Cancelado o campeonato de Andebol1 e terminada, então, a época, chegou a altura de arrumar a casa e preparar a próxima época. O SL Benfica tem sido um dos clubes mais ativos neste sentido e vamos tentar perceber o que o clube da Luz tem andado a fazer.

Começamos por analisar a época que terminou. Esta era, para muitos, a época decisiva para Carlos Resende, já que era a última do seu contrato e que os resultados nas épocas anteriores não estavam a ser positivos. Deste modo, durante o verão passado ocorreram várias mudanças no plantel, saindo jogadores que não conseguiram assumir um lugar na equipa, por várias razões, e que se encontravam a mais no plantel. De destacar a saída de Hugo Figueira (GR), em final de carreira, e de Alexandre Cavalcanti (LE), jovem promessa que partiu para França. As contratações foram interessantes, com destaque para René Toft Hansen (P) e para Petar Djordjic (LE).

Apesar de todas estas mudanças, a época não corria de feição internamente: na entrada para a Fase Final a equipa estava a cinco pontos do primeiro lugar (10 na Fase Regular) e o título era uma miragem; na Taça de Portugal eliminou o ABC nos dezasseis-avos de final e ia defrontar o Passos Manuel nos oitavos. Internacionalmente, a história era outra. O Benfica conseguiu apurar-se para a Fase de Grupos da Taça EHF, superando o RK Dubrava e o RK Nexe na fase de qualificação. E a verdade é que esta participação estava a ser um sucesso. Tendo calhado no grupo com o MT Melsungen (sétimo classificado na Liga Alemã), o Bjerringbro-Silkeborg (quarto classificado da Liga Dinamarquesa) e com o KPR Gwardia Opole (quinto classificado da Liga Polaca), o Benfica estava em primeiro com quatro vitórias em outros tantos jogos e apenas a uma vitória da qualificação para os Quartos de Final da Taça EHF, quando ainda faltavam dois jogos para a Fase de Grupos terminar.

Este possível sucesso na Europa e a ainda possível conquista da Taça Portugal poderia ter mudado o destino de Carlos Resende, mas a verdade é que há dias foi anunciado que este não continuaria no comando do SL Benfica. Muitos, como eu, achavam que o histórico do Andebol Português iria conseguir voltar a guiar os “encarnados” ao título, mas o projeto falhou completamente, tendo apenas conquistado uma Taça de Portugal e uma Supertaça em três épocas.

Anúncio Publicitário
Será certamente um SL Benfica diferente do que se vê nesta foto que se vai deslocar ao Pavilhão João Rocha na próxima época
Fonte: Bola na Rede

A equipa do SL Benfica continua com graves problemas, em comparação, principalmente, com o FC Porto. Começamos, então, pelo posto de treinador, onde muitas notícias apontam que o treinador adjunto da Hungria, Chema Rodríguez, vá ser o eleito para suceder a Carlos Resende. Enquanto jogador, teve uma carreira de sucesso, passando pelo Atlético Valladolid, Ciudade Real e Veszprém, sendo que foi Campeão do Mundo em 2005 com a seleção Espanhola. Em 2017, mudou-se para França para jogar no Saran, clube da Segunda Divisão Francesa, onde se espera que termine a carreira este ano. Apesar da carreira de sucesso, tem pouca experiência enquanto treinador. É uma aposta arriscada, mas que segue a tendência dos rivais em contratar treinadores estrangeiros, o que pode vir a mudar o paradigma para os lados da Luz.

Em termos de saídas, o guarda-redes Borko Ristovski vai voltar ao Vardar, clube que enfrenta graves problemas financeiros. Provável também será a saída dos seguintes jogadores: Davide Carvalho (PD), Fábio Vidrago (PE), Ricardo Pesqueira (P), Nuno Grilo (LE) e Carlos Molina (LE). Os nomes mais sonantes são os de Fábio Vidrago, internacional português, Ricardo Pesqueira, pivôt que fez parte da equipa do ABC campeã com Carlos Resende, e Carlos Molina, especialista defensivo contratado o verão passado. Em relação a contratações, vários nomes têm sido apontados ao Benfica: Lazar Kukic (C) (Ciudad de Logrono), Mahmadou Keita (PE) (Ivry), Matic Suholeznik (P) (Dunkerque), Ole Rahmel (PD) (THW Kiel) e Lovro Jotic (LE) (Eurofarm Pelister). Estes são os nomes que têm sido avançados pela imprensa, mas Mahmadou Keita e Matic Suholeznik já confirmaram a sua mudança nas redes sociais e pelo seu clube, respetivamente.

Estes nomes demonstram que está mesmo a surgir uma mudança de visão e estratégia no SL Benfica e que a aposta agora vai ser para vencer imediatamente. Apesar das contratações estarem a ser “cirúrgicas” e em posições que ficaram desfalcadas com as saídas anunciadas anteriormente, está a surgir uma aposta nos jogadores estrangeiros, o que pode ser decisivo para ombrear com o FC Porto e com o Sporting CP, já que estes conseguiram nos últimos anos garantir os melhores jogadores, quer nacionais, quer internacionais.

O SL Benfica não é Campeão Nacional de Andebol há dez anos e algo tem de mudar, porque o que tem sido feito não tem resultado. Ao que parece, o investimento no FC Porto vai continuar, já que os resultados têm sido excelentes e históricos. Mas é a altura perfeita para tentar igualar ou superar o Sporting CP. Já no ano passado surgiram alguns problemas na construção do plantel dos “leões”, devido à falta de investimento, e no próximo ano tudo indica que Luís Frade rume a Barcelona, coincidindo com o último ano de Thierry Anti à frente do clube.

O clube da Luz está, finalmente, a tentar aproximar-se dos seus principais rivais. A próxima época será uma oportunidade perfeita para diminuir distâncias. Será que Chema Rodriguez, os reforços que tudo indica que vão surgir e, principalmente, a estrutura serão capazes de aproveitar essa oportunidade?

Foto de Capa: Carlos Silva/Bola na Rede