Anterior1 de 3Próximo

Mais uma vez, os NCAA – os campeonatos universitários norte-americanos – voltaram a mostrar performances e resultados impressionantes, caindo mesmo recordes de várias décadas. No entanto, há um fantasma que continua a pairar sobre as marcas alcançadas no evento. 

Sha’Carri voou…e virou já profissional! 

No passado dia 8 de Junho, Sha’Carri Richardson espantou todo o mundo ao correr os 100 metros em 10.75 segundos, uma marca que coloca a jovem de 19 anos no top-10 da história mundial da distância. Para se ter uma ideia da marca, fazemos um simples exercício: retiramos da equação a estratosférica (e muito suspeita) marca de Flo-Jo, os inatingíveis 10.49 que se mantêm como recorde mundial e vemos que a atleta mais rápida a seguir é Carmelita Jeter, com os seus 10.64 segundos corridos em Xangai em 2009. Pouco mais de um décimo de diferença para a marca de Richardson! Os 10.75 destruíram o anterior recorde mundial júnior – 10.88 de Marlies Göhr – que durava desde 1977!

Anúncio Publicitário

A jovem ainda voltaria à pista 45 minutos depois para correr os 200 metros em 22.17, tornando-se também na nova recordista mundial júnior da distância (o anterior recorde pertencia a Allyson Felix desde 2004) e na primeira mulher da história (de qualquer idade) a correr no mesmo dia 100 metros abaixo dos 10.8 e 200 metros abaixo dos 22.2. Antes de entrar para esta temporada, os melhores pessoais de Sha’Carri eram de 11.28 aos 100 metros (em 2017) e de 23.28 nos 200 metros (também em 2017).

Poucos dias depois, Sha’Carri anunciou que iria já deixar a Universidade, tendo optado pela imediata profissionalização, provavelmente atraída por um contrato milionário e pela opinião de alguns especialistas, como Ato Boldon, que afirmou que este é o melhor momento para a atleta capitalizar o seu valor, pois será difícil melhorar muito mais as suas marcas, ainda que tenha apenas 19 anos, feito em Março deste ano. 

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorPortugal 28-28 Lituânia: Seleção empata no último jogo de qualificação
Próximo artigoTénis Português: Sousas com sortes distintas
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.