Eis a historia de um menino brasileiro que começou a dar nas vistas em 2013, ainda no seu país de origem. Na altura, Anderson Talisca jogava no EC Bahia e tinha apenas 19 anos. A sua habilidade com os pés já era algo de extraordinário, de tal forma que os clubes europeus ficaram logo de olhos postos no craque brasileiro, assim rotulado no Brasileirão.

Na época 2013/14, Talisca fez a vontade aos adeptos europeus e chegou a Portugal para representar o SL Benfica, na altura orientado por Jorge Jesus. O médio brasileiro, capaz de ocupar todas as posições no miolo do terreno, começou bem a sua primeira experiência na Europa, conquistando os adeptos benfiquistas com golos (20 golos em duas épocas ao serviço dos encarnados).

No entanto, alguns problemas com o técnico e com a própria direção do clube da luz custaram a Talisca a oportunidade de ser opção para qualquer técnico que comandasse o Benfica. Desde 2016 que Anderson Talisca tem sido emprestado, mas diga-se que ser um jogador emprestado tem sido a melhor solução para o médio brasileiro.

Talisca tem sido um verdadeiro matador na Super Liga Chinesa
Fonte: Guangzhou Evergrande FC

Primeiro foi o Besiktas JK, em 2016/17 e 2017/18. Na Turquia, Talisca fez 37 golos e foi uma das estrelas da equipa de Istambul. Na primeira época, o brasileiro venceu a Liga Turca e chegou a defrontar o Benfica para a Liga dos Campeões, num jogo polémico depois de marcar à sua equipa e festejar efusivamente no Estádio da Luz.

Depois, o Guangzhou Evergrande FC, da China. Esta temporada, o médio brasileiro voltou a ser emprestado, mas desta vez para o continente asiático. Talisca juntou-se a Paulinho, ex-Barcelona, na China e tem feito uma das melhores épocas da sua carreira, se não a melhor. Em 12 jogos, o canarinho já faturou por dez vezes, isto para não falar que todo o jogo do clube chinês passa pelos “pezinhos” de Anderson Talisca, o verdadeiro guerreiro do Guangzhou.

Num futebol mais ofensivo, sem grandes noções táticas e com pouca eficácia defensiva, Talisca encaixa-se perfeitamente na Superliga Chinesa. A sua capacidade técnica juntamente com a polivalência e experiência tática permitem-lhe (à semelhança de Paulinho) destacar-se dos restantes colegas de equipa e dos restantes “craques” do futebol chinês.

Com apenas 24 anos, Anderson Talisca pode voltar a ser mais valorizado na Europa, como já o foi há dois anos. Agora resta saber se o clube português está disposto a pôr de lado as divergências e contar com o brasileiro no seu plantel ou se pretende vendê-lo por um valor algo considerável. Uma coisa é certa: se Anderson Talisca mantiver este nível exibicional, conjugado com golos, seja na China ou em Portugal, o futuro será bastante risonho para o craque brasileiro.

 

 

Foto de Capa: Guangzhou Evergrande FC

Comentários