de formação, mas que desaparecem enquanto séniores. A juntar a isso, alguns comportamentos mais extravagantes fora de campo não agradavam aos adeptos vimaranenses e não lhe terão permitido dar o salto qualitativo que lhe parecia destinado.

Fonte: West Ham United FC

Eis que, numa manobra de mercado algo estranha e surpreendente, o West Ham United FC avança para a contratação do jovem português, desembolsando 1,5M€, com mais 2M€ dependentes de objetivos. Apesar de ter uma cláusula de rescisão de 15M€, o negócio foi visto com bons olhos por parte dos responsáveis vimaranenses, pois o jogador não contava para Luís Castro e já tinham perdido a conta às possíveis «épocas de afirmação» de Xande.

Xande chega a terras de Sua Majestade para atuar pelos sub-23 dos Hammers e, na sua estreia, aponta um hat-trick em apenas 6 minutos! Que melhor início poderia ter? Nos dois jogos seguintes, voltou a picar o ponto, sendo chamado a treinar com a equipa principal. No entanto, uma lesão no início de setembro travou-lhe o ímpeto, obrigando-o a parar dois meses. No jogo de regresso à competição, bisou, consumando 7 golos em 6 jogos pelos sub-23 e voltou a ser chamado aos treinos da equipa principal. Desta vez, e também devido ao elevado número de indisponíveis, Manuel Pellegrini levou-o para o banco de suplentes em quatro ocasiões, optando por lança-lo no último quarto de hora do jogo frente ao Burnley. A equipa estava em desvantagem e Xande entrou para agitar o jogo e até ficou perto do golo, num remate desviado pela defesa. “Foi um sonho tornado realidade, trabalho todos os dias para isto” – afirmou o avançado português.

A vida de Xande Silva deu uma volta de 180 graus nos últimos seis meses: de segunda opção na equipa B do Vitória SC à Premier League. A ousadia do miúdo fê-lo agarrar esta oportunidade com unhas e dentes, quando já se pensava que seria mais um caso perdido. São já vários os casos de jovens portugueses que saem para Inglaterra e se conseguem afirmar, uma via cada vez mais interessante para chegar ao topo.

Esperamos que Xande Silva dê seguimento a este início de época prometedor já amanhã, em jogo para a Taça de Inglaterra. Como diriam os adeptos dos Hammers, «COME ON YOU IRONS!» COME ON YOU, XANDE!

Foto de capa: West Ham United

Artigo revisto por: Rita Asseiceiro

Comentários