Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho Seleção Nacional

Nota prévia: O funcionamento desta Liga das Nações, bem como as suas vantagens e desvantagens, estão explicados, em três episódios do podcast 120s de Bola, na página seguinte deste artigo.

Não nos podemos queixar da sorte. Tendo em conta os possíveis adversários da seleção portuguesa, o emparelhamento com Itália e Polónia (jogos a disputar entre Setembro e Novembro deste ano, um deles em casa, o outro fora) no grupo 3 da Liga A pode ser visto com optimismo.

É certo que os transalpinos têm na Liga das Nações uma óptima oportunidade para vingar o não-apuramento para o Mundial 2018 e que os polacos têm registado um crescimento assinalável nos últimos anos, mas estas seleções acabam por ser teoricamente mais acessíveis do que uma França (adversário teoricamente mais difícil do pote 2) ou uma Holanda (pote 3), pelo que o apuramento para a fase final desta competição (apenas assegurado pelo 1º lugar no grupo) está ao alcance de Portugal.

Caso se qualifique, a seleção lusa apurar-se-á para a Final Four, a disputar e Junho de 2019, com anfitrião a designar em Dezembro deste ano, onde encontrará os vencedores dos grupos 1 (Alemanha, França e Holanda), 2 (Bélgica, Suíça e Islândia) e 4 (Espanha, Inglaterra e Croácia) da Liga A. Caso vença a Liga das Nações, Portugal, para além de colecionar mais um título, garantirá o apuramento para o Euro 2020.

Eis o sorteio completo da Liga das Nações 2018/19 Fonte: UEFA
Eis o sorteio completo da Liga das Nações 2018/19
Fonte: UEFA

Quanto ao sorteio das outra Ligas (onde o primeiro lugar do grupo garante a subida de divisão e o último a despromoção, excepto na Liga D), e cujo sorteio completo deixamos na imagem acima, reina o equilíbrio na Liga B, com grupos previsivelmente muito renhidos, alguma vantagem teórica para Hungria e Grécia no grupo 2, Eslovénia no grupo 3 e Sérvia no grupo 4 da Liga C e ainda para a Bielorrúsia no grupo 2 e para o Azerbeijão no grupo 3 da Liga D.

Anúncio Publicitário

Mas o favoritismo é apenas, lá está, teórico. Porque hoje em dia, como se ouve cada vez mais dizer, já não há jogos fáceis. E como esta Liga das Nações visa terminar com os jogos amigáveis, essa facilidade termina, definitivamente. A partir de agora será sempre a doer.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários