Cancelado o campeonato de Andebol1 e terminada, então, a época, chegou a altura de arrumar a casa e preparar a próxima época. O SL Benfica tem sido um dos clubes mais ativos neste sentido e vamos tentar perceber o que o clube da Luz tem andado a fazer.

Começamos por analisar a época que terminou. Esta era, para muitos, a época decisiva para Carlos Resende, já que era a última do seu contrato e que os resultados nas épocas anteriores não estavam a ser positivos. Deste modo, durante o verão passado ocorreram várias mudanças no plantel, saindo jogadores que não conseguiram assumir um lugar na equipa, por várias razões, e que se encontravam a mais no plantel. De destacar a saída de Hugo Figueira (GR), em final de carreira, e de Alexandre Cavalcanti (LE), jovem promessa que partiu para França. As contratações foram interessantes, com destaque para René Toft Hansen (P) e para Petar Djordjic (LE).

Apesar de todas estas mudanças, a época não corria de feição internamente: na entrada para a Fase Final a equipa estava a cinco pontos do primeiro lugar (10 na Fase Regular) e o título era uma miragem; na Taça de Portugal eliminou o ABC nos dezasseis-avos de final e ia defrontar o Passos Manuel nos oitavos. Internacionalmente, a história era outra. O Benfica conseguiu apurar-se para a Fase de Grupos da Taça EHF, superando o RK Dubrava e o RK Nexe na fase de qualificação. E a verdade é que esta participação estava a ser um sucesso. Tendo calhado no grupo com o MT Melsungen (sétimo classificado na Liga Alemã), o Bjerringbro-Silkeborg (quarto classificado da Liga Dinamarquesa) e com o KPR Gwardia Opole (quinto classificado da Liga Polaca), o Benfica estava em primeiro com quatro vitórias em outros tantos jogos e apenas a uma vitória da qualificação para os Quartos de Final da Taça EHF, quando ainda faltavam dois jogos para a Fase de Grupos terminar.

Este possível sucesso na Europa e a ainda possível conquista da Taça Portugal poderia ter mudado o destino de Carlos Resende, mas a verdade é que há dias foi anunciado que este não continuaria no comando do SL Benfica. Muitos, como eu, achavam que o histórico do Andebol Português iria conseguir voltar a guiar os “encarnados” ao título, mas o projeto falhou completamente, tendo apenas conquistado uma Taça de Portugal e uma Supertaça em três épocas.

Será certamente um SL Benfica diferente do que se vê nesta foto que se vai deslocar ao Pavilhão João Rocha na próxima época
Fonte: Bola na Rede
Anúncio Publicitário

A equipa do SL Benfica continua com graves problemas, em comparação, principalmente, com o FC Porto. Começamos, então, pelo posto de treinador, onde muitas notícias apontam que o treinador adjunto da Hungria, Chema Rodríguez, vá ser o eleito para suceder a Carlos Resende. Enquanto jogador, teve uma carreira de sucesso, passando pelo Atlético Valladolid, Ciudade Real e Veszprém, sendo que foi Campeão do Mundo em 2005 com a seleção Espanhola. Em 2017, mudou-se para França para jogar no Saran, clube da Segunda Divisão Francesa, onde se espera que termine a carreira este ano. Apesar da carreira de sucesso, tem pouca experiência enquanto treinador. É uma aposta arriscada, mas que segue a tendência dos rivais em contratar treinadores estrangeiros, o que pode vir a mudar o paradigma para os lados da Luz.

Em termos de saídas, o guarda-redes Borko Ristovski vai voltar ao Vardar, clube que enfrenta graves problemas financeiros. Provável também será a saída dos seguintes jogadores: Davide Carvalho (PD), Fábio Vidrago (PE), Ricardo Pesqueira (P), Nuno Grilo (LE) e Carlos Molina (LE). Os nomes mais sonantes são os de Fábio Vidrago, internacional português, Ricardo Pesqueira, pivôt que fez parte da equipa do ABC campeã com Carlos Resende, e Carlos Molina, especialista defensivo contratado o verão passado. Em relação a contratações, vários nomes têm sido apontados ao Benfica: Lazar Kukic (C) (Ciudad de Logrono), Mahmadou Keita (PE) (Ivry), Matic Suholeznik (P) (Dunkerque), Ole Rahmel (PD) (THW Kiel) e Lovro Jotic (LE) (Eurofarm Pelister). Estes são os nomes que têm sido avançados pela imprensa, mas Mahmadou Keita e Matic Suholeznik já confirmaram a sua mudança nas redes sociais e pelo seu clube, respetivamente.

Estes nomes demonstram que está mesmo a surgir uma mudança de visão e estratégia no SL Benfica e que a aposta agora vai ser para vencer imediatamente. Apesar das contratações estarem a ser “cirúrgicas” e em posições que ficaram desfalcadas com as saídas anunciadas anteriormente, está a surgir uma aposta nos jogadores estrangeiros, o que pode ser decisivo para ombrear com o FC Porto e com o Sporting CP, já que estes conseguiram nos últimos anos garantir os melhores jogadores, quer nacionais, quer internacionais.

O SL Benfica não é Campeão Nacional de Andebol há dez anos e algo tem de mudar, porque o que tem sido feito não tem resultado. Ao que parece, o investimento no FC Porto vai continuar, já que os resultados têm sido excelentes e históricos. Mas é a altura perfeita para tentar igualar ou superar o Sporting CP. Já no ano passado surgiram alguns problemas na construção do plantel dos “leões”, devido à falta de investimento, e no próximo ano tudo indica que Luís Frade rume a Barcelona, coincidindo com o último ano de Thierry Anti à frente do clube.

O clube da Luz está, finalmente, a tentar aproximar-se dos seus principais rivais. A próxima época será uma oportunidade perfeita para diminuir distâncias. Será que Chema Rodriguez, os reforços que tudo indica que vão surgir e, principalmente, a estrutura serão capazes de aproveitar essa oportunidade?

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede

Comentários