cab seleçao nacional portugal

Clica aqui para ver as estatísticas do jogo

Ao segundo jogo, a segunda vitória. Depois de ter vencido, esta madrugada, o Qatar por claros quatro golos sem resposta, a Seleção Nacional assegurou a passagem aos oitavos de final do Campeonato do Mundo de Sub-20. Na tarde chuvosa de Hamilton (Nova Zelândia), Ivo Rodrigues, avançado do FC Porto emprestado ao Vitória de Guimarães, foi o MVP, ao apontar dois golos e assistir João Vigário para o último tento da partida.

Cedo se percebeu que o Qatar não representaria ameaça às intenções lusas. Apesar de ter tomado a iniciativa nos primeiros cinco minutos, a seleção do Médio Oriente entregou pouco depois o domínio das operações a Portugal, que se limitou a fazer um jogo paciente e sem grande verticalidade, confiante de que o golo acabaria por surgir. A verdade é que, com 34 minutos decorridos, e após uma meia hora algo aborrecida e com escassas oportunidades, André Silva desfez o nulo. Gelson Martins fletiu para o meio e serviu numa bandeja o ponta-de-lança, que só precisou de desviar a bola do guarda-redes Yousef Hassan. Foi o segundo golo de André Silva na competição.

Antes do intervalo, Ivo Rodrigues ainda ampliou a vantagem, com um grande golo: Rony Lopes (uns furos acima do último jogo) cruzou rasteiro, a defesa catarense afastou, mas Francisco Ramos recuperou à entrada da área e assistiu Ivo, que, de bicicleta, desfeiteou Hassan pela segunda vez.

No balanço da primeira parte, domínio de Portugal em toda a linha (31%-69% em posse de bola) e aposta ganha do selecionador Hélio Sousa, ao colocar em Francisco Ramos e Ivo Rodrigues em campo como titulares (saíram Guzzo e Gonçalo Guedes); os dois jogadores do FC Porto estiveram em bom plano, e Francisco Ramos denotou um entendimento notável com o capitão Tomás Podstawski.

Na etapa complementar, o Qatar jogou de modo mais aberto, algo que acabou por beneficiar Portugal, já que a congénere asiática abriu muitos espaços no reduto defensivo. No entanto, foi aos 48 minutos que surgiu a melhor oportunidade do jogo para os catarenses. Almoez, numa boa jogada individual, levou o esférico a passar bem perto do poste da baliza à guarda de André Moreira. Depois, André Silva ensaiou o remate por três vezes, de cabeça e de fora da área, por duas vezes.

André Silva voltou a exibir-se a grande nível e já leva 2 golos em 2 jogos na competição Fonte: Página do Facebook das Seleções de Portugal
André Silva voltou a exibir-se a grande nível e já leva 2 golos em 2 jogos na competição
Fonte: Página do Facebook das Seleções de Portugal

O terceiro golo surgiu já depois das entradas de Janio Bikel e Nuno Santos. O segundo, à semelhança do que já tinha feito frente ao Senegal, cruzou para mais um golo: Ivo Rodrigues concretizou, de cabeça, o segundo da conta pessoal. O mesmo Ivo, poucos minutos depois, “trocou as voltas” ao lateral Shanin e entregou a João Vigário (substituto de André Silva), que rematou de primeira e colocado para fechar as contas da partida.

Portugal voltou a deixar bem patente o seu ADN neste Mundial. Jogo seguro dos pupilos de Hélio Sousa, com muita maturidade e bom aproveitamento dos espaços criados, ora pelo adversário, ora pelo bom entendimento entre os jogadores. Além do destaque Ivo Rodrigues, nota francamente positiva para Rafa, Francisco Ramos, Gelson Martins e André Silva, que, até ser substituído, foi fundamental na largura que deu ao jogo ofensivo lusitano. Em suma, mais uma exibição assente na força coletiva de uma equipa (na verdadeira acepção da palavra) que permite aos portugueses sonhar.

O próximo jogo já será contra um adversário de maior valia. No papel, a Colômbia é o único adversário capaz de disputar o primeiro lugar do grupo com Portugal. Para a Seleção, será um teste mais sério, para pôr à prova a fibra dos jovens portugueses contra uma equipa sul-americana, que tem presenteado os adeptos com alguns dos mais brilhantes momentos e golos das últimas edições dos Mundiais Sub-20. Ainda assim, mantendo o ritmo até aqui apresentado, a equipa portuguesa deverá estar à altura do desafio.

A Figura

Ivo Rodrigues – A sua inclusão no onze inicial foi aposta ganha pelo selecionador. Dois golos e uma assistência já seriam motivo mais do que suficiente para esta escolha, mas o avançado não se limitou a isso. Foi dos mais dinâmicos na primeira parte, procurando sempre descobrir o ponta-de-lança com passes em profundidade, e combinou muito bem com os laterais Rafa e Riquicho. Terá ultrapassado Gonçalo Guedes na corrida por um lugar cativo na equipa.

O Fora-de-Jogo

Defesa do Qatar – Apesar de se saber que o valor dos asiáticos não se compara com o da equipa das quinas, esperava-se mais dos vencedores da Taça da Ásia Sub-19. Quase toda a defesa (a começar no guarda-redes) cometeu erros de principiante e nunca pareceu capaz de aguentar a rotação do ataque português. Se o Qatar chegar a receber o Mundial de 2022, esta deverá ser a base da seleção anfitriã, e está mais do que visto que há muito trabalho a ser desenvolvido.

Foto de Capa: Página do Facebook das Seleções de Portugal

Comentários