Pedro Miguel Faria Caixinha, o alentejano que se fez treinador de futebol, mas que por cá não esteve muito tempo. De Beja para o mundo, Caixinha conta com o currículo bastante diversificado e na última semana atingiu um feito histórico.

Após as aventuras na Arábia Saudita, Grécia e Roménia como treinador adjunto, foi no regresso a Portugal que deu o primeiro grande passo na sua carreira: a estreia como treinador principal em escalões profissionais. Foi ao serviço da União de Leiria na temporada 2010/2011 que o técnico de 48 anos de idade começou a mostrar a sua qualidade, alcançando o objetivo principal do clube, a manutenção, terminado o campeonato na décima posição. Seguiu-se ainda uma passagem pelo Nacional e após apanhar o avião para a Madeira, Pedro Caixinha voltou ao estrangeiro e rumou ao México.

O Santos Laguna foi o clube que abriu as portas do futebol mexicano ao treinador português e nas três épocas que comandou a equipa de Torréon foram precisamente três as conquistas. Caixinha ainda orientou o Santos Laguna em 2015, mas após cinco derrtoas consecutivas, apresentou a sua demissão. Sem medo de novos desafios e publicamente assumido como entusiasta dos vários tipos de futebol, Pedro Caixnha concluiu essa época no Catar como treinador principal do Al-Gharafa não conseguido mais do que um pobre nono lugar nas contas finais dos campeonatos.

O Cruz Azul conquistou a Taça do México Apertura com Pedro Caixinha no comando técnico.
Fonte: Cruz Azul

Fazendo jus ao seu gosto pela viagem, o treinador que começou no Desportivo de Beja teve como novo destino a Escócia, naquele que foi o sexto país estrangeiro onde treinou. Ao assumir o cargo de treinador do Rangers, aceitou a missão dificílima de destronar o poderoso Celtic, mas não levou a melhor sobre a hegemonia do futebol escocês e concluiu a temporada na terceira posição.

Em Glasgow também não deu garantias de estabilidade e por isso regressou ao país que mais lhe fez feliz, o México.

Atualmente ao serviço do Cruz Azul do México, clube que orienta desde 2017, Caixinha entrou para a história do futebol mexicano ao tornar-se o primeiro treinador a conquistar todas as competições do país.

Num palmarés individual que já continha a Liga Mexicana Clausura, Taça México Apertura, Taça Campéon de Campeones México, Pedro Caixinha juntou a Supercopa do México, no passado Domingo.

Numa partida disputada em Carson na Caifórnia, o Cruz Azul defrontou o Necaxa e com uma prestação de excelência, goleou o adversário por 4-0.

Logo aos 20 minutos, o argentino Caraglio inaugurou o marcador da partida que ao intervalo já assinalava 2-0 após o golo de Elias Hernández aos 44 minutos.

No segundo tempo, confirmando o total domínio da partida, os comandados de Caixinha apontaram à humiliação e com os golos de Édgar Mendez e Juan Escobar estabeleceram o resultado final.

O Cruz Azul já disputou o seu primeiro jogo oficial da época 2019/2020 foi precisamente frente ao Necaxa a jornada inaugural da Apertura 2019, contudo o desfecho da Supercopa não se repetiu e registou-se um empate.

Pedro Caixinha já conhecedor do futebol mexicano reúne o agrado da massa associativa do Cruz Azul e promete uma equipa competitiva nesta temporada, ambicionando a conquista de mais títulos.

Foto de Capa: Cruz Azul

artigo revisto por: Ana Ferreira

Comentários