Anúncio Publicitário

Cabeçalho Futebol Internacional

A poucos dias da visita a Lisboa para medir forças com o Sporting CP com vista a um lugar na fase de grupos da liga milionária, abrimos o caderno de notas da história para conhecer um pouco melhor o Steaua Bucuresti, agora conhecido como FCSB (Fotbal Club Steaua București).

Ser treinador do FCSB é, possivelmente, uma das tarefas mais complicadas do mundo, não pelo grau de exigência que é imputado à equipa, nem pela lembrança de um passado glorioso, mas sim pela difícil convivência com o dono do clube, Gigi Becali, sobejamente conhecido pelo seu temperamento verdadeiramente irascível e por uma profunda vontade de querer, ele próprio, sobrepor-se ao treinador, dando “ideias” sobre como a equipa deve jogar e até sobre os jogadores que devem alinhar em cada encontro. Nicolae Dica, actual técnico da formação da capital romena, regressou ao clube esta temporada depois de já o ter representado em várias ocasiões no passado, primeiro como jogador e mais tarde como treinador adjunto, e ele próprio já teve de lidar com os comentários “menos próprios” do todo poderoso Gigi Becali. Dica é apenas mais um nome na longa lista de treinadores que orientaram equipa nos últimos anos e os resultados, em conjunto com a sua paciência, ditarão o tempo que irá aguentar à frente do outrora poderoso emblema romeno.

Anúncio Publicitário

Muito antes do despotismo megalómano de Becali, o Steaua Bucuresti, quando ainda se designava por este nome, teve nas suas fileiras, numa função de presidente não oficial, uma vez que o clube pertencia às forças armadas romenas, um homem, de seu nome Valentin Ceausescu, que viria a mudar para sempre a história do emblema da capital romena. Valentin, filho do tirano Nicolae Ceausescu, era em tudo diferente do seu pai e primou desde sempre por ser um homem discreto e bastante modesto, como afirmou Victor Piturca, antigo avançado e treinador do Steaua Bucuresti, numa entrevista à Reuters em 2001. Valentin foi uma peça chave do glorioso Steaua Bucuresti que em Maio de 1986 venceu o FC Barcelona para se tornar a primeira equipa romena a vencer a Taça dos Clubes Campeões Europeus (actualmente, Liga dos Campeões).

Valentin Ceausesco há alguns anos a esta parte Fonte: FC Steaua București
Valentin Ceausescu há alguns anos a esta parte
Fonte: FC Steaua București

O antigo treinador do Sporting CP e antigo médio criativo da formação romena, Laszlo Bölöni, não tem dúvidas em afirmar que Valentin era um homem à frente do seu tempo e que aquilo que o Steaua Bucuresti alcançou na década de 1980 foi fruto do trabalho de Valentin. Para além de Bölöni, todos, ou quase todos os jogadores dessa geração de ouro do Steaua Bucuresti afirmam de forma categórica que houvesse mais pessoas como Valentin e o futebol romeno não estaria hoje tão pobre como na verdade está.

No Outono de 1985, segundo Bölöni, Valentin surpreendeu toda a equipa ao dizer-lhes que achava que eles podiam vencer a competição, antes da primeira partida frente ao Vejle da Dinamarca. Valentin não interferia nas tácticas da equipa, como gosta de lembrar Anghel Iordanescu, também ele antigo jogador e treinador do Steaua Bucuresti, mas contribuía com ideias positivas para o desenvolvimento da equipa, fosse nas condições financeiras e de trabalho dos seus jogadores, fosse nas suas vidas privadas.
Valentin era filho do presidente do país e por esse motivo muito se especulou sobre a sua ingerência nos resultados conseguidos pelo Steaua Bucuresti, que esteve, a título de exemplo, três temporadas sem sofrer qualquer derrota nas competições domésticas.

Anúncio Publicitário