Anterior1 de 2Próximo

A época de ciclocrosse 2018/2019 chegou ao fim e o principal destaque foi para Ana Santos, que, com idade de júnior de primeiro ano, se destacou entre as Elites, sendo de longe a melhor atleta feminina da época. Já no lado masculino, foram várias as estrelas da estrada a brilhar fora dela, mas os homens do BTT deram luta.

Acima de tudo, a modalidade apresentou um claro crescimento, uma vivacidade nunca antes vista e o aparecimento da SuperLiga do Ciclocrosse do Porto veio ajudar a isso mesmo. Além disso, tivemos corridas atrativas que ajudam a atrair mais adeptos para esta vertente do ciclismo, até agora muito pouco explorada em Portugal.

Campeonatos Nacionais

Ana Santos foi a grande estrela ao competir em Elites e ao sagrar-se campeã nacional. Apesar da tenra idade, a atleta da ASC dominou por completo a jornada e chegou com uma boa vantagem para as adversárias, onde Raquel Queirós foi a melhor das restantes.

Márcio Barbosa ostentando a camisola ganha em Marrazes
Fonte: José Baptista/Portuguese Cycling Magazine

Já nos masculinos, os principais nomes dividiram-se com os mais jovens a decidirem discutir a prova Sub23. Reeditando o duelo dos últimos dois anos, Miguel Salgueiro e Bruno Silva foram os melhores nesta categoria, mas, desta feita, Bruno Silva vingou as derrotas anteriores e conquistou o título.

Por sua vez, nos elites deu-se o mais equilibrado dos combates disputados no Circuito de Marrazes, com os quatro primeiros na discussão até ao fim. Márcio Barbosa acabou por ser o mais forte nos metros finais, relegando Mario Costa e Roberto Ferreira para os restantes lugares do pódio.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários