Anterior1 de 2Próximo

Após nove dias de corrida, chegou finalmente o primeiro dia de descanso para os ciclistas. Tivemos etapas planas e de média montanha, não houve espaço ainda para os homens da geral brilharem na alta montanha.

Contudo já tivemos quem conseguisse perder o Giro na primeira semana e quem tivesse sido protagonista pelas melhores razões.

A Volta a Itália começou com a vitória no contrarrelógio de Primoz Roglic, ele que é um dos principais favoritos, senão mesmo o maior favorito à vitória final. Ficou com a camisola rosa e ganhou tempo aos seus principais rivais: a Simon Yates, a Nibali e Miguel Ángel López/Tom Dumoulin.

A segunda etapa, acabou com um sprint poderoso do campeão germânico, Pascal Ackermann, contra os nomes importantes do sprint, o jovem da Bora-Hansgrohe não deu hipóteses e conquistou a sua primeira vitória em Grandes Voltas.

Na etapa três, ocorreu uma situação peculiar, isto porque Elia Viviani foi o primeiro homem a cortar a meta, mas acabou com uma desclassificação (a Organização considerou que o seu sprint foi irregular) e sendo assim Fernando Gaviria, que tinha cortado a meta em segundo, foi quem venceu a terceira etapa.

Richard Carapaz ganhou a quarta etapa, ele que adora correr o Giro de Itália, já tinha inclusive ganho uma etapa em 2018. Com uma queda no final a perturbar o pelotão, houve vários cortes, tendo muitos dos homens rápidos acabado por perder o contacto com a frente. O equatoriano aproveitou da melhor forma para amealhar uma vitória para a Movistar.

Tom Dumoulin caiu na etapa quatro e ficou muito combalido, não tendo acabado a quinta etapa do Giro (etapa do dia seguinte).

O homem da Bora, Ackermann, decidiu brilhar mais uma vez na quinta etapa, com o piso molhado, o alemão foi novamente o mais forte. Arrecadando assim a segunda vitória para a sua equipa.

Pascal Ackermann já leva duas vitórias no Giro e lidera a classificação por pontos
Fonte: Giro d’Italia

As etapas seis e sete, foi onde as fugas tiveram espaço suficiente para alcançarem a vitória. Foi na etapa seis que um dos ciclistas sensação brilhou, no caso, Fausto Masnada. O homem da Androni alcançou a vitória depois de bater Valerio Conti no final da etapa. Com o sucesso desta fuga , mudou-se a camisola rosa de Roglic para Conti. O top dez foi revolucionado e Amaro Antunes que tinha andado na fuga do dia, acabou por ascender ao sexto lugar da geral individual.

Na sétima etapa, Pello Bilbao finalizou a fuga em grande, acabou por alcançar mais uma vitória para a equipa cazaque nesta temporada. Em termos de geral, houve poucas mudanças na classificação (dentro do top dez). No entanto, tivemos a desistência de alguns nomes importantes: Gaviria, Laurens de Plus e de Sacha Modolo.

O “Pocket Rocket”, de seu nome, Caleb Ewan, conquistou a oitava etapa. Num sprint em que bateu Elia Viviani e Pascal Ackermann, o australiano conquistou assim a sua quarta vitória nesta temporada, sendo esta a primeira vitória numa Grande Volta, pela sua nova equipa.

Anterior1 de 2Próximo

Comentários