Anúncio Publicitário
Anterior1 de 2

Esta semana, assistiu-se à Trade Deadline mais movimentada dos últimos 30 anos. Naquela que é a última semana na qual as equipas da NBA poderão fazer trocas na época, alguns franchises aproveitaram para fazer uns quantos reajustes nos respectivos plantéis. Assim, fazem com que haja equipas a reentrar na corrida pelos play-offs, ou até mesmo na luta pelo título. Nesse artigo, irei mencionar os franchises que mais se destacaram nesta Trade Deadline, tanto pela positiva como pela negativa.

OS DERROTADOS

Anúncio Publicitário

Orlando Magic – O conjunto do estado da Flórida foi o mais activo nesta Trade Deadline, ao trocar quatro dos cinco jogadores titulares, deixando bem clara a ideia de que pretende fazer um reset no projecto e partir para a reconstrução do plantel. Apesar de se terem destacado pela negativa, ao trocarem activos como Aaron Gordon, Evan Fournier e Nikola Vucevic, esta mudança de rumo por parte do front office acaba por se revelar uma decisão sensata.

Depois de duas presenças consecutivas no play-off, o conjunto orientado por Steve Clifford ocupa actualmente a penúltima posição da Conferência Este. Com a Conferência a tornar-se cada vez mais competitiva, acrescentando às lesões graves de Markelle Fultz e Jonathan Isaac, os Magic tinham pouca margem de manobra para melhorar o plantel e dificilmente conseguiriam chegar mais longe com as armas que tinham à disposição.

Como tal, o rebuild teve início nesta Trade Deadline, sendo que alguns dos jogadores que receberam nesta semana não deverão permanecer em Orlando por muito tempo. Com a saída de Nikola Vucevic, espera-se que Mo Bamba (sexta escolha do Draft de 2018) venha a ganhar mais minutos na equipa.

Boston Celtics – Parecia ser uma “missão” difícil, mas Danny Ainge conseguiu enfraquecer ainda mais o plantel. Desde a época passada que o conjunto do Massachusetts está bastante carenciado nas posições interiores, e a tendência descente mantém-se com a ida de Daniel Theis para os Bulls em troca de Luke Kornet, recebendo ainda Moritz Wagner dos Wizards.

Destaque também para a troca de Jeff Teague (que não vinha a convencer em Boston) com Evan Fournier, dando assim a Brad Stevens mais uma opção para dar capacidade concretizadora a partir do banco, juntamente com Marcus Smart.

São mexidas muito curtas para um franchise com aspirações de lutar pelo título, sendo que o melhor que podem almejar, actualmente, é pescar um jogador que tenha acabado de ser dispensado – como é o caso de Andre Drummond. Quem pode ficar a ganhar com estas mexidas são Robert Williams e o rookie Payton Pritchard, que têm tudo para vir a ganhar mais espaço na equipa.

Houston Rockets – Os Rockets assumiram-se como os grandes derrotados, não só da Trade Deadline, mas também de toda a temporada. Daryl Morey saiu do franchise no ano passado pela porta pequena, mas o tempo está a mostrar que a sua saída formou uma bola de neve que tem vindo a aumentar ao longo da época.

O front office do conjunto do Texas trocou Victor Oladipo de forma desesperada, fazendo com que a troca de James Harden, efectuada no início de 2021, não tivesse qualquer retorno, restando as quatro escolhas de primeira ronda do Draft para poder tirar algum proveito do negócio.

Resta o base John Wall para liderar a equipa naquilo que ainda falta da temporada, cabendo ao treinador Stephen Silas construir uma nova equipa à volta do ex-jogador dos Wizards e de jovens como Chris Wood e Kevin Porter Jr.

Foto de Capa: NBA

Anterior1 de 2

Anúncio Publicitário

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome