Anterior1 de 6Próximo

Cabeçalho Futebol Internacional

A competição internacional mais velha do Mundo comemora 100 anos de existência. A Copa América Centenário, acontece de 3 a 26 de Junho e, pela primeira vez, é organizada por um país fora da América do Sul – os Estados Unidos.

A competição terá frente a frente 16 seleções das Américas na disputa de um troféu especial que qualquer uma das federações desejaria ter na vitrine da sua sala de troféus. A Copa América vai adotar o formato de 4 grupos de 4 equipas, com apuramento dos 2 primeiros classificados do grupo.

De antemão, o Grupo A (EUA, Colômbia, Costa Rica e Paraguai) parece ser o grupo mais equilibrado, sem um favorito declarado, na minha opinião. Embora possamos apontar para a Colômbia como a presumível equipa “mais forte” do grupo. O Grupo B, conta com um sempre favorito de qualquer competição – o Brasil e, duas equipas que em caso de derrota com o Brasil brigarão pelo 2º lugar, Equador e Peru. O inexperiente Haiti talvez seja um mero participante para o desempate, entre adversários, no saldo de golos. O Grupo C e D, parecem ser onde o estatuto e o nome das federações poderá coincidir certeiramente com os apurados para a fase a eliminar. Uruguai e México no Grupo C (não creio que Jamaica e Venezuela possam fazer frente dura) e Argentina e Chile no Grupo D (para um Panama e Bolívia bem distantes a nível de argumentos futebolísticos). Entre si discutirão o 1º e 2º classificados. Todavia, importa referir que isto são apenas palpites, prognósticos. Na prática, acredito que esta competição possa reservar algumas surpresas.

Desde a virada do Milénio, já foram realizadas 5 edições da CA e apenas 3 das 16 seleções passaram sempre à fase seguinte, ou seja, aos quartos-de-final. São elas: Brasil, Uruguai e o… Peru!

Ainda a título de curiosidade, desde 2001 a seleção que mais vezes terminou nos quatro primeiros lugares foi o Uruguai, que é o maior detentor de troféus (15). Seguido da Argentina (14), que não vence desde 1993, mas conseguiu o 2º lugar por três vezes. A fechar o top 3, destacados de todas as outras seleções, vem o Brasil com 8 troféus, sendo a equipa que mais vezes a venceu desde 2001 (2).

Neste artigo, destacarei algumas das seleções com base no seu ranking mundial, planteis, experiência ou histórico competitivo e favoritismo para chegarem nas meias-finais ou serem campeãs. Assim, antes da caracterização mais detalhada dessas seleções apostaria numa final entre Uruguai e Argentina, que o próprio formato de jogos já definido pode ocasionar. Outros candidatos a estarem presentes na final são o Chile, a Colômbia e, claro, o Brasil. Como outsiders ou equipas surpresa vou destacar o Equador e o México. Será que EUA, jogando perante seu público, e o surpreendente Peru, 3º lugar das últimas 2 edições da Copa América (CA) terão algo a dizer até às meias-finais?

Anterior1 de 6Próximo

Comentários