A CRÓNICA: AFINAL A CHAVE ESTAVA NA BALIZA

O Sporting Clube de Portugal chega à fase de grupos da recém-criada EHF European League depois de duas batalhas frente aos romenos do HC Dobrogea Sud Constanta na segunda ronda de qualificação. Apesar do apuramento para a fase seguinte, os leões demonstraram várias lacunas nesta eliminatória que têm de ser analisadas pelo técnico Rui Silva.

O encontro começou com a equipa da casa por cima. Com uma defesa 6×0 aguerrida e que pressionava bastante a primeira-linha romena, os leões depressa chegaram a uma vantagem de dois golos (3-1), mas permitiram a recuperação visitante poucos minutos depois.

Devido a alguma lentidão na circulação de bola e ao uso excessivo do drible em situações de jogo organizado, o Sporting tinha muitas dificuldades em ultrapassar o forte bloco central do Dobrogea, que já na primeira mão colocara problemas. Para piorar a situação, quando conseguia criar situações de finalização, permitia a intervenção do guardião visitante, Ionut Iancu.

Aos 17 minutos de jogo, o Dobrogea chegou mesmo à vantagem pela primeira vez no encontro, e os verdes-e-brancos viam a sua tarefa ainda mais complicada, mas muito por culpa própria. Com o marcador a assinalar 10-12 ao intervalo, a turma de Alvalade contabilizava quatro bolas de golos que foram falhadas aos seis metros.

Anúncio Publicitário

No segundo tempo, Rui Silva decidiu fazer algumas mudanças, colocando Salvador Salvador e Nuno Roque em campo para os lugares de Jens Schöngarth e Carlos Ruesga, mas quem entrou melhor foi mesmo a equipa de Djordje Cirkovic.

Esta tendência manteve-se durante alguns minutos, mas “bastou” um aumento da intensidade defensiva leonina para o conjunto da casa regressar à liderança do marcador – aconteceu à passagem dos 50 minutos, já depois de Frankis Carol receber ordem de expulsão por acumulação de exclusões de dois minutos.

Até ao final do encontro, Francisco Tavares foi a principal arma do Sporting, com o ponta a ser letal tanto na marcação de livres de sete metros, como em ataques rápidos.

Vendo-se a perder, o Dobrogea abriu mais a sua defesa de forma a condicionar o ataque sportinguista, mas ao fazê-lo abriu espaços que iam sendo aproveitados. O conjunto de Rui Silva ainda viu Nuno Roque receber cartão vermelho direto, mas soube gerir o resultado. Até ao final, Matevz Skok ainda defendeu um livre de sete metros que se tornou fulcral e, com isso, os leões conseguiram garantir a vitória por 22-21 e um lugar na fase de grupos da primeira edição da EHF European League.

 

A FIGURA

Fonte: Sporting CP

Francisco Tavares: O ponta-direita português foi letal da linha de sete metros e uma das chaves para esta vitória. Tapado por Djukic, Tavares aproveitou cada oportunidade, teve gelo nas veias nos momentos de maior intensidade, e garantiu este apuramento. Caso pudesse haver dois “homens-do-jogo”, o prémio seria dividido com Matevz Skok que fechou a baliza e segurou a vitória.

 

O FORA DE JOGO

Fonte: Sporting CP

Frankis Carol: O experiente lateral-esquerdo foi expulso por acumulação de dois minutos numa altura crucial do encontro e quando a sua equipa mais necessitava da sua experiência e talento. Apesar dos seis golos marcados, Frankis colocou em risco a continuidade do Sporting na competição quando foi expulso.

 

ANÁLISE TÁTICA – SPORTING CP

Dadas as dificuldades que enfrentou na primeira mão, o Sporting manteve o seu 6×0 defensivo tradicional, mas tornou-o mais móvel e agressivo no momento de pressionar a primeira linha romena.

Esta estratégia funcionou até certo ponto, mas o desgaste acabou por se fazer sentir e foi nessas alturas que os leões viram o Dobrogea crescer. Mais ainda, o aumento da intensidade e agressividade defensiva levou a um aumento no número de exclusões de dois minutos, o que podia ter sido determinante para o resultado do jogo e da eliminatória.

SETE INICIAL E PONTUAÇÕES

Matevz Skok (9)

Darko Djukic (6)

Jens Schöngarth (6)

Carlos Ruesga (6)

Frankis Carol (6)

Arnaud Bingo (6)

Tiago Rocha (5)

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

Théo Clarac (7)

Pedro Valdés (7)

Salvador Salvador (6)

Nuno Roque (7)

Francisco Tavares (8)

Manuel Gaspar (6)

 

ANÁLISE TÁTICA – HC DOBROGEA SUD CONSTANTA

A equipa romena foi fiel aos seus princípios e podia muito bem ter-se apurado para a fase de grupos. A defesa 6×0 condicionou e de que forma o ataque leonino, e no ataque iam conseguindo arranjar soluções, em grande parte graças à força de Vitaly Komogorov, lateral-esquerdo russo. Caso o Dobrogea tivesse aproveitado melhor os períodos de superioridade numérica, provavelmente estaríamos a falar da eliminação do Sporting.

SETE INICIAL E PONTUAÇÕES

Ionut Iancu (7)

George Buricea (6)

Vitaly Komogorov (7)

Zoran Nikolic (7)

Irakli Chikovani (5)

Nebojsa Simovic (5)

Ionut Ionita (6) 

SUBS UTILIZADOS E PONTUAÇÕES

Ciprian Sandru (6)

Igor Radojevic (5)

George Buricea (6)

Gabriel Ilie (6)

Fábio Chiuffa (6)