Anterior1 de 3Próximo

Iniciados na passada quarta-feira, é este Domingo que se inicia o programa de Atletismo dos Jogos da Commonwealth. Sendo um fenómeno por vezes pouco compreendido por quem do mesmo não faz parte, os Jogos assumem especial importância para os atletas presentes e bastará dizer que entre os vencedores constam nomes como Usain Bolt (nas estafetas), Frank Fredericks, Ato Boldon, Kim Collins, Asafa Powel, Kirani James, Ezekiel Kemboi, Greg Rutherford, Phillips Idowu ou Jonathan Edwards. No feminino, dos nomes mais famosos entre os vencedores, constam Maria de Lurdes Mutola, Kelly Holmes, Paula Radcliffe, Sally Pearson, Christine Ohuruogu, Faith Kipyegon ou Vivian Cheruiyot.

Ainda assim, nem sempre é consensual a presença das principais estrelas no evento, preferindo por vezes priorizar outras opções no calendário desportivo, como foi o caso mais evidente a edição de 2010 em Dehli. Este ano, apesar de algumas ausências mais ou menos forçadas, não nos podemos queixar do número de atletas de topo presentes, existindo algumas provas com elencos de nível máximo. Mas já lá vamos.

Primeiro, é necessário explicar o que é a Commonwealth. A Commonwealth é uma organização intergovernamental composta por 53 países que possuem laços entre si, sendo que 51 dos membros faziam parte do antigo Império Britânico e é a partir dessa comunhão que tudo se desenvolveu. As únicas excepções são o Ruanda (que fazia parte do Império Belga) e…Moçambique! Sim, Moçambique que era portuguesa, mas que ganhou presença no grupo em 1995,com o apoio dos vizinhos que os rodeiam que apoiaram a sua entrada no grupo.

Em sentido inverso, deixaram a comunidade o Zimbabwe e a Gambia. Por aqui se percebe, que dentro deste grupo existem importantes nações no panorama do nosso desporto, como por exemplo, a Jamaica, a Austrália, a Nigéria, o Quénia, a África do Sul, o Canadá e, claro, a Inglaterra. No entanto, os Jogos não se resumem ao Atletismo. As 53 nações estão representadas em 71 equipas (por exemplo a Grã-Bretanha divide-se em Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte e outros territórios dependentes trazem equipas individuais) que disputam ao longo de 12 dias, 275 eventos em 19 diferentes desportos, formando uns “mini Jogos Olímpicos”, tendo inclusive direito a uma aldeia dos atletas.

Os Jogos deste ano realizam-se na fantástica Gold Coast na Austrália que tem, até ao momento, vivido a competição com grande entusiasmo. Falando do Atletismo, iremos destacar neste artigo 14 momentos (7 no masculino e 7 no feminino) que consideramos que podem vir a ser os momentos dos campeonatos e aqueles que não podem mesmo perder.

Anterior1 de 3Próximo

Comentários

Artigo anteriorClub Atlético Madrid 2-0 Sporting CP: Não há vitórias morais quando o psicológico fica em casa
Próximo artigoEsta conferência Este não é para velhos
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.