Anterior1 de 8

A primeira prova de três semanas começa já este sábado, com início em Turim, onde começará a luta pela camisola rosa. A 104.ª edição do Giro de Itália promete, serão 21 dias de prova, com desfecho no dia 30 de maio, na cidade de Milão. No pelotão estarão presentes três portugueses, com João Almeida a comandar as esperanças lusas por terras italianas.

Estarão 23 equipas em competição, num total de 184 corredores. O atual detentor do título, o britânico Tao Hart, não irá estar presente. Da edição de 2020, apenas cinco corredores do top dez final estarão a competir novamente.

Os portugueses João Almeida, Ruben Guerreiro e Nélson Oliveira marcam a sua presença na prova. Os dois primeiros fizeram um brilharete em 2020 e esperam dar novas alegrias aos portugueses. Oliveira volta a competir no Giro, depois de oito anos de ausência. Vai com a missão de trabalhar para o seu líder e para andar como ele sabe nos dois contrarrelógios da prova.

Anúncio Publicitário

A etapa 11 terá o aliciante de ter no seu percurso, partes de sterrato, e poderá ser um dia chave da prova. Depois a alta montanha fará as suas diferenças, nas etapas 12, 14, 16, 17, 19 e 20. No último dia, o contrarrelógio final irá corrigir as posições na geral.

Falta saber quem serão os grandes nomes na luta pela “maglia rosa”.

Foto de Capa: Giro d’Italia

Anterior1 de 8

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome