Na sétima etapa, com mais uma chegada em alto, em Mas de la Costa, foi dia do campeão do Mundo brilhar. Numa etapa muito controlada por parte da Movistar e da Jumbo Visma, foi Nairo Quintana a atacar no grupo dos favoritos. Somente Roglic, Valverde e López conseguiram seguir o ritmo do colombiano. Este grupo ficou junto até ao final, em que Valverde não desfraldou as expetativas e bateu a concorrência no sprint final. Apenas Roglic fez frente ao espanhol, acabando com o mesmo tempo do vencedor. Em terceiro lugar acabou López, a seis segundos, com o mesmo tempo de Quintana.

Valverde a vencer nesta edição da Vuelta
Fonte: Movistar

Na geral individual, López passou a liderar pela terceira vez, com seis segundos de vantagem para Primoz Roglic e 16 segundos a menos para Valverde.

Num dia em que Tejay Van Garderen e Formolo (Bora-Hansgrohe) acabaram por desistir da prova, devido às quedas do dia anterior.

Ao oitavo dia de prova, a fuga teve êxito no final da jornada. Num grupo com mais de 20 ciclistas, os ataques foram constantes. Lá atrás a Astana assumia a perseguição, mas não procuraram anular a fuga. Peter Stetina, Aranburu e Stybar foram alguns dos elementos destabilizadores dos fugitivos. Rúben Guerreiro também tentou a sua sorte, mas não conseguiu ser bem sucedido. No final, Nikias Arndt venceu para a Team Sunweb, sendo que era um dos homens com melhor ponta final. Rúben terminou na quarta posição e ascendeu à 21ª posição da geral.

Foi uma vitória muito importante para a Team Sunweb, sendo esta apenas a sétima vitória do ano.

Anúncio Publicitário

Com a chegada da fuga, Nicolas Edet passou para a liderança e destronou López do primeiro lugar. Dylan Teuns passou para segundo, a 2m:21s e López para terceiro a 3m:01s.

No nono dia de competição, antes do dia de descanso, tivemos uma etapa de “apenas” 94.4kms em que os homens da geral estiveram ao ataque. A fuga era numerosa e deu trabalho para anular, com a Team Cofidis a trabalhar na primeira fase da etapa e mais tarde outras equipas se juntaram, como a Sunweb e a Astana. Os homens que estavam na frente iam recuando para ajudar os seus líderes. No grupo dos favoritos foi López quem atacou, causando o pânico geral. Valverde e Quintana deram uma resposta à altura e mostraram-se bem fisicamente.

Lá na frente era Tao Hart, Bem O´Connor e Bouchard que estavam destacados, mas este último a ser deixado para trás pelos companheiros de fuga. Mais tarde, Marc Soler isolou-se na frente, mas foi lhe pedido que recuasse para ajudar Quintana. Apesar de ter barafustado, lá acabou por recuar.

López acabou por cair e Quintana seguiu com Pogacar subida acima. Ora, quando Soler se deixou encostar, o esloveno não hesitou e demonstrou uma grande leitura de corrida, saltando para a frente de forma isolada. Nunca mais o alcançaram até ao final da etapa, acabando por conquistar aos 20 anos, a vitória mais importante da sua carreira!

Quintana terminou a 23 segundos, na segunda posição e Roglic após encontrar o seu ritmo, ficou na terceira posição, a 48 segundos do vencedor. Valverde terminou com o mesmo tempo de Roglic.

Foi uma péssima etapa, em termos táticos da Movistar! Mas nada a que não estejamos habituados na Vuelta por parte desta equipa. López esteve em quebra na subida perdendo 1m:01s para o vencedor.

Na geral, Quintana saltou para o primeiro posto, com seis segundos de vantagem para Roglic e 17 segundos para López.

O próximo dia será de contrarrelógio e Roglic é o grande favorito para passar para primeiro lugar da geral. Será uma segunda semana intensa e cheia de incertezas.