Cabeçalho modalidadesA semana final do Tour 2017 começou com uma etapa plana, mas que quebrou a monotonia a que a nos estávamos a habituar neste tipo de tirada. Com ventos fortes e algumas subidas na parte inicial, a Team Sunweb atacou forte a corrida desde o início e conseguiu deixar Marcel Kittel para trás, colocando Michael Matthews em posição para se aproximar bastante da camisola verde. O australiano não desperdiçou o trabalho da sua equipa e venceu o sprint intermédio e a etapa para recuperar 50 pontos ao alemão.

Também a geral sofreu mexidas. Com ventos acima de 30Km/h, os quilómetros finais viram o pelotão cortar-se em vários grupos, com Daniel Martin, Louis Mentjes e Alberto Contador a perderem terreno. Romain Bardet também quase foi apanhado pelas bordures, mas um excelente trabalho do seu colega de equipa Oliver Naesen foi quanto bastou para evitar esse destino.

Quarta e quinta deram-nos as últimas etapas de montanha desta edição do Tour e a história do fraquejar de Fabio Aru. Após vencer a primeira chegada em alto e vestir de amarelo, o campeão italiano não esteve ao mesmo nível na última semana e foi o maior derrotado da dupla jornada alpina, para a qual entrou em segundo e saiu em quinto.

A quebra de Fabio Aru foi a grande história da visita do Tour aos Alpes Fonte: Le Tour de France
A quebra de Fabio Aru foi a grande história da visita do Tour aos Alpes
Fonte: Le Tour de France

A etapa 17 foi ganha por Primoz Roglic, o único resistente da fuga do dia. Um antigo saltador de esqui, Roglic entrou tardiamente no ciclismo, mas em força. O ano passado já havia ganho uma etapa no Giro d’Italia e entre as 6 vitórias que leva este ano conta-se a da geral da “nossa” Volta ao Algarve. Se, com um final em descida, as diferenças não foram grandes na geral, o acontecimento do dia foi o abandono de Kittel após queda, deixando a camisola verde praticamente assegurada por Matthews.

Já na etapa 18, apenas a terceira chegada em alto neste Tour, o Col d’Izoard presenteou os adeptos com mais animação, mas sem diferenças de mais entre os três mais fortes deste Tour, Froome, Uran e Bardet. Warren Barguil atacou cedo na subida e foi alcançando, um a um, os ciclistas em fuga para vencer a sua segunda etapa e sentenciar a camisola da montanha.

Anúncio Publicitário