Anterior1 de 2Próximo

Cabeçalho modalidades

A última Grande Volta da temporada já está na estrada e a La Vuelta 2017 conta com uma lista de participantes de luxo no que à montanha diz respeito com um grande leque de candidatos aos primeiros lugares da classificação geral. O mesmo já não se pode dizer quanto aos sprints, já que nenhum dos grandes nomes da especialidade está presente na prova rainha do nosso país vizinho. No entanto, o grande destaque é mesmo o tratar-se da última prova do campeoníssimo Alberto Contador.

Na terceira edição da Vuelta a começar fora de portas, a prova começou com um contrarrelógio coletivo em Nîmes, no sul de França, que a BMC venceu levando Rohan Dennis à liderança. Entre as equipas dos favoritos à geral, a Sky, 4ª na etapa, começou a dar vantagem a Froome, que até podia ter sido maior e ter levado a etapa se Ian Stannard não tivesse passado dificuldades no último quilómetro, atrasando os britânicos.

Ao segundo dia, uma das poucas etapas verdadeiramente planas da prova viu acontecer algo extremamente raro no ciclismo, os 203,4Km de Nîmes a Gruissan não tiveram direito a uma fuga. Com medo de cortes pelo forte vento que se fazia sentir, as principais equipas colocaram um ritmo forte toda a jornada, não permitindo que nenhum grupo se escapa-se. Na parte final, a Quick-Step Floors, especialista nestes abanicos, fragmentou a corrida e Yves Lampaert atacou para vencer a etapa e subir à liderança com o colega de equipa Matteo Trentin a ser o melhor no sprint pelo 2º lugar e os cortes a fazerem diferenças mínimas entre os que lutam para vestir de vermelho em Madrid.

O ‘tubarão’ Nibali venceu na primeira incursão nas montanhas  Fonte: La Vuelta
O ‘tubarão’ Nibali venceu na primeira incursão nas montanhas
Fonte: La Vuelta

A montanha chegou ao terceiro dia e Chris Froome mostrou estar em grande forma atacando e vendo apenas Johan Esteban Chaves com capacidade para lhe responder, mas na descida para a meta mais 7 se lhes juntaram e Vincenzo Nibali levou a vitória na etapa festejando como um tubarão, a sua alcunha. Alberto Contador é que se deu mal com os ares de Andorra, perdeu mais de 2 minutos e parecia arredado das contas finais, enquanto Froome ascendia à liderança.

Depois de uma quarta etapa sem grande história em que Matteo Trentin venceu ao sprint, os ciclistas depararam-se com uma dura chegada a Alcossebre num topo de 3ª categoria. A fuga discutiu a etapa e Alexey Lutsenko superiorizou-se nesse campo, mas a animação dos favoritos mostrou um Contador com vontade de recuperar o tempo perdido e que, com Froome e Chaves, ficou do lado certo dos cortes que a subida originou.

Foto de Capa: Team Sky

Anterior1 de 2Próximo

Comentários