O Início de 2019

Não é uma disciplina que a atleta portuguesa habitualmente dê prioridade, mas a sua primeira prova do ano foi no Salto em Comprimento no Pombal a 12 de Janeiro. Saltou 6.34 centímetros, um novo recorde pessoal e a fluidez da sua fase de corrida permitiu perceber de imediato que Patrícia Mamona poderemos esperar para este ano. Uma semana depois, no apuramento do Nacional de Clubes, fez a sua primeira prova de Triplo Salto e, com sucesso, saltou 14.09 metros, alcançando por larga margem a marca de qualificação para os Europeus de Glasgow. No ano passado, a atleta do Sporting apenas em duas competições ultrapassou os 14 metros (durante o mês de Julho), tendo sido obrigada a saltar a temporada de pista coberta, pelo que a marca alcançada no Pombal era um excelente sinal, sendo um resultado dentro dos níveis habituais da atleta nas primeiras competições das suas épocas de maior sucesso.

Esta semana, participava no Meeting de Karlsruhe, parte da IAAF World Indoor Tour (competição que Mamona já venceu em 2017), e a tarefa que tinha pela frente afigurava-se exigente. A prova era, provavelmente, a que apresentava o elenco mais forte do meeting e contava com nomes como a venezuelana Yulimar Rojas (campeã mundial indoor e outdoor); a espanhola Ana Peleteiro (Bronze nos Europeus ao ar livre de Berlim e Bronze nos Mundiais de Pista Coberta de Birmingham); a ucraniana Olha Saladukha (ex-campeã mundial e medalhada olímpica); a norte-americana Tori Franklin (a segunda a saltar mais longe em 2018 – 14.84 metros) ou Kristin Gierisch (Prata nos Europeus de Berlim e atual campeã europeia em Pista Coberta).

A prova foi vencida pela espanhola Ana Peleteiro, que alcançou um novo recorde pessoal indoor ao saltar 14.51 metros. No segundo lugar, com alguma surpresa, ficou a campeã mundial Yulimar Rojas (que saltou 14.45 metros). Mas vamos destacar os 14.36 metros feitos por Mamona, que são de enorme valor, igualando o (seu) recorde nacional de Pista Coberta – a atleta não saltava tanto em ambiente indoor desde o dia 22 de Fevereiro de 2014 (há praticamente 5 anos). Como outra nota positiva da sua prestação fica o registo de ter feito 5 saltos válidos e todos igual ou acima dos 14 metros, o que demonstra bem o estado de espírito e a confiança da atleta portuguesa.

Comentários

Artigo anteriorPrevisões para Formula 1 em 2019: Equipas
Próximo artigoO vôo da Águia, take 2
O Pedro é um amante de desporto em geral, passando muito do seu tempo observando desportos tão variados, como futebol, ténis, basquetebol ou desportos de combate. É no entanto no Atletismo que tem a sua paixão maior, muito devido ao facto de ser um desporto bastante simples na aparência, mas bastante complexo na busca pela perfeição, sendo que um milésimo de segundo ou um centimetro faz toda a diferença no final. É administador da página Planeta do Atletismo, que tem como principal objectivo dar a conhecer mais do Atletismo Mundial a todos os seus fãs de língua portuguesa e, principalmente, cativar mais adeptos para a modalidade.                                                                                                                                                 O Pedro escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.