A Juventus até começou a vencer no Olímpico de Roma, mas acabou por ser derrotada por três bolas a uma pela Lazio. O golo de Cristiano Ronaldo, ao minuto 25, foi insuficiente para que a equipa de Turim capitaliza-se no empate do rival Inter.

Os minutos iniciais do encontro mostraram uma Juventus a querer assumir a posse, com Matuidi a jogar pela ala esquerda e Bernardeschi pela direita, no momento do desdobramento ofensivo. No entanto, foi a Lazio que dispôs da primeira oportunidade de perigo da partida, com um remate de Immobile já perto da zona da pequena área, mas que foi desviado por Bonucci para canto. A resposta da equipa de Turim surgiu minutos depois, por Paulo Dybala, e de um jeito que este tanto gosta: com um remate em jeito a partir da entrada da área adversária. O argentino ainda voltou a ameaçar, tentando um golo olímpico de canto direto, mas Strakosha socou a bola em cima da linha. Estavam lançados os dados para que esta fosse uma grande partida.

No plano mais tático, se é verdade que os “bianconeri” apostavam numa construção mais pausada e com mais critério, os “biancocelesti” tentavam surpreender através de saídas rápidas, projetando os dois alas e procurando as presenças de Correa e Immobile na zona mais central. Perante estas subidas de Lazzari e Lulic, os homens das laterais da Lazio, eram Cristiano Ronaldo e Federico Bernardeschi quem ficava com mais espaço para jogar, juntando-se a Paulo Dybala e igualando-se numericamente aos três centrais escalados por Simone Inzaghi.

As oportunidades de perigo andaram desaparecidas durante alguns minutos, mas quando reapareceram, foi para fazer mexer o marcador. Cristiano Ronaldo jogou de costas para a baliza, abriu em Bentancur, que estava posicionado mais à direita, e foi novamente buscar a bola, aparecendo ao segundo poste e utilizando o seu instinto de goleador para estar no sítio certo e “faturar”. O “astro” português abriu a contagem da partida e marcou pelo segundo jogo seguido na Serie A italiana, tendo sido a primeira vez esta época que o conseguiu.

Anúncio Publicitário

Depois de terem sofrido o golo, os jogadores da Lazio partiram em busca da igualdade. Apesar da superioridade não ter sido clara, as oportunidades para marcar, entre os 30 e os 45 minutos, foram maioritariamente dos romanos. E tantas vezes foi “o cântaro à fonte” …que acabou por “partir”. Passavam já 20 segundos do meio tempo quando Luiz Felipe, defesa central brasileiro da Lazio, enviou uma verdadeira bomba de cabeça para o fundo das redes de Szczesny, reestabelecendo a igualdade. Apesar da boa elevação e finalização do número três “biancocelesti”, muito mérito tem que ser dado ao grande passe de Luiz Alberto. O médio espanhol vem se assumindo cada vez mais como o maestro desta equipa romana, honrando o número 10 que enverga.

Chegado o intervalo, e fazendo um balanço da primeira metade do encontro, a Juventus havia demonstrado superioridade relativamente à Lazio, sendo que uma vantagem da equipa de Turim não seria um resultado de todo desajustado. No entanto, a reação da formação romana ao golo sofrido foi de bom nível, tendo sido premiados com o golo à beira do intervalo. Dada a igualdade e a vontade demonstrada por ambas as partes em vencer, o segundo tempo prometia.

Cristiano Ronaldo após “encostar” para o primeiro golo da partida                                                    Fonte: Juventus FC

Reiniciado o jogo, o primeiro teste à atenção do guardião contrário foi de Luis Alberto, mas Szczesny não se deixou surpreender. Esta tentativa foi um ato isolado, dado que foi preciso esperar até aos 65 minutos para ver um lance de verdadeiro perigo, quando Dybala recebeu a bola de Strakosha, após um passe errado do guarda-redes da Lazio, mas não conseguiu converter. Até então, e ao contrário da primeira parte, que havia sido repleta de entretenimento, estava a ser um jogo bastante parado e “sem balizas”.

Ao minuto 68, Lazzari ia lançado para a baliza da “Juve” quando Cuadrado o abalroou. O ala adaptado a lateral direito colombiano “perdeu os travões” e teve uma abordagem bastante imprudente ao lance, atingindo apenas o adversário. No entanto, o árbitro precisou de ir ao assistente de vídeo para lhe mostrar o cartão vermelho, uma vez que começou por lhe atribuir apenas o amarelo, numa fase inicial.

Se este não fosse golpe duro o suficiente para a equipa de Turim, o que aconteceu ao minuto 74 foi certamente. Luis Alberto voltou a servir um colega de equipa de forma perfeita, desta vez Milinkovic-Savic, e o médio sérvio, após ter rececionado a bola de forma soberba, bateu Szczesny. A Juventus estava a menos de um quarto de hora de sofrer a primeira derrota na atual edição do campeonato italiano.

Passados cinco minutos, a vantagem da equipa da capital italiana podia ter sido novamente aumentada, após lhes ter sido atribuído um penálti, por falta de Szczesny sobre Correa. No entanto, o guarda-redes polaco protagonizou uma magnífica dupla defesa, a dois remates de Immobile, onde mostrou reflexos de outro mundo.

Deste momento e até final, a posse de bola até foi mais controlada pela Juventus, mas sem que os seus jogadores fossem capazes de criar perigo à defensiva da Lazio. Na verdade, foi mesmo a equipa “biancocelesti” quem voltou a marcar, pelo recém-entrado Filipe Caicedo, ex-Sporting, que aproveitou um contra-ataque para acabar com as discussões sobre o resultado.

Com esta derrota, a primeira para os homens de Maurizio Sarri, e apesar do Inter ter empatado com a Roma de Paulo Fonseca, a vantagem dos milaneses foi aumentada para dois pontos, conservando assim o primeiro lugar na tabela. Cristiano Ronaldo e companhia encontram-se numa posição em que não estiveram na época passada, tendo agora um rival que parece estar ao mesmo nível dos “bianconeri”.

ONZES INICIAIS E SUBSTITUIÇÔES:

SS Lazio – Thomas Strakosha; Luiz Felipe; Francesco Acerbi; Stefan Radu; Manuel Lazzari; Lucas Leiva; Sergej Milinkovic-Savic (Felipe Caicedo, 90’); Senad Lulic; Luis Alberto (Marco Parolo, 76’); Joaquin Correa; Ciro Immobile (Danilo Cataldi, 85’).

Juventus FC – Wojciech Szczesny; Juan Cuadrado; Leonardo Bonucci; Matthijs de Ligt; Alex Sandro; Rodrigo Bentancur (Emre Can, 40’); Miralem Pjanic; Blaise Matuidi; Federico Bernardeschi (Danilo, 71’); Paulo Dybala (Gonzalo Higuain, 79’); Cristiano Ronaldo.