Estivemos por Bruxelas e contamo-vos tudo o que aconteceu no segundo e último dia de finais Diamond League!

O Bola na Rede e o Planeta do Atletismo estiveram em Bruxelas
Fonte: Bola na Rede/Planeta do Atletismo

Bem no final da temporada 2018, Pedro Pablo Pichardo alcançou a maior conquista da carreira até ao momento, com a vitória na Liga Diamante, representando Portugal! O atleta que nasceu em Cuba, mas que tem a nacionalidade portuguesa desde o final de 2017, venceu a final do Triplo Salto da IAAF Diamond League com um salto, ao quarto ensaio, de 17.49 metros (+0.5) e comemorou envolto na bandeira nacional, mostrando ao mundo as cores portuguesas. Um ano verdadeiramente em grande para o Triplo Salto português que começou com a vitória de Nelson Évora na IAAF World Indoor Tour, continuou – ainda melhor – com o Bronze de Nelson Évora nos Mundiais de Pista Coberta em Birmingham, prolongou-se com o Ouro de Évora nos Europeus de Berlim e fecha com a conquista da Liga Diamante por parte de Pedro Pichardo. Fecha, vamos ver. É que daqui a uns dias decorrerá, em Ostrava, a IAAF Continental Cup, onde Nelson Évora também participará, em representação do continente europeu. Quanto à prova de ontem, Pedro Pablo Pichardo esteve praticamente sempre no comando da mesma. Saltou a 17.31 metros (+0.6) logo no primeiro salto, deixando um aviso claro à concorrência. E surpreendentemente – ou talvez não, pois estava uma noite fria, em Bruxelas, com uma temperatura de 17º, longe das condições ideais para o Triplo – a concorrência tardou a reagir. Christian Taylor, ao quarto ensaio, saltou também 17.31 metros (0.0) e aí passava para a frente de Pichardo, pois o segundo salto era superior. Logo de seguida, Pichardo reagiu e saltou a 17.49 metros (+0.5), algo a que Taylor não conseguiu responder. Curiosamente foram os únicos saltos válidos de Pichardo e chegaram para que o atleta se sagrasse campeão desta edição da Liga Diamante, sendo o primeiro português a fazê-lo na história da competição iniciada em 2010. 

Anúncio Publicitário

Dificuldades maiores teve Nelson Évora, que fez 5 nulos na noite de ontem e o único válido muito abaixo do seu nível, com a marca a ficar-se pelos 15.86 metros (+1.1), sendo oitavo.