spot_imgspot_img

    Milwaukee Bucks: Revalidação ou uma tragédia grega à espera de acontecer?

    Quando se discute quais os principais favoritos à conquista do título da NBA, torna-se quase imperativo mencionar os atuais campeões. Os Milwaukee Bucks, liderados pelo técnico Mike Budenholzer, realizaram um trajeto glorioso na época passada que esperavam repetir na presente temporada.

    Depois de conquistarem o seu primeiro título em 50 anos, os Bucks regressaram à competição como um dos grandes candidatos a marcar presença nas finais da NBA, uma expectativa elevada, mas com um fundamento sólido que justificava esta aposta. Afinal, a equipa manteve o seu principal núcleo de jogadores intacto, conhecido pelo seu espírito aguerrido e altamente competitivo.

    A organização e os seus fãs esperavam que o coletivo forte da época transata produzisse resultados idênticos ou até melhores em comparação com 2020/2021. No entanto, o elemento mais marcante até agora identificado pelos analistas é a sua inconsistência exibicional, algo que inclusive poderá custar à estrela da companhia o seu terceiro prémio de MVP.

    A versão atual do Bucks acabou janeiro com um recorde pouco habitual de apenas 7 vitórias e 8 derrotas. Durante esta sequência de jogos, houve vitórias marcantes contra Brooklyn, Golden State, Memphis e Chicago. Contudo, também houve derrotas decepcionantes frente a Toronto (por duas vezes), Denver, Cleveland e Detroit.

    Os Milwaukee Bucks estão a ter dificuldades óbvias nesta fase do campeonato e vários dos problemas podem ser atribuídos à ausência de Brook Lopez, provavelmente o seu jogador defensivo mais valioso. Com a trade deadline de 10 de fevereiro a aproximar-se, existe ainda a oportunidade dos responsáveis dos Bucks arriscarem e fazerem uma mudança de última hora no plantel que permita alterar a sua sorte e reforçar a ambição pela presença nas finais deste ano.

    A melhor maneira de eliminar estes obstáculos seria, teoricamente, através de uma troca, mas não significa que isso realmente seja benéfico para as esperanças da equipa.

    Os Bucks de facto sentem falta de Brook Lopez, surgindo rumores constantes de propostas para tentar mitigar este risco antes dos playoffs. Na opinião dos analistas e dos adeptos, falta um center que possa não só ser uma opção imediata, mas acima de tudo que seja um bom defensor e que consiga retirar alguma da presssão atribuída a Bobby Portis e Giannis Antetokounmpo nestes momentos.

    Muitos foram os nomes indicados, entre eles, DeMarcus Cousins, Mo Bamba e Dwight Howard. Infelizmente, não há muita margem de manobra para os Bucks no mercado e, se formos honestos, nenhum destes nomes oferece a mesma sensação de confiança que Brook Lopez implementaria. Hipotecar os poucos ativos que os Bucks têm num jogador de rotação que provavelmente não participará dos playoffs traduz-se somente num mau negócio.

    É verdade que, aos 33 anos e depois de uma cirurgia às costas, a possibilidade do atleta voltar à sua melhor forma a tempo dos playoffs é, no mínimo, ambígua. Não obstante, os campeões em título acreditam que Lopez irá disputar jogos durante a época regular, um sinal positivo para o futuro da organização.

    Se a sua recuperação for boa e puder aumentar a intensidade dos seus treinos, talvez Lopez possa regressar e usar o restante da temporada regular para encontrar o seu ritmo e  preparar-se para os playoffs. Os Bucks estão mais do que habituados a fazer ajustes espontâneos ao longo da época, pelo que a reintegração no núcleo de trabalho não deverá constituir um problema.

    Ainda há outras operações que a equipa de Milwaukee pode efetuar. A mais óbvia prende-se com a possível existência de uma vaga em aberto no plantel, bastante apelativa para jogadores no mercardo aberto que procuram a conquista de um título antes do final da carreira e que podem ajudar o grupo na pós-temporada. No entanto, parece cada vez menos provável que este lugar possa ser preenchido por um center que realmente faça a diferença.

    No contexto geral, Milwaukee aparenta não estar muito preocupado com o desenrolar das suas exibições, uma vez que já teve uma experiência semelhante na época passada e acabou por vencer o troféu. De recordar que, antes do sucesso recente, os Bucks foram os primeiros classificados da Conferência Este em temporadas consecutivas, mas nunca chegaram a ultrapassar as finais de conferência, demonstrando que a classificação da temporada regular não importa em certas ocasiões.

    Assim como o período mais medíocre da última temporada, tendências preocupantes desenvolveram-se e palavras menos agradáveis foram proferidas. Isso não impediu que os Bucks tivessem uma percentagem de vitórias bem acima dos 50% e, atualmente, a equipa volta a ocupar os lugares cimeiros da tabela classificativa, muito próximo dos Chicago Bulls e dos Miami Heat.

    Ainda assim, é importante realçar que esta é, talvez, a Conferência Este mais imprevisível em mais de uma década, com equipas como os Raptors, os Cavaliers e os 76ers a intrometerem-se na luta pelos lugares de acesso direto aos palyoffs, sem simultaneamente esquecer a subida de rendimento dos Celtics, dos Hornets e dos Hawks. Por outras palavras, com tantos rivais diretos, não poderia ter existido pior altura para os resultados negativos começarem a surgir.

    Segue-se agora um conjunto de jogos contra equipas da Conferência Oeste, seguidos imediatamente por confrontos de grande exigência no Fiserv Forum, arena dos Milwaukee Bucks. Na temporada passada, os Bucks saíram do seu mal-estar com uma sequência de vitórias. Será que a responsabilidade acrescida irá produzir os mesmos efeitos?

    Até ao momento, tudo indica que o mês de fevereiro será um regresso à normalidade, com vitórias sobre os Washington Wizards, Portland Trail Blazers e Los Angeles Clippers. Por agora, resta-nos avaliar o desempenho das três grandes figuras desta equipa.

    Foto de Capa: Milwaukee Bucks

    Artigo redigido por Diogo Vieira

    - Advertisement -
    spot_img

    Subscreve!

    Artigos Populares

    Rúben Amorim elogia Chermiti, após estreia a marcar na Liga

    Rúben Amorim falou de vários temas na conferência de...

    Sporting obtém vitória contra o Rio Ave

    O Sporting foi vencer o Rio Ave, num jogo...

    Nélson Semedo de volta à Luz? | SL Benfica

    O lateral direito está a jogar em Inglaterra, mas...
    Diogo Valente Vieira
    Diogo Valente Vieirahttp://www.bolanarede.pt
    Estudante na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova de Lisboa. Procura realizar um percurso profissional dedicado sobretudo ao desporto nacional e internacional, através do jornalismo. O seu objetivo principal é tornar o jornalismo desportivo em Portugal o mais imparcial e prático possível, apresentando ao mesmo tempo uma personalidade com a qual a audiência possa identificar-se. Tem como interesses de destaque o futebol, o basquetebol e o wrestling.
    Bola na Rede