NBA, Free-Agency: Os jogadores mais marcantes

    Acabada a época da NBA, este ano com uns moldes algo fora do habitual, com os “playoffs” a começar no verão e a final a ser jogada até ao Outono, eis que chega outra época empolgante: a “Free-Agency” da NBA.

    Altura em que nomes de superestrelas estão por toda a comunicação social e em que algumas adições de jogadores menos importantes, acabam por ser a peça que faltava para tornar uma equipa candidata ao titulo. Assim, prossigamos a uma análise sintetizada dos jogadores mais chamativos que se irão encontrar sem contrato este verão… não? Ups, este Outono! 2020, a quanto obrigas.

    O nome mais óbvio, que qualquer fã do basquetebol está farto de ouvir especulações é o de Anthony Davis. Acabado de se sagrar campeão, o extremo-poste dos Los Angeles Lakers termina contracto com o fim desta época e ainda não garantiu a 100% que irá regressar à cidade dos Anjos. Com médias de 26.1 pontos por jogo, 9.3 ressaltos e ainda 2.3 blocos por jogo, Davis será alvo de todas as equipas que queiram ser candidatas ao titulo.

    O rumor mais falado dos últimos tempos é o de Davis rumar ao seu estado natal e ir jogar para os Chicago Bulls, equipa que pouco sucesso têm tido nos últimos anos. Contudo, a decisão mais sensata, e talvez a que se espera que Davis tome, é manter-se em L.A. O jovem extremo-poste têm ainda alguma margem de progressão e encontrou em LeBron James o mentor ideal para o ajudar a solidificar a sua carreira e a singrar no maior dos palcos, as finais da NBA.

    Um nome que tem estado por baixo dos radares da comunicação social tem sido o de Brandon Ingram, que é um “free-agent” mas com algumas restrições. Isto pois o contracto actual ainda remonta a sua temporada de “rookie”, e pelo que no próximo ano poderá assinar um contracto novo mas têm um tecto salarial de 21 milhões e 796 mil dólares por ano, estando ele a receber cerca de 9 milhões por época actualmente.

    O extremo de 24 anos teve uma época bastante chamativa, pondo a equipa de New Orleans bastante perto dos Playoffs. Com médias de 23.8 pontos por jogos aliados a 6.1 ressaltos, Ingram seria uma boa peça para o ataque de qualquer equipa da liga. Este poderá ter interesse em ficar por New Orleans, principalmente agora com a chegada de Zion Williamson, mas a única questão que fica no ar é será que os New Orleans Pelicans quererão pagar o preço de Ingram? Ou não irão subir as ofertas para o preço de mercado, fazendo com que Ingram mude de rumo em busca de uma oportunidade melhor? Este é um dos casos de manter o olho, uma vez que, com um desentendimento no chamado “front office”, rapidamente poderemos ver Ingram a representar outras cores.

    Brandon Ingram fez a época passada ao serviço dos New Orleans Pelicans onde se destacou ofensivamente
    Fonte: New Orleans Pelicans

    Com uma opção de mais um ano está DeMar DeRozan, o base-extremo dos San Antonio Spurs. Apesar de desde a sua partida dos Toronto Raptors DeRozan nunca mais ter encontrado sucesso aos mesmos níveis que no Canadá, a sua contribuição para o ataque dos Spurs ainda é bastante significativa. DeRozan teve médias de 22.1 pontos com 5.5 ressaltos e 5.6 assistências, num sistema que prioriza o jogo de equipa. A opção, no entanto, está do lado de DeMar DeRozan, que deverá estar inclinado para se manter pelo Texas. No entanto, com a equipa do Canadá sem uma super-estrela aparente e com um teto salarial por preencher, seria interessante ver DeMar a “testar” o mercado da “Free Agency”, e ver por que caminhos o levava.

    Outro nome bastante interessante é o de Fred VanVleet, o base extremo dos Toronto Raptors. O extremo conseguiu médias de 17.6 pontos e 6.6 assistências por jogo, sendo praticamente um base que sabe atirar de 3 pontos. Apesar de não ser a principal escolha no ataque dos Raptors, VanVleet têm noites que parece não falhar de lado nenhum e que tudo o que atira entra. Esta característica de facilmente dominar o jogo e ficar “quente”, poderá atrair muitas equipas interessadas em aumentar as suas opções no ataque. VanVleet é um agente livre sem restrições e, segundo fontes da ESPN, irá testar o mercado para entender quais as suas opções.

    Estes são os nomes que mais captam a atenção dos entusiastas da modalidade. No entanto, nomes como Montrezl Harrell, Bogdan Bogdanovic, Gordon Hayward também se encontram em fim de contracto e também poderão surgir algumas surpresas, apesar de improvável, não seria impossível. Danilo Gallinari também está em fim de contrato e têm se mantido um jogador sólido durante praticamente a sua carreira toda, a questão será mesmo qual o próximo passo dos Oklahoma City Thunder.

    Goran Dragic, o base dos Miami Heat, também é um agente livre sem restrições, ele que aumentou a sua popularidade com esta campanha dos Miami nos playoffs. No entanto, é esperado que este se mantenha pela Flórida e que fique a jogar pelos Miami.

    A free-agency está a chegar, a altura da época sem jogos mas com noticias de nos prender ao ecrã. Apesar de dificilmente voltarmos a ter algo como o que se passou em 2019, resta-nos esperar para ver o que irá acontecer na de 2020, visto que… bem, é 2020 tudo é possível não é verdade?

    Foto de Capa: Los Angeles Lakers

    - Advertisement -

    Subscreve!

    PUB

    spot_img

    Artigos Populares

    Vicente Tigre Avelar
    Vicente Tigre Avelarhttp://www.bolanarede.pt
    Pratica desporto desde os cinco anos, idade em que começou a jogar Basquetebol. Jogou ao serviço da Associação Desportiva Ovarense durante 12 anos (nos quais três foi campeão distrital de Aveiro). É licenciado em Gestão (ensino em Inglês) pelo ISEG e estudante no Mestrado de Finance pela mesma instituição. Instituição pela qual ainda pratica Basquetebol, tendo conseguido chegar ao Top-8 Nacional em duas épocas consecutivas. É uma pessoa com uma paixão pela modalidade e com uma forte opinião sobre a mesma, sempre aberto a diferentes visões e novas experiências.                                                                                                                                                 O Vicente não escreve ao abrigo do novo Acordo Ortográfico.