Anterior1 de 2Próximo

A Seleção Nacional de Andebol está a competir no Campeonato Europeu, que decorre em três países (Suécia, Áustria e Noruega), entre os dias 9 e 26 de janeiro, e tal facto é motivo suficiente para o país estar desportivamente orgulhoso, visto que há 14 anos que não pisávamos este palco.

Apesar de se reconhecer o justo destaque que tem sido dado à prestação desportiva da nossa seleção nacional, sobretudo nos jornais do setor, não se poderá deixar em claro o facto de a transmissão televisiva estar a ser feita apenas por um operador televisivo privado.

O que isto significa? Significa que, em Portugal, apenas um canal privado detém os direitos televisivos da transmissão deste evento desportivo em território nacional. Significa que a visualização deste evento desportivo, de cariz internacional, no qual Portugal se encontra representado, apenas poderá ser feita pelos respetivos subscritores do canal em causa ou através da plataforma de streaming disponibilizada pela organização, junto do site da European Handball Federation (EHF).

Ainda não foi publicado ou, apesar do esforço, não nos foi possível encontrar o despacho, emanado pelo Ministério da Cultura, no qual consta a lista dos acontecimentos que devem ser qualificados de interesse generalizado do público, nem tão pouco sabemos se houve alguma tentativa de contacto por parte da televisão pública para poder adquirir ou partilhar os direitos televisivos de transmissão deste Campeonato da Europa, mas a verdade é que este Campeonato, à luz do Despacho aplicável em 2019 (Despacho n.º 8701/2018), seria incluído naquele elenco por se tratar de uma “participação de atletas portugueses ou seleção nacional «A» numa fase final do Campeonato da Europa”.

Tal inclusão nessa lista, apesar de constituir um passo, não é um fim. Essa inclusão apenas permite, de alguma forma, liberalizar a negociação dos direitos televisivos sobre os eventos desportivos bafejados pela sorte de serem incluídos na Lista. Mas falta mais, muito mais.

Portugal passou a Fase Preliminar em segundo e na estreia na Ronda Principal venceu a vice-campeã europeia, Suécia
Fonte: EHF EURO

Os nossos atletas, a Seleção Nacional de Andebol, a Federação de Andebol de Portugal, o país merecia ver a prestação desportiva nacional neste Campeonato da Europa. O país é muito mais do que apenas uma modalidade. O país para se poder sentir, reconhecer e designar verdadeiramente desportivo tem que afastar o conceito minimalista de desporto que perdura, e é objeto de eco por quem, nestas matérias, tem o dever de dar o exemplo.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários