Nos últimos anos a Juventus tem melhorado cada vez mais o seu plantel, tornando-se uma das super-potências da Europa do futebol. Há nomes sonantes para todos os sectores do campo e, com a chegada de Cristiano Ronaldo a Turim, a vecchia signora está num completo auge de opções, especialmente no ataque. Com jogadores em menor ou maior forma nos últimos tempos, é difícil gerar consenso em quem pode servir ou juntar-se a CR7 na tarefa de fazer agitar as redes adversárias na próxima temporada.

Marcar muitos golos não significa ser campeão e vice-versa. A Juventus foi o segundo melhor ataque (86) da última edição da Série A, atrás da Lazio (89) que terminou o campeonato no quinto lugar e com o ponta de lança italiano Ciro Immobile a levar a bota de ouro transalpina (29 golos). O mesmo dado se repetiu há duas (2016/2017) e três (2015/2016) temporadas. A Juventus foi campeã em ambos os anos, mas sempre marcou menos golos que o Nápoles e a Roma. É preciso estarmos entre as temporadas 2013/2014 (80GM) e 2014/2015 (72GM) para vermos novamente o clube de Turim a ser o melhor ataque do calcio.

Para baralhar ainda mais: Del Piero foi o último melhor marcador da Liga Italiana pela Juventus, na temporada 2007/2008, com 21 golos. Está aqui um ‘borrego’ que CR7 ‘pode matar’. Nessa altura, Cristiano Ronaldo ainda estava por Inglaterra, no Manchester United, a cumprir a penúltima época ao serviço dos red devils. Por acaso, também foi o melhor marcador da Premier League, com 31 golos.

Se o plantel já era de luxo… Massimiliano Allegri conta agora com Cristiano Ronaldo
Fonte: Juventus FC

Dado ao mediatismo e história que o Real Madrid tem no futebol, muito se tem especulado nos últimos dias quem será o substituto de Cristiano Ronaldo. Todavia, não nos podemos esquecer que o internacional português, por ter a capacidade de concretização que todos tão bem conhecemos, cumpre (quase sempre) tarefas atacantes e é sempre o jogador que fica mais adiantado no terreno. Mas nunca joga lá à frente sozinho. O internacional português continua sempre a ser designado como um extremo esquerdo, mas nos últimos anos no Real Madrid, e especialmente na Seleção Nacional, vemos CR7 cada vez mais ao centro, sempre em sintonia com um ou mais companheiros.

Em dupla ou tridente atacante, as qualidades de Cristiano continuam lá. Sozinho, nem ele, nem ninguém seria capaz de chegar a grandes números de golos. Taticamente falando, a Juventus foi uma escolha acertada para o que pode restar da carreira de Ronaldo. Os italianos costumam jogar com um ataque a três, em dupla ou até apenas com um ponta de lança, havendo um segundo avançado no apoio.

Anúncio Publicitário

Nos ilustres nove anos ao serviço dos merengues, Cristiano Ronaldo não se pode queixar das companhias. Raúl, Higuain, Benzema, Ruud van Nistelrooy, Morata, Di Maria, ‘Chicharito’ Hernandéz e mais recentemente Gareth Bale foram os companheiros de ataque de CR7 no Real Madrid.  Agora, quem é que lhe espera na Juventus para levar o clube a mais golos e conquistas? Quem pode ser o parceiro de ataque ideal? Só cabem lá 11…