Anterior1 de 2

Esta semana, assistiu-se à Trade Deadline mais movimentada dos últimos 30 anos. Naquela que é a última semana na qual as equipas da NBA poderão fazer trocas na época, alguns franchises aproveitaram para fazer uns quantos reajustes nos respectivos plantéis. Assim, fazem com que haja equipas a reentrar na corrida pelos play-offs, ou até mesmo na luta pelo título. Nesse artigo, irei mencionar os franchises que mais se destacaram nesta Trade Deadline, tanto pela positiva como pela negativa.

OS DERROTADOS

Orlando Magic – O conjunto do estado da Flórida foi o mais activo nesta Trade Deadline, ao trocar quatro dos cinco jogadores titulares, deixando bem clara a ideia de que pretende fazer um reset no projecto e partir para a reconstrução do plantel. Apesar de se terem destacado pela negativa, ao trocarem activos como Aaron Gordon, Evan Fournier e Nikola Vucevic, esta mudança de rumo por parte do front office acaba por se revelar uma decisão sensata.

Depois de duas presenças consecutivas no play-off, o conjunto orientado por Steve Clifford ocupa actualmente a penúltima posição da Conferência Este. Com a Conferência a tornar-se cada vez mais competitiva, acrescentando às lesões graves de Markelle Fultz e Jonathan Isaac, os Magic tinham pouca margem de manobra para melhorar o plantel e dificilmente conseguiriam chegar mais longe com as armas que tinham à disposição.

Anúncio Publicitário

Como tal, o rebuild teve início nesta Trade Deadline, sendo que alguns dos jogadores que receberam nesta semana não deverão permanecer em Orlando por muito tempo. Com a saída de Nikola Vucevic, espera-se que Mo Bamba (sexta escolha do Draft de 2018) venha a ganhar mais minutos na equipa.

Boston Celtics – Parecia ser uma “missão” difícil, mas Danny Ainge conseguiu enfraquecer ainda mais o plantel. Desde a época passada que o conjunto do Massachusetts está bastante carenciado nas posições interiores, e a tendência descente mantém-se com a ida de Daniel Theis para os Bulls em troca de Luke Kornet, recebendo ainda Moritz Wagner dos Wizards.

Destaque também para a troca de Jeff Teague (que não vinha a convencer em Boston) com Evan Fournier, dando assim a Brad Stevens mais uma opção para dar capacidade concretizadora a partir do banco, juntamente com Marcus Smart.

São mexidas muito curtas para um franchise com aspirações de lutar pelo título, sendo que o melhor que podem almejar, actualmente, é pescar um jogador que tenha acabado de ser dispensado – como é o caso de Andre Drummond. Quem pode ficar a ganhar com estas mexidas são Robert Williams e o rookie Payton Pritchard, que têm tudo para vir a ganhar mais espaço na equipa.

Houston Rockets – Os Rockets assumiram-se como os grandes derrotados, não só da Trade Deadline, mas também de toda a temporada. Daryl Morey saiu do franchise no ano passado pela porta pequena, mas o tempo está a mostrar que a sua saída formou uma bola de neve que tem vindo a aumentar ao longo da época.

O front office do conjunto do Texas trocou Victor Oladipo de forma desesperada, fazendo com que a troca de James Harden, efectuada no início de 2021, não tivesse qualquer retorno, restando as quatro escolhas de primeira ronda do Draft para poder tirar algum proveito do negócio.

Resta o base John Wall para liderar a equipa naquilo que ainda falta da temporada, cabendo ao treinador Stephen Silas construir uma nova equipa à volta do ex-jogador dos Wizards e de jovens como Chris Wood e Kevin Porter Jr.

Foto de Capa: NBA

Anterior1 de 2

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome