logo-BnR.png

ÚLTIMA HORA:

Nottingham Forest FC jogadores

Huddersfield Town AFC 0-1 Nottingham Forest FC: O fim de uma espera de 23 anos

A CRÓNICA: SOFRER ATÉ AO FIM PARA REGRESSAR AO ESCALÃO PRINCIPAL

Depois do Fulham e do Bournemouth confirmarem a subida à Premier League, restava preencher uma vaga que seria atingida pelo playoff. Huddersfield e Nottingham Forest defrontavam-se num jogo de nervos à flor da pele que ditava o retorno de uma das equipas ao principal escalão.

Uma entrada algo nervosa por ambas as equipas deu lugar a um grande jogo ao nível esperado. O primeiro lance perigoso surgia para os Tricky Trees fruto de uma bola parada onde Ryan Yates tirou tinta ao poste. Esse lance acabou por atribuir confiança ao Nottingham que assumiu o controlo, começando a construir lances perigosos. Destacavam-se Yates e Garner na equipa de Nottingham

Por vezes, os Terriers conseguiam avançar no terreno, muitas vezes pelos pés de Thomas, mas sem muito perigo, uma vez que a equipa da cidade de Nottingham conseguia cerrar os desenhos ofensivos.

Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura. Depois de tantas ameaças, os Tricky Trees saltaram para a frente do marcador com um autogolo ao minuto quarenta e três, depois de um passe muito tenso de James Garner que acabou num alívio problemático de Levi Colwill que acabou dentro da própria baliza.

No segundo tempo, o Huddersfield entrava com outra atitude, mas o Nottingham não baixava a guarda e lutava pela vantagem para subir ao escalão principal vinte e três anos depois. Os azuis e brancos conseguiam já construir jogadas, mas linha defensiva vermelha continuava compacta e assertiva e era um obstáculo que parecia impossível ultrapassar pelos Terriers.

O Nottingham serenava o jogo e não parecia procurar o segundo golo e do outro lado, o Huddersfield crescia no terreno. A fase final do encontro era apenas do Huddersfield e o sofrimento era até ao último momento do jogo para os Tricky Trees.

Mas o resultado manteve-se até ao fim do encontro e o jogo terminou com a vitória do Nottingham Forest e com a subida à Premier League vinte e três anos depois.

 

A FIGURA

Ryan Yates – O médio do Nottingham Forest foi o destaque do encontro ao estar envolvido no golo e em mais momentos de perigo tal como o primeiro de bola parada. A linha do meio-campo esteve impecável com Yates em sintonia com Garner. Yates foi fundamental ofensiva e defensivamente a fazer com Garner uma linha compacta e difícil de passar.

 

O FORA DE JOGO

Levi Colwill – Os Terriers não entraram bem no jogo, a sofrer muito defensivamente e a não conseguir arranjar soluções fáceis para construir. Colwill sofre por ter marcado o autogolo que acabou por ditar a vitória e subida de divisão do adversário e também por estar presente na linha defensiva que foi muitas vezes ferida.

 

ANÁLISE TÁTICA – HUDDERSFIELD TOWN AFC

Carlos Corberán entrou em campo com o sistema 3-4-3, procurando um jogo dinâmico. Pipa e Toffolo surgiam como alas e desciam nos momentos defensivos.  Thomas surgia como desequilibrador da linha defensiva do Nottingham mas tinha uma inquebrável linha defensiva pela frente. Os Terriers não entraram bem no jogo e penaram por isso. Não conseguiram dominar o meio campo e apenas apareceram no jogo nos momentos finais.  O técnico espanhol não perdeu tempo em tentar mudar o rumo do jogo e fazia alterações. A penetração da linha defensiva dos Tricky Trees não era fácil e a opção acabou por ser até a saída do melhor marcador Danny Ward.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Lee Nicholls (7)

Harry Toffolo (5)

Naby Sarr (5)

Levi Colwill (5)

Tomy Lees (6)

Jonathan Hogg (5)

Lewis O´Brien (6)

Pipa (6)

Sorba Thomas (7)

Danny Ward (7)

Danel Sinani (5)

SUBS UTILIZADOS

John Surrell (6)

Rhodes (6)

Holmes (5)

 

ANÁLISE TÁTICA – NOTTINGHAM FOREST FC

Com vista no retorno à Premier League vinte e três anos depois, o técnico galês Steve Cooper apostou no familiarizado sistema tático 3-4-3 com os alas Spence e Colback a descer nos momentos defensivos. O dinamismo deste sistema tático permitiu por um lado, assumir o controlo do jogo e por outro lado, ter um bom jogo defensivo. Os três homens do meio campo estiveram em sintonia com a linha defensiva e com a linha atacante, proporcionando linhas muito juntas durante o jogo.

11 INICIAL E PONTUAÇÕES

Brice Samba (7)

Djed Spence (8)

Joe Worrall

Colback (7)

Cook (7)

Ryan Yates (9)

James Garner (8)

Philip Zinckernagel (8)

Keinan Davies (7)

SUBS UTILIZADOS

Sam Surridge (6)

Max Lowe (7)

Ethan Horvath (-)

O Leonardo é um jovem vimaranense que estuda Comunicação e Jornalismo, e que ambiciona ser jornalista, preferencialmente de desporto. Ele não consegue negar, gosta disto e é isto que quer fazer.

O Leonardo é um jovem vimaranense que estuda Comunicação e Jornalismo, e que ambiciona ser jornalista, preferencialmente de desporto. Ele não consegue negar, gosta disto e é isto que quer fazer.

[my_elementor_post_nav_output]

FC PORTO vs CD TONDELA