Inglaterra e Panamá se enfrentaram no Estádio de Níjni Novgorod. A partida foi válida pela 2ª jornada do Grupo G da Copa do Mundo. Para a Inglaterra uma vitória significaria a qualificação às oitavas de final do Mundial. Já o Panamá entrou no jogo querendo buscar ao menos um empate para chegar na última jornada ainda com chances de qualificação, por mais que fosse remota. Esse é o primeiro jogo de sempre entre Inglaterra e Panamá e a última vez que os ingleses perderam para uma seleção da CONCACAF em uma Copa do Mundo foi em 1950 para os Estados Unidos.

A Inglaterra entrou no relvado com um sistema tático ofensivo. O 3-1-4-2 do treinador Gareth Southgate previa fazer uma marcação sobre pressão no Panamá e que a equipa jogasse no campo de ataque. Já o Panamá entrou na partida no 4-1-4-1 e tentaria explorar os contra-ataques.

O jogo começou e a Inglaterra demonstrava para o que veio. Marcando sob pressão, não deixava o adversário trabalhar com a bola. Toda essa intensidade inglesa deu resultado rapidamente. Trippier cobrou escanteio para o meio da área e o defensor Stones aparece sozinho para cabecear a bola para o fundo do gol panamenho. Inglaterra 1 x 0 Panamá.

Com 15 minutos de jogo a Inglaterra apresentava uma variação tática bem interessante. Quando estava com a bola jogava no 3-1-4-2, sem a bola os alas recuavam e o sistema mudava para o 5-1-2-2. Essa variação tática dificultou a vida dos panamenhos no jogo, pois impedia que os pontas Bárcenas e Rodríguez avançassem.

Anúncio Publicitário

Aos 19 minutos o avançado Lingard recebeu um ótimo lançamento dentro da área e foi derrubado por Escobar. Pênalti para a Inglaterra. Harry Kane cobrou com força a penalidade máxima e não deu nenhuma chance de defesa ao guarda-redes Penedo. Inglaterra 2 x 0 Panamá.

A Inglaterra mostrava uma eficiência ofensiva impressionante. Aos 24 minutos tinha duas finalizações no jogo e dois gols. O domínio inglês era cada vez mais evidente. Os ingleses tinham mais de 80% da posse de bola. O Panamá era tímido nas suas investidas ao ataque e quando chegava próximo à área inglesa não conseguia finalizar para a baliza com qualidade.

A partir dos 35 minutos a Inglaterra pareceu um rolo compressor e passou por cima do Panamá. O resultado dessa pressão absurda foram (muitos) golos. A Inglaterra marcou três vezes (Lingard, Stones e Kane) nos últimos 10 minutos da primeira parte e “matava” o jogo. Inglaterra 5 x 0 Panamá.

Baloy marcou e registou um dos momentos mais emblemáticos do Mundial
Fonte: FIFA

Na segunda parte os ingleses diminuíram o ritmo de jogo e permitiu que o Panamá tivesse mais a bola. Mas com o placar resolvido e a qualificação garantida à próxima fase a proposta era boa e eficiente. Pois o Panamá não conseguia criar boas chances de golo mesmo tendo a bola. A diferença técnica entre as equipas era gigantesca.

Mesmo com a redução de intensidade os ingleses chegaram ao sexto golo aos 61 minutos. Loftus-Cheekvjk chutou de longe, a bola desviou em Harry Kane e matou o guardião Penedo. Esse foi o quinto golo de Kane na competição e assim se tornou o artilheiro isolado da Copa do Mundo.

O tempo ia passando e os dois treinadores promoveram algumas substituições. Southgate substituiu para poupar alguns jogadores. Já Darío Gómez parece ter mexido na equipa para dar a oportunidade a alguns jogadores atuarem em uma partida de Copa do Mundo. O que se confirmar fez muito bem, afinal é uma chance única aos panamenhos.

O Panamá não tinha mais nada a perder e resolveu tentar chegar ao seu primeiro golo na história da Copa do Mundo. Após duas chances perdidas, Avila cruzou na área e o lendário defensor Baloy fez um belo golo para o Panamá. Inglaterra 6 x 1 Panamá. O golo panamenho emocionou seus adeptos e o defensor chorou após marca-lo. Foi um dos momentos mais legais do Mundial até o momento.

A partida chegou ao seu final e de certa maneira todos saíram felizes. A Inglaterra jogou bem, goleou e se qualificou e o Panamá teve outra experiência em Mundial e conseguiu fazer seu golo. Na última jornada os ingleses enfrentam a Bélgica e os panamenhos encaram a Tunísia. Inglaterra e Bélgica disputarão o primeiro lugar do grupo.

Inglaterra: Pickford; Walker, Stones, Maguire; Trippier (Rose 70’), Lingard (Delph 63’), Henderson, Loftus-Cheek, Young; Sterling e Kane (Vardy 63’)

Panamá: Penedo; Davis, Escobar, Torres, Murillo; Rodriguez, Gómez (Baloy 69’), Godoy (Avila 63’); Cooper, Bárcenas (Arroyo (69); Pérez.

1
2
3
Artigo anteriorUm docinho chamado Cheryshev
Próximo artigoJapão 2-2 Senegal: Empate adia decisão do apuramento
Enquanto criança queria ser jogador de futebol e para o bem dos torcedores do Atlético Mineiro não foi aprovado no teste. Encontrou nas palavras a melhor maneira de se expressar sobre a sua paixão, o futebol. Amante do futebol brasileiro e do futebol alternativo, acorda facilmente às três horas da madrugada para ver um jogo do campeonato neozelandês.                                                                                                                                                 O César escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico e todos os artigos são redigidos em português do Brasil.