Anterior1 de 3

A equipa de andebol do SL Benfica parte para a nova época com as expectativas em alta, depois das mexidas que tem feito no mercado de transferências. Já passam 13 anos desde a última vez que o andebol encarnado conquistou o seu último campeonato e a verdade é que, no papel, parece que as hipóteses de quebrar esta seca nunca foram tão grandes.

A última temporada teve um balanço negativo para as águias, mas realista face às armas de que a equipa dispunha em relação aos clubes rivais. Apesar disso, a época deixara alguns sinais positivos para o futuro e fez com que pudesse ser estabelecida uma base à volta da qual pode ser construída uma equipa mais profunda, capaz de lutar em todas as frentes.

Anúncio Publicitário

A nível de saídas, o SL Benfica viu sair jogadores que não eram reais mais-valias para a equipa, sendo substituídos por jogadores que darão mais garantias.

O lateral-direito Kévynn Nyokas era um jogador que, num dia bom, era capaz de contribuir com uma boa quantidade de golos. No entanto, para além de não ser um grande defensor, era também um jogador com uma forte propensão a cometer falhas técnicas que resultavam em contra-ataques para a equipa adversária.

Nyokas foi uma das saídas do andebol do SL Benfica
Nyokas foi uma das saídas do andebol do SL Benfica
Fonte: Carlos Silva/ Bola na Rede

O jovem pivot Pedro Loureiro era um jogador que pouco contou para o plantel. Já o ponta-esquerda João Pais viria a colocar um ponto final na sua carreira após mais de dez anos ao serviço do Sport Lisboa e Benfica.

O pivot Matic Suholeznik foi a saída mais recente a ser anunciada. Dos reforços da época passada, o internacional esloveno foi o que menos me convenceu, não sendo a âncora defensiva que prometia ser, e demonstrando ser um jogador lento e preso de movimentos.

Quanto a chegadas, a primeira a ser anunciada foi a do internacional português Alexis Borges. O pivot luso-cubano está, assim, de regresso a Portugal depois de um ano ao serviço dos franceses do Montpellier, sendo uma das aquisições mais sonantes deste mercado nacional.

Para a posição de lateral-direito (uma das mais carenciadas no SL Benfica nos últimos anos) vieram dois jogadores. O primeiro a ser apresentado foi Demis Grigoras, um internacional romeno que chega dos franceses do Chambery Savoie, sendo um lateral com bom remate, e também muito habilidoso no 1vs1 e que combina bem com o pivot.

Não sendo um atirador nato como é Petar Djordjic, é um jogador com um perfil que encaixa no modelo de jogo de Chema Rodriguez, que gosta de laterais móveis, desequilibradores e que tomem boas decisões.

Anterior1 de 3

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome