Cabeçalho Futebol Internacional

A FIGURA:

payet
Fonte: UEFA

Dimitri Payet – Foi o francês que mais remou contra a maré e acabou recompensado. Muito dinâmico no que diz respeito às trocas posicionais com os seus colegas, Payet mostrou sempre, contudo, a clarividência e objectividade que faltou a Pogba, Griezmann ou Matuidi. Quase todas as jogadas do ataque francês passaram pelos seus pés: aos 10’ assistiu Giroud, que cabeceou ao lado, aos 35’ quebrou a letargia da sua equipa descobrindo Griezmann, que não marcou por centímetros e, no início da segunda parte, foi o principal rosto do melhor período da França em todo o jogo, nuns cinco minutos electrizantes que culminaram com a sua assistência para o golo de Giroud. Com uma carreira construída a pulso, o médio de pés de veludo já seria a figura da partida inaugural deste Europeu se o jogo tivesse terminado 1-1; depois do golão que marcou aos 88’, num remate perfeito ao ângulo, essa escolha deixou sequer de oferecer discussão.

1
2
3
4
Artigo anteriorRevista do Euro’2016: Áustria
Próximo artigoVolta à Suíça – Rui Costa no caminho da história?
O João Sousa anseia pelo dia em que os sportinguistas materializem o orgulho que têm no ecletismo do clube numa afluência massiva às modalidades. Porque, segundo ele, elas são uma parte importantíssima da identidade do clube. Deseja ardentemente a construção de um pavilhão e defende a aposta nos futebolistas da casa, enquadrados por 2 ou 3 jogadores de nível internacional que permitam lutar por títulos. Bate-se por um Sporting sério, organizado e vencedor.                                                                                                                                                 O João não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.