Como formar jogadores inteligentes?

    Como se forma um basquetebolista inteligente?

    Não é fácil opinar se o talento dos ditos jogadores inteligentes é inato, fruto do treino, ou dos dois.

    Sabemos sim que a inteligência tática também se educa. Para isso nada melhor que os treinadores criarem condições para que os jogadores adquiram um conhecimento estratégico e tático do jogo que lhes permita jogar de forma inteligente e que lhes facilite a tomada decisões num meio hostil e em constante mutação.

    As novas perspetivas da aprendizagem do basquetebol têm sofrido uma importante revolução com a ligação à neurociência. Os conteúdos passam a ter não só as partes técnico-táticas, motoras (condicionais e coordenativas), mas também levam em conta a parte psico-cognitiva.

    Os jogadores aprendem a partir de tarefas com implicações cognitivas e sempre relacionadas com o jogo. Tendo por base as habilidades coordenativas, com as tarefas baseadas no trabalho em multiáreas (realizar diferentes tarefas de forma a obrigar a trabalhar diferentes zonas do cérebro).

    O grande objetivo é formar jogadores inteligentes para o rendimento desportivo. Para isso temos de passar dos modelos estanques e fora do contexto do jogo para modelos construtivistas com base no treino cognitivo. O treino de basquetebol não faz grande sentido descontextualizado já que não terá transferência para o jogo. Assim devemos contextualizar as tarefas. Como diz o Prof. Jorge Araújo: “Treina como queres jogar”.

    - Advertisement -

    Subscreve!

    Artigos Populares

    FC Porto confirma que jogo com Santa Clara começa mais tarde

    O FC Porto vai enfrentar esta quinta-feira o Santa...

    Hubert Hurkacz confirmado no Estoril Open 2024

    Hubert Hurkacz está de volta a Portugal. O tenista...

    Sporting comunica morte da antiga futebolista Filipa Mandeiro

    Morreu Filipa Mandeiro. A antiga jogadora de Futebol do...
    Mário Silva
    Mário Silvahttp://www.bolanarede.pt
    De jogador a treinador, o êxito foi uma constante. Se o Atletismo marcou o início da sua vida desportiva enquanto atleta, foi no Basquetebol que se destacou e ao qual entregou a sua vida, jogando em clubes como o Benfica, CIF – Clube Internacional de Futebol e Estrelas de Alvalade. Mas foi como treinador que se notabilizou, desde a época de 67/68 em que começou a ganhar títulos pelo que do desporto escolar até à Liga Profissional foi um passo. Treinou clubes como o Belenenses, Sporting, Imortal de Albufeira, CAB Madeira – Clube Amigos do Basquete, Seixal, Estrelas da Avenidada, Leiria Basket e Algés. Em Vila Franca de Xira fundou o Clube de Jovens Alves Redol, de quem é ainda hoje Presidente, tendo realizado um trabalho meritório e reconhecido na formação de centenas de jovens atletas, fazendo a ligação perfeita entre o desporto escolar e o desporto federado. De destacar ainda o papel de jornalista e comentador de televisão da modalidade na RTP, Eurosport, Sport TV, onde deu voz a várias edições de Jogos Olímpicos e da NBA. Entusiasmo, dedicação e resultados pautam o percurso profissional de Mário Silva.                                                                                                                                                 O Mário escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.