O ano civil começa sempre com a reabertura do mercado de transferências no mundo do futebol europeu. Durante o mês de janeiro, os clubes procuram preencher as lacunas no seu plantel, e é um momento em que os “tubarões” do futebol do “velho continente” aproveitam geralmente para garantir os serviços dos “jogadores revelação”.

Num dos mercados de inverno mais agitados dos últimos anos, existiram transferências inesperadas, mas também terminaram algumas “novelas” de mercado. Este é o exemplo de Bruno Fernandes, que trocou o Sporting CP pelo Manchester United FC a troco de 55 milhões de euros, tornando-se a transferência mais cara deste mercado.

Em termos de valores, a seguir ao médio português segue-se Dejan Kulusevski, que foi comprado pela Juventus pelo valor de 35 milhões de euros. Em terceiro lugar surgem Reinier, que se mudou para o Real Madrid, deixando o Flamengo, e Steven Bergwijn que se transferiu para o Tottenham Hotspurs proveniente do PSV, ambos por 30 milhões de euros. A fechar o top cinco de transferências mais caras deste mercado está Krzysztof Piatek que deixou o AC Milan para se juntar ao Hertha Berlim pelo valor de 27 milhões de euros.

É também de destacar a contratação de Christian Eriksen por parte do Inter de Milão, que garantiu os serviços do médio dinamarquês por 20 milhões de euros. Pelo mesmo valor o RB Leipzig contratou Dani Olmo, uma das maiores promessas do futebol espanhol.

Anúncio Publicitário