Anterior1 de 3Próximo

Marcas de enorme qualidade marcaram o meeting Zurique (Suíça), o primeiro das duas finais da IAAF Diamond League de 2019. E o Atletismo volta a sorrir, como bem precisava, depois de dois escândalos de doping terem marcado a semana.

AS BARREIRAS QUE CADA VEZ PARECEM MAIS PEQUENAS

Temos que começar por aqui o nosso rescaldo: 46.92 segundos! Esta foi a marca de Karsten Warholm nos 400 metros barreiras, o 2º tempo mais rápido da história da disciplina e um novo recorde europeu!

Numa prova bastante antecipada (ficou para o fim da noite), o norueguês Warholm partiu bastante rápido, viu o norte-americano Rai Benjamin chegar-se perto, mas terminou em força no 1º lugar, sendo aos dias de hoje o favorito ao Ouro para os Mundiais de Doha. Rai Benjamin correu em 46.98 segundos, igualando o 3º mais rápido de sempre na disciplina (Abderrahman Samba), sendo esta a primeira vez na história que dois homens baixam dos 47 segundos numa prova.

Em Doha, Warholm, Benjamin e Samba estarão presentes, todos eles à procura do Ouro e, quem sabe, do recorde mundial de Kevin Young (46.78), que dura desde 1992!

Sydney McLaughlin bateu a recordista mundial
Fonte: IAAF

Na prova feminina da mesma disciplina, também falar de recorde mundial já faz parte do prato do dia. Afinal é o mais recente recorde mundial do atletismo, depois da norte-americana Dalilah Muhammad ter corrido em 52.20 há um mês atrás. Nesse dia, conquistou os Campeonatos Norte-Americanos, batendo a jovem promessa Sydney McLaughlin e destruindo um recorde mundial que durava há 16 anos.

Hoje, Sydney conseguiu uma “pequena” vingança, conquistando o Diamante no seu ano de estreia no circuito profissional. Muhammad fez uma corrida atípica, demasiado rápida no início, tentando ajustar ainda cedo – com cerca de 100 metros percorridos – mas totalmente fora do ritmo forte e regular de McLaughlin que venceu em 52.85 segundos, a sua melhor marca da temporada. Muhammad ficou em 3º com 54.13, muito longe do seu melhor. Ambas as provas prometem muito para o Qatar e as duas com vários jovens que prometem por aqui ficar por muitos anos!

SHAUNAE MAIS UMA VEZ – DESTA VEZ AINDA MELHOR!

Miller-Uibo brilha naquele que não é o seu principal evento!
Fonte: IAAF

Shaunae Miller-Uibo foi um dos grandes destaques da noite, ao correr os 200 metros em 21.74 segundos (-0.4). Um grande novo recorde pessoal e recorde nacional das Bahamas, sendo também os 200 metros mais rápidos da história da Diamond League. Miller-Uibo não foi, mais uma vez, a mais rápida nos primeiros 100 metros, mas é sempre fortíssima depois da curva e não há quem a consiga apanhar, sendo, por larga margem, a que tem a menor desaceleração nos últimos metros.

Infelizmente, não poderá fazer esta prova nos Mundiais de Doha, pois a IAAF não acedeu aos seus pedidos de mudar os horários das provas e possibilitá-la de fazer os 200 e os 400… sendo os 400 metros a sua prova de eleição – onde é a campeã olímpica – a atleta das Bahamas escolheu a volta completa à pista. Nessa distância, os 400 metros, a atleta do Bahrain, Salwa Eid Naser – sem a grande rival Miller-Uibo em pista – passeou por completo, vencendo em 50.24, parecendo até em gestão na reta final.

Já nos homens, a velocidade tinha hoje a final dos 100 metros. Sem reunir as atenções de tempos recentes e sem Christian Coleman envolvido num escândalo de doping (terá falhado a presença em 3 controlos anti doping num ano). Noah Lyles venceu a prova em 9.98 segundos, ele que também não estará nos 100 metros de Doha por opção – escolheu apenas os 200 metros, onde é o líder mundial. Correu em 9.98, mas todos os outros em prova não baixaram dos 10 segundos, fazendo soar alguns alarmes de uma possível medalha de Ouro em 10 segundos nos Mundiais, algo que não se vê desde 2003, com o Ouro de Kim Collins em Paris.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários