Anterior1 de 3

O início de temporada está aí à porta, com a maioria das equipas em estágio, sobretudo em Espanha, e a preparar as provas que se avizinham. Algumas formações e ciclistas já divulgaram os seus planos para 2021.

A primeira fase do ano é crucial na organização das equipas, e é uma altura em que o calendário dos corredores começa a ser divulgado. A Jumbo-Visma, por exemplo, se tudo correr bem, deverá voltar a apostar em força no Tour de França. Depois de Primoz Roglic ter estado perto da vitória na classificação geral, a equipa holandesa vai tentar chegar à conquista da prova. Roglic será acompanhado por Steven Kruisjwijk, Tom Dumoulin, Sepp Kuss e Wout Van Aert, um superbloco!

A Astana Pro Team divulgou, na apresentação oficial da equipa, algum do planeamento para 2021. O dinamarquês Jakob Fuglsang, Alexey Lutsenko e Ion Izaguirre irão alinhar à partida na Volta a França. O dinamarquês Fuglsang estará de olho nas clássicas das Ardenas e nas provas de uma semana, assim como Izaguirre. Lutsenko irá fazer grande parte do calendário de clássicas do pavé e depois ajudar nas Ardenas. Aleksandr Vlasov irá liderar a equipa no Giro de Itália, mas antes passará pelo Tour de la Provence, Volta ao Algarve, Paris-Nice e Tour of the Alps.

A UAE Team Emirates tem estado a estagiar nos Emirados Árabes Unidos, sede da equipa e também já vazou alguma informação sobre o calendário dos corredores. Esta temporada, Fernando Gaviria irá à Volta a Itália para lutar pelos sprints, enquanto que Davide Formolo e Brandon Mcnulty irão tentar intrometer-se na geral. Tadej Pogacar, Alexander Kristoff e Marc Hirschi serão as cartas da equipa no Tour, na tentativa de revalidar o título do esloveno. Com Pogacar, David de la Cruz e Matteo Trentin a serem as principais cartas para a Vuelta. Rui Costa irá alinhar e liderar, sobretudo, em provas de uma semana, incluindo na Volta ao Algarve, “tudo indica que estarei na Volta à Comunidade Valenciana. Depois, segue-se a Volta ao Algarve, e depois Paris-Nice. Sobre grandes Voltas, o Giro posso deixar de lado, não estarei presente. O Tour ainda é uma incógnita e a Vuelta também não sei ao certo. A estratégia da equipa passa por apostar em mim nas corridas de uma semana, até mesmo nas clássicas de um dia”, referiu Rui Costa. O gaiense Ivo Oliveira tem no calendário a sua participação na Volta ao Algarve, nas clássicas belgas, Tirreno Adriático, Tour da Romandia, Critérium du Dauphiné e Tour de França, para ajudar Kristoff nos sprints, e no terreno plano, na ajuda ao seu líder Pogacar. Rui Oliveira deverá estar presente no Giro e no bloco das clássicas da equipa.

Anúncio Publicitário

A Deceuninck-QuickStep vai tentar ser a equipa mais vitoriosa, como tem sido nos últimos anos. Remco Evenepoel e Fabio Jakobsen já treinam, mas ainda condicionados, devido às mazelas obtidas nas quedas, no Giro da Lombardia e no Tour da Polónia, respetivamente. Evenepoel irá apontar ao Giro de Itália, prova que era para ter feito este ano, não fosse o azar, sendo bem substituído pelo português João Almeida, que acabou por fazer um brilharete. Julian Alaphilippe será a carta para a Volta a França. João Almeida deverá ter o seu “spotlight” na Vuelta. “O foco agora é a Vuelta. O que fiz no Giro do ano passado foi muito bom, mas já ficou para trás. Correu muito bem, sim, mas agora ainda há mais pressão e exigência e eu sou o primeiro a exigir mais de mim próprio”, referiu o ciclista caldense na conferência de imprensa. O sprinter irlandês Sam Bennett veio a público dizer que vai focar-se em provas de um dia, e depois na camisola verde do Tour.

A AG2R Citroen Team deverá dar mais oportunidades ao luxemburguês Bob Jungels, para liderar a equipa em provas de uma semana, Paris-Nice, Volta a Catalunha, Critérium du Dauphiné, e nas clássicas (Ardenas). Provavelmente será um dos corredores que irá ao Tour. Uma equipa talhada para as clássicas, de momento, e que tem grandes esperanças de resultados em nomes como Greg Van Avermaet, Oliver Naesen, Benoît Cosnefroy, Nans Peters e Marc Sarreau. Uma das figuras, Cosnefroy, ainda se encontra a recuperar de uma lesão no joelho.

No planeamento de calendário da equipa francesa Groupama-FDJ, a grande novidade é a exclusão do nome de Thibaut Pinot para o Tour, uma prova muito querida para o corredor, mas na qual tem sempre vacilado. Pinot irá ao Giro, enquanto que Arnaud Démare será o líder da equipa no Tour, com um comboio a rigor para liderá-lo. Curiosamente, o principal escudeiro de Pinot na montanha, David Gaudu, irá estar presente no Tour. “Não sei se ele alguma vez irá ganhar o Giro de Itália, não sei se vai ganhar o Tour de França um dia, mas tenho a certeza de que vai dar tudo para que aconteça”, disse Marc Madiot (manager) sobre Pinot. “Contanto que ele tenha um número nas costas, ele irá dar tudo o que puder para isso, acrescentou Madiot. O sprinter francês Démare conquistou a camisola dos pontos na Volta a Itália deste ano, e com toda a certeza, irá tentar vencer a camisola verde no Tour.

Anterior1 de 3

DEIXE UM COMENTÁRIO

Comente!
Por favor introduz o teu nome