Anterior1 de 2Próximo

O último sábado ficou marcado pelo Triplo Salto a nível nacional e a nível internacional, embora por diferentes razões. Se em Portugal, o grande destaque foi a nível desportivo no feminino; a nível internacional, a disciplina foi notícia por diferentes e mais polémicas razões no masculino.

1, 2…3 portuguesas no Triplo de Doha!

Depois dos Europeus de Berlim, os Mundiais de Doha e os Jogos de Tóquio…no Triplo!
Fonte: Evelise Veiga

Foi cedo nesta temporada que Patrícia Mamona e Susana Costa conseguiram a qualificação para os Mundiais de Doha, que se realizam entre 27 de Setembro e 6 de Outubro deste ano. Ambas as atletas brilharam na temporada em pista coberta, alcançando recordes pessoais (no caso de Susana Costa, foi mesmo absoluto, ar livre ou pista coberta) e só não chegaram às medalhas nos Europeus Indoor de Glasgow, porque a prova atingiu níveis há muito não vistos. A dupla de sucesso portuguesa é um dos casos mais felizes do desporto nacional, somando ambas importantes presenças em grandes competições internacionais, finais e medalhas (Mamona até já alcançou o Ouro nos Europeus de Amesterdão, em 2016).

Era difícil pensar num contingente maior para os Mundiais, mas se algum nome pudesse despertar uma maior curiosidade seria o de Lecabela Quaresma. Ora, a atleta especialista nas provas combinadas, tinha no ano passado atingido os 13.90 metros (+1.1) no ano passado e até ventosos 14.19 metros (+2.6), tendo se qualificado para os Europeus de Berlim, como a terceira portuguesa a saltar mais longe na história da disciplina.

Em 2018, também Evelise Veiga já tinha deixado boas indicações nesta disciplina, quando saltou 13.65 metros (+0.3) em Jesolo – com direito a Prata nos Campeonatos do Mediterrâneo Sub-23 – mas todos olhavam para o Triplo como um bom complemento e um importante treino para a sua evolução no Comprimento, a sua especialidade (foi oitava nos Europeus do ano passado). Poucos previram que a atleta fizesse o que foi fazer no passado sábado à Maia: saltar 14.32 metros (+0.6)! A marca garante à atleta do Sporting marca de qualificação para os Mundiais de Doha e também para os Jogos Olímpicos de Tóquio do próximo ano e, com certeza, lhe dará ainda mais confiança para alcançar o mesmo no Salto em Comprimento. A marca aumenta o anterior recorde pessoal de Evelise em incríveis 67 centímetros!

A atleta sobe a terceira melhor portuguesa da história e terceira a passar (com vento legal) acima dos 14 metros, apenas atrás de Patrícia Mamona (recorde pessoal: 14.65) e Susana Costa (recorde pessoal: 14.43). É também a segunda melhor no Comprimento (recorde pessoal: 6.61), embora aqui bem mais longe de Naide Gomes (recorde pessoal: 7.12). Iremos ver a atleta de 23 anos em ambas as disciplinas nos Mundiais de Doha? Ainda que, para já não tenha marca no Comprimento, assim o esperamos. No programa, ambas as provas ocorrem numa fase tardia da competição, com as eliminatórias do Triplo a decorrerem a 3 de Outubro, com final a 5 de Outubro e as eliminatórias do Comprimento a 5 de Outubro (poucas horas antes da final do Triplo), com a final a 6 de Outubro, último dia do evento.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários